O mundo universal: alimentação e aproximações culturais no Novo Mundo ao longo do século XVI

Esta investigação é dedicada ao tema da alimentação e procura abordá-lo em perspectiva cultural. Detida principalmente na dinâmica dos contatos culturais que resultaram do processo de colonização da América pelas nações ibéricas, a pesquisa tem como foco, principalmente, fontes e outros registros de...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2008
Main Author: Rubens Leonardo Panegassi
Orientador/a: Laura de Mello e Souza
Banca: Leila Mezan Algranti, Ulpiano Toledo Bezerra de Meneses
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: História Social
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-30072008-110833/
Resumo Português:Esta investigação é dedicada ao tema da alimentação e procura abordá-lo em perspectiva cultural. Detida principalmente na dinâmica dos contatos culturais que resultaram do processo de colonização da América pelas nações ibéricas, a pesquisa tem como foco, principalmente, fontes e outros registros de caráter \"etnográfico\", tais como cartas e crônicas escritas no decorrer do século XVI que, de algum modo, registraram a \"cultura alimentar\" nativa dos povos americanos. Tendo em vista a possibilidade de considerar a alimentação como importante elemento na constituição do sistema de vida nos mais diversos grupos sociais - principalmente no âmbito das práticas cotidianas e dos valores culturais -, o que se procura apresentar nesta dissertação é o modo como os elementos simbólicos ligados aos alimentos emergem como instrumento mediador na construção de igualdades e diferenças culturais que, em última instância, permitem ao europeu presente no Novo Mundo, incorporar, intelectualmente, sua experiência no continente americano.
Resumo inglês:Considering that food can be a constituint element in the life system of several different social groups mainly in what concerns every day life and cultural values. We try here to deal with the way symbolic issues mediate cultural differences and similarities. We try to show that these constructions eventually allow the Europeans to intellectualy incorporate their New World experiences.