Estudo mineralogico de Clinquer de cimento Portland

O presente trabalho apresenta os resultados de estudos mineralógicos de seis clinqueres de cimento Portland produzidos comercialmente por indústrias nacionais, com matérias primas domésticas. Esses seis exemplos representam, em verdade, uma seleção de numerosos produtos analisados, por se prestarem...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:1978
Main Author: Yushiro Kihara
Orientador/a: Jose Moacyr Vianna Coutinho
Banca: Eduardo Camilher Damasceno, Reinholt Ellert, Jose Vicente Valarelli
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Mineralogia e Petrologia
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44135/tde-02092013-095244/
Resumo Português:O presente trabalho apresenta os resultados de estudos mineralógicos de seis clinqueres de cimento Portland produzidos comercialmente por indústrias nacionais, com matérias primas domésticas. Esses seis exemplos representam, em verdade, uma seleção de numerosos produtos analisados, por se prestarem melhor às diagnoses dos tipos, condições de preparação e cuidados no controle de matéria prima, bem como dos processos de clinquerização de resfriamento. A parte fundamental deste estudo é desenvolvida por microscopia óptica. Para esse fim são descritas, minuciosamente, as técnicas de amostragem e de preparação das amostras (seções polidas), assim como o uso de reagentes seletivos (\"spot test\") para identificação das fases presentes: Alita - silicato tricálcico (3CaO.Si\'O IND.2\'); Belita - silicato bicálcico (2CaO.Si\'O IND.2\'); Celita - fase intersticial, que pode ser diferenciada em aluminato tricálcico (3CaO.\'Al IND.2\'\'O IND.3\') e ferroaluminato tetracálcico (4CaO.\'Al IND.2\'\'O IND.3\'.\'Fe IND.2\'\'O IND.3\'); componentes secundários - Cal livre (CaO), Periclásio (MgO), fase métalica - metal e seus óxidos e sulfetos. O presente estudo é corroborado por análises químicas, que constituem base para a determinação da composição \"mineralógica\" normativa através dos cálculos propostos por Bogue. Baseados nos conceitos termodinâmicos de equilíbrio entre as fases presentes nos clínqueres, aliados a conceitos mineralógicos-cristalográficos (difusão iônica, reações de estado sólido, soluções sólidas, crescimento cristalino, etc) e a critérios petrográficos (estrutura e textura), o estudo microscópico fornece informações sobre: composição granulometria e homogeneidade da matéria prima (calcáreo e argila); temperatura e tempo de clinquerização; e velocidade de resfriamento do clinquer. É feita uma comparação entre a análise modal obtida por microscopia e a análise normativa calculada a partir das análises químicas, evidenciando as vantagens diagnósticas do método microscópico para definir a composição do clinquer. Conclue-se que: 1. As análises químicas são imprescindíveis no controle rotineiro da matéria prima, permitindo correções imediatas na sua composição. Elas definem ainda, supondo-se um processamento industrial adequado, os módulos de hidraulicidade, de sílica e de fundentes do clinquer. 2. A microscopia, através do estudo das relações paragenéticas e texturais do estabelecimento de uma composição modal, constitui um excelente método de semi-rotina para o controle da fabricação industrial do clinquer, fornecendo, implicitamente, recomendações para melhorar a sua qualidade.
Resumo inglês:Not available.