Satisfação no trabalho de profissionais bancários em agências de uma instituição financeira de economia mista

Nas instituições financeiras, a atividade bancária sofreu grandes transformações no trabalho e reestruturação das suas atividades decorrentes da incorporação de inovações tecnológicas e organizacionais. Houve mudanças no ambiente e no ritmo de trabalho voltadas à maximização dos recursos disponíveis...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2016
Main Author: Rosangela Correa
Orientador/a: Sílvia Helena Henriques Camelo
Banca: Cheila Cristina Leonardo de Oliveira Gaioli, Vivian Aline Mininel, Fernanda Ludmilla Rossi Rocha
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Enfermagem Fundamental
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-31032017-144405/
Resumo Português:Nas instituições financeiras, a atividade bancária sofreu grandes transformações no trabalho e reestruturação das suas atividades decorrentes da incorporação de inovações tecnológicas e organizacionais. Houve mudanças no ambiente e no ritmo de trabalho voltadas à maximização dos recursos disponíveis e ao aumento da produtividade, o que leva às organizações a se preocuparem com condições de trabalho oferecidas, identificando fatores que geram satisfação no trabalhador. Esta pesquisa tem como objetivo identificar o nível de satisfação no trabalho de profissionais de agências bancárias de um banco de economia mista e sua relação com fatores do perfil socioprofissional. Trata-se de estudo exploratório, transversal de abordagem quantitativa dos dados. O universo desta pesquisa correspondeu a 388 trabalhadores de 38 agências de um banco de economia mista localizado em uma cidade no interior do estado de São Paulo. Fizeram parte da amostra àqueles que atenderam aos critérios de inclusão da pesquisa, sendo 208 participantes. Para a coleta de dados utilizou-se um questionário com dados demográficos e socioprofissionais, seguido pela aplicação da Escala de Satisfação no Trabalho composta por 25 itens distribuídos em cinco dimensões: satisfação com os colegas, salário, chefia, natureza do trabalho e promoções. Os resultados mostraram escores médios de satisfação geral de 4,09, o que representa indiferença do bancário em relação à satisfação no trabalho. Porém, quando separadas cada dimensão de satisfação, observou-se satisfação somente para a dimensão \"satisfação com os colegas\". Houve insatisfação dos participantes nas dimensões \"satisfação com as promoções\" e \"satisfação com o salário\". Ao analisar a relação entre as dimensões de satisfação e o perfil socioprofissional, identificou-se que em relação às promoções, há insatisfação independente do cargo exercido, da carga horária de trabalho e do tempo no cargo atual. Já em relação ao salário, os trabalhadores apresentaram-se insatisfeitos, independente do cargo exercido, da carga horária de trabalho e do tempo na instituição. Esses resultados alertam para as condições de remuneração e ascensão profissional, apontando a necessidade de melhoria nesses processos, na busca de melhores incentivos financeiros e valorização desses profissionais. A percepção do trabalhador com aspectos ligados às promoções e remuneração demandadas pela instituição não apresentam relação com o cargo e a carga horária do trabalhador, o que sinaliza a necessidade da empresa elaborar planos de metas que incentive e beneficie seus trabalhadores. Ainda, os resultados desse estudo devem contribuir na reflexão de gestores e futuros trabalhadores bancários sobre os fatores ocupacionais que podem levar a sua satisfação no trabalho e o quanto o investimento nesta área pode representar um indicador não financeiro fundamental na sustentabilidade da organização em longo prazo e no relacionamento com os clientes
Resumo inglês:In financial institutions, banking has undergone major transformations in work and restructuring of its activities resulting from the incorporation of technological and organizational innovations. There were changes in the environment and the pace of work for the maximization of available resources and to increased productivity which leads organizations to be concerned with working conditions offered, identifying factors that generate satisfaction worker. This research aims to identify the level of job satisfaction of professionals of bank branches of a joint stock bank and its relationship with the socio-professional profile factors. It is an exploratory study, cross-sectional approach with quantitative data. The universe of this research amounted to 388 workers from 38 agencies of a state-controlled bank located in a city in the state of São Paulo. The sample included those who met the research inclusion criteria, with 208 participants. For data collection was used a questionnaire with demographic and socio-economic data, followed by the application of Satisfaction Scale at Work, which contains 25 items distributed in five dimensions: satisfaction with colleagues, salary, leadership, nature of work and promotions. The results showed mean scores of overall satisfaction of 4.09, which represents bank\'s indifference to job satisfaction. However, when separated from each dimension of satisfaction, there was satisfaction only to the extent \"satisfaction with colleagues.\" There was dissatisfaction of participants in dimensions \"satisfaction with promotions\" and \"satisfaction with salary.\" By analyzing the relationship between the dimensions of satisfaction and socio-professional profile, it was identified that in relation to promotions, there is independent of the position held dissatisfaction, the workload and time in current position. In relation to wages, workers showed up dissatisfied, regardless of the position held, the workload and time in the institution. These results highlight the conditions of remuneration and career advancement, pointing out the need for improvement in these processes, in search of better financial incentives and recognition of these professionals. The perception of the worker with aspects related to promotions and compensation demanded by the institution no relation to the position and the workload of the worker, which signals the company\'s need to develop plans targets to encourage and benefit their workers. Still, the results of this study should contribute to the reflection of managers and future bank employees on occupational factors that may lead to their job satisfaction and how much investment in this area may represent a non-financial indicator fundamental sustainability of long-term organization and in the relationship with customers