Fenologia e anatomia dos órgãos reprodutivos de Catasetum fimbriatum Lindley cultivados sob diferentes intensidades luminosas.

Como tentativa de elucidar os fatores ambientais que controlam a plasticidade fenotípica floral de Catasetum fimbriatum Lindley, iniciaram-se estudos fenológicos, vegetativos e anatômicos da espécie, através do acompanhamento de 45 indivíduos, sendo que trinta destes indivíduos foram coletados e pos...

Nível de Acesso:openAccess
Data de Defesa:2002
Autor/a: Cristiano Pedroso de Moraes
Orientador/a: Marcilio de Almeida
Banca: José Antonio Mendes, Lazaro Eustaquio Pereira Peres
Tipo Documento: Dissertação
Idioma:por
Instituição de Defesa: Universidade de São Paulo
Programa: Fisiologia e Bioquímica de Plantas
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Download Texto Completo:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-13112002-135415/
Resumo Português:Como tentativa de elucidar os fatores ambientais que controlam a plasticidade fenotípica floral de Catasetum fimbriatum Lindley, iniciaram-se estudos fenológicos, vegetativos e anatômicos da espécie, através do acompanhamento de 45 indivíduos, sendo que trinta destes indivíduos foram coletados e posteriormente envasados, enquanto os demais foram mantidos e observados em seu ambiente natural, nas árvores do Campus ESALQ/USP, permitindo assim, traçar correlações ecológicas entre os três tratamentos instalados, com quinze indivíduos cada. O primeiro tratamento foi montado em casa de vegetação onde predominou intensa luminosidade, altas temperaturas e baixa umidade relativa do ar. O segundo tratamento foi submetido a baixa intensidade luminosa, menor temperatura e a uma umidade relativa do ar mais elevada em relação ao primeiro. O terceiro tratamento foi mantido nas condições naturais. Ao final do experimento, pôde-se constatar a grande adaptabilidade da espécie aos diferenciados ambientes, através da formação de ecótipos, os quais tornaram-se visíveis devido a diferenças apresentadas pelos individuos principalmente na quantidade de brotos. Quanto ao trimorfismo sexual, mesmo não tendo havido a ocorrência de flores diclinas femininas, o estudo anatômico constatou a presença de agregados celulares com características meristemáticas nos ovários e ginostêmios das flores, os quais, acredita-se, caso fossem estimulados pelo ambiente durante um período necessário para definirem a expressão sexual da espécie, possivelmente através de um aumento nos níveis endógenos de etileno, permitindo desta forma a formação de flores diclinas femininas e flores monoclinas.
Resumo inglês:As attempt of elucidating the environmental factors that they control the plasticity floral fenotipic of Catasetum fimbriatum Lindley, fenological, vegetative and anatomical studies of the species began, through of the accompaniment of 45 individuals. Thirty of these individuals were collected and put in the vases later. The other ones 15 already existed naturally in the trees of the Campus ESALQ/USP, allowing like this, to trace ecological correlations among the three installed treatments. The first fifteen individuals, they were conditioned at vegetation house where intense brightness prevailed, high temperatures and it lowers relative humidity of the air. Such treatment was entitled treatment 1. The other collected individuals that were put in the vase, and that they constituted the treatment 2, they were submitted the low luminous intensity, to a smaller temperature and a relative humidity of the highest air. The last fifteen individuals, presented the natural conditions of survival of the species, and they constituted in that way, the treatment 3. At the end of the experiment, the great adaptability could be verified of the species to the differentiated environments, through the ecotipes formation, which became visible due to differences presented mainly by the individuals in the amount of sprouts. With relationship to the sexual, same trimorfism not having had the occurrence of feminine diclinous flowers, the anatomical study verified the presence of cellular closters with meristematic characteristic in the ovaries and ginostemeus of the flowers, the ones which, If they were environmently stimulated by the period of necessary time, possibly through an increase in the levels etylene endogenous, they would interfere in the sexual expression of the species contributing to the appearance of feminine diclinous flowers and monoclinous flowers.