O cérebro sócio-musical: estudo de uma experiência de educação musical

A prática musical tem efeitos positivos no desenvolvimento humano, envolvendo aspectos cognitivos, emocionais, motivacionais e sociais, que implicam em alterações no processamento cerebral. O número de Programas de Educação Musical (PEMs) com enfoque em populações jovens em vulnerabilidade social te...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2016
Main Author: Alexandre Antonio Mateus Moisés
Orientador/a: Jose Lino Oliveira Bueno
Banca: Orlando Francisco Amodeo Bueno, Andreia Schmidt
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Psicobiologia
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59134/tde-30052016-145641/
Resumo Português:A prática musical tem efeitos positivos no desenvolvimento humano, envolvendo aspectos cognitivos, emocionais, motivacionais e sociais, que implicam em alterações no processamento cerebral. O número de Programas de Educação Musical (PEMs) com enfoque em populações jovens em vulnerabilidade social tem crescido no Brasil e no mundo. Dessa maneira, torna-se importante a realização de estudos que verifiquem os efeitos de PEMs no desenvolvimento destas populações. O objetivo do presente estudo é investigar os impactos de uma experiência de um PEM sobre os aspectos psicológicos de seus estudantes, mais especificamente a autoestima, as habilidades sociais e o funcionamento executivo. A coleta de dados foi realizada em um PEM da cidade de Ribeirão Preto SP e em duas escolas regulares de ensino, uma particular e outra da rede pública. Participaram do estudo 69 crianças e adolescentes com idades entre 10 e 17 anos, divididos em três grupos, a saber: Grupo Iniciante (GI), composto por alunos com até 12 meses de matrícula no PEM; Grupo Experiente (GE), composto por alunos com mais de 24 meses de matrícula no PEM; e Grupo Controle (GC), constituído por participantes sem qualquer envolvimento com aprendizado musical. Cada grupo foi composto por 23 estudantes. Os três grupos de participantes responderam aos seguintes testes psicológicos: Escala de Autoestima de Rosenberg (EAR), Matson Evaluation of Social Skills with Youngsters (MESSY) e Teste de Stroop. Também foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com todos os estudantes dos grupos GI e GE, dez estudantes do PEM que não compuseram nenhum grupo por não possuírem o pré-requisito de tempo de matrícula exigido, seis responsáveis legais dos estudantes e doze profissionais do PEM. As entrevistas tiveram a função de fornecerem relatos verbais a respeito dos impactos percebidos nos estudantes pelo envolvimento com o PEM. Os dados dos testes psicológicos foram analisados através dos testes estatísticos ANOVA, Mann-Whitney e t de Student e as entrevistas foram analisadas através da investigação qualitativa em educação. As análises dos testes psicológicos mostraram que os GI e GE não possuem diferenças entre si para nenhuma das variáveis de estudo. O GC apresentou escores inferiores aos GI e GE para a Autoestima e escores superiores para Solidão e Ansiedade Social, indicando que o envolvimento com o PEM pode acarretar em ganhos nessas habilidades. A partir da análise das entrevistas foram construídas três categorias de codificação relacionadas a impactos comportamentais do envolvimento com o PEM, a saber: relacionamento interpessoal, desenvolvimento de habilidades intrapessoais e envolvimento com música e desenvolvimento humano na perspectiva de profissionais e responsáveis legais. A análise das entrevistas indicou que a participação no PEM está relacionada a impactos positivos na autoestima, habilidades sociais e funcionamento executivo dos participantes. Os resultados foram discutidos buscando interrelaciona-los de maneira a integrar os dados colhidos por meio dos testes psicológicos e através das entrevistas. Conclui-se que a participação em PEMs com enfoque no resgate social de populações vulneráveis possui influência no desenvolvimento de crianças e adolescentes, indicando que o uso da educação musical caracteriza uma importante estratégia de intervenção social.
Resumo inglês:The musical practice has positive effects on human development, involving cognitive, emotional, motivational and social aspects, which imply changes in brain processing. The number of Music Education Programs (MEPs) with a focus on young people in social vulnerability has grown in Brazil and worldwide. Thus, it is important to conduct studies that verify the effects of MEPs in the development of these populations. The aim of this study is to investigate the impact of an experience of a PEM on the psychological aspects of their students, more specifically self-esteem, social skills and executive functioning. Data collection was carried out in a MEP the city of Ribeirão Preto - SP and two regular education schools, one private and another in public schools. The study included 69 children and adolescents aged 10 to 17 years, divided into three groups, namely: Beginner Group (BG), composed of students with up to 12 months of enrollment in PEM; Experienced group (EG), composed of students over 24 months of enrollment in PEM; and Control Group (CG) consisting of participants without any involvement with musical learning. Each group consisted of 23 students. The three groups of participants answered the following psychological tests: the Rosenberg Self-Esteem Scale (RSS), Matson Evaluation of Social Skills with Youngsters (MESSY) and Stroop Test. They were also carried out semi-structured interviews with all students of the BG and EG groups, ten students of the MEP not composed any group for not having the registration time prerequisite required, six legal guardians of students and twelve professional of the MEP. The interviews had the function of providing verbal reports about the perceived impacts on students for their involvement with the MEP. The data of psychological tests were analyzed using statistical tests ANOVA, Mann-Whitney and t Student and interviews were analyzed by qualitative research in education. The analysis of psychological tests showed that the BG and EG have no differences between them for any of the study variables. The CG showed lower scores than BG and EG for Self-esteem and higher scores for Solitude and Social Anxiety, indicating that engagement with the MEP can result in gains in these skills. From the analysis of the interviews were built three coding categories related to behavioral impacts of engagement with the MEP, namely: \"interpersonal relationship\", \"development of intrapersonal skills\" and \"involvement with music and human development from the perspective of professional and legal guardians\". The data analysis showed that participation in the MEP is related to positive impacts on Self-esteem, Social Skills and Executive Functioning of the participants. The results were discussed seeking interrelates them in order to integrate the data collected by means of psychological tests and through interviews. It concludes that participation in MEPs focusing on social rescue vulnerable populations have influence on the development of children and adolescents, indicating that the use of music education features an important strategy for social intervention.