Seattle, Praga, Gênova: política anti-globalização pela experiência da ação de rua

Esta dissertação consiste em uma abordagem antropológica do movimento antiglobalização a partir de uma etnografia de relatos, registros e análises de três eventos de protesto: as manifestações de novembro de 1999 contra a Organização Mundial do Comércio em Seattle, as manifestações em Praga contra a...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2008
Main Author: Julia Ruiz Di Giovanni
Orientador/a: John Cowart Dawsey
Banca: Fernanda Areas Peixoto, José Amálio de Branco Pinheiro
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Ciência Social (Antropologia Social)
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8134/tde-04072008-143738/
Resumo Português:Esta dissertação consiste em uma abordagem antropológica do movimento antiglobalização a partir de uma etnografia de relatos, registros e análises de três eventos de protesto: as manifestações de novembro de 1999 contra a Organização Mundial do Comércio em Seattle, as manifestações em Praga contra a reunião do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial em setembro de 2000 e as manifestações contra a reunião do G8 em Gênova, de julho de 2001. O recorte da pesquisa está centrado nas formas da ação de rua, abordadas como práticas significativas a partir de conceitos da antropologia das formas expressivas tais como: performance, drama social e liminaridade. As diferentes táticas de protestos são interpretadas como mediações simbólicas articuladas em relação ao problema do desgaste de formas políticas que marcaram o século precedente. Essa abordagem possibilita tratar com mais recursos o caráter paradoxal do objeto de pesquisa: um \"movimento de movimentos\", cuja definição contém simultaneamente dinâmicas de unificação e diferenciação.
Resumo inglês:This dissertation consists in an anthropological approach to the anti-globalization movement, starting from an ethnography of stories, registers and analisys of three protest events: the demonstrations of November 1999 against the World Trade Organization in Seattle, the demonstrations in Prague against the International Monetary Fund and World Bank meeting in September 2000, and the demonstrations in against the G8 meeting in Genoa, Italy, in July 2001. The research is centered in the forms of street action, discussed as significative practices through concepts found in the anthropology of expression as: performance, social drama and liminality. The different tactics of protest are interpreted as symbolic mediations articulated in relation to the problem of the fading of political forms as known in the XXth century. This approach offers resources to deal with the paradoxal nature of the research object: a \"movement of movements\" which definition carries simultaneously dynamics of unity and separation.