Desenvolvimento desigual e a produção da região: a dinâmica da indústria metal-mecânica automotiva no município de Caxias do Sul/RS

A região de Caxias do Sul constitui o segundo pólo industrial mais importante do Estado do Rio Grande do Sul, atrás somente da Região Metropolitana de Porto Alegre. Sua importância econômica, alicerçada em setores como o metal-mecânico automotivo, moveleiro e alimentício, perdura mesmo após a abertu...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Karen Aline Heberle
Orientador/a: Amelia Luisa Damiani
Banca: Margarida Maria de Andrade, Luiz Fernando Mazzini Fontoura
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Geografia (Geografia Humana)
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-21052015-120951/
Resumo Português:A região de Caxias do Sul constitui o segundo pólo industrial mais importante do Estado do Rio Grande do Sul, atrás somente da Região Metropolitana de Porto Alegre. Sua importância econômica, alicerçada em setores como o metal-mecânico automotivo, moveleiro e alimentício, perdura mesmo após a abertura comercial instaurada no Brasil a partir da década de 1990. Essa pesquisa esforça-se por analisar o problema da industrialização de Caxias do Sul sob o viés da teoria do desenvolvimento desigual, elaborada em sua versão mais refinada por David Harvey. Segundo esse enfoque, o desenvolvimento geográfico desigual é uma expressão da acumulação capitalista e resulta da tendência à concentração de recursos e riquezas (forças produtivas) em pontos nodais do espaço que contrastam com porções do espaço menos prósperas economicamente. Há, segundo essa interpretação, uma lógica universal que permeia as diferentes escalas da reprodução global da sociedade capitalista e que produz as diferenciações socioespaciais enquanto elemento inerente à sua dinâmica. Nesse sentido, o problema central dessa pesquisa consiste em compreender a formação de uma regionalidade da acumulação capitalista a partir da análise da indústria metal-mecânica automotiva no município de Caxias do Sul destacando os riscos e contradições do processo. Para isso, abordamos as fragilidades produzidas pela especialização produtiva regional e as estratégias utilizadas pelas empresas do setor para manter a competitividade econômica em um novo ambiente de negócios, com forte concorrência internacional. Enfatizamos ainda o papel das representações ideológicas para a reprodução de uma relativa estabilidade/coerência regional, diante das forças de desestruturação/reestruturação colocadas pela globalização.
Resumo inglês:The region of Caxias do Sul is among the largest industrial center in the state of Rio Grande do Sul, second only to the Metropolitan Area of Porto Alegre. Its economic relevance, based on sectors such as metalworking and automotive, furniture and food processing and manufacturing, persists even after Brazils trade opening in the 1990s. This research aims to analyze the question of the industrialization of Caxias do Sul drawing on the theory of uneven development, advanced in its most refined version by David Harvey. According to this theoretical framework, uneven geographical development is an expression of capitalist accumulation and results in the tendency towards a concentration of resources and wealth (productive forces) in nodal points of space that contrast with other, less prosperous areas in economic terms. There is, following Harvey, a universal logic that permeates the different scales of the global reproduction of capitalist society and produces the socio-spatial differentiations as an inherent element of its dynamic. Thus the central aim of this research is to understand the formation of a regionality of capitalist accumulation by analyzing the automotive and metalworking industry in the municipality of Caxias do Sul, as well as to highlight the risks and contradictions of this process. To do so, we focused on the vulnerabilities of the regional productive specialization and the strategies pursued by firms in this sector to keep competitive in a new business environment marked by strong foreign competition. We also emphasized the role of ideological representations in reproducing a relative stability and coherence in the region in a context of disorganizing and restructuring forces brought by globalization.