Periferia: conceito, práticas e discursos; práticas sociais e processos urbanos na metrópole de São Paulo

Esta dissertação de mestrado tem como objetivo analisar como o conceito de periferia foi construído socialmente, ao longo da segunda metade do século XX, como um conceito que se pretendeu explicativo dos fenômenos urbanos na metrópole de São Paulo. A idéia da metrópole como uma estrutura urbana conf...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2006
Main Author: Giselle Megumi Martino Tanaka
Orientador/a: Paulo Cesar Xavier Pereira
Banca: Erminia Terezinha Menon Maricato, Cibele Saliba Rizek
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Arquitetura e Urbanismo
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16137/tde-26052010-133856/
Resumo Português:Esta dissertação de mestrado tem como objetivo analisar como o conceito de periferia foi construído socialmente, ao longo da segunda metade do século XX, como um conceito que se pretendeu explicativo dos fenômenos urbanos na metrópole de São Paulo. A idéia da metrópole como uma estrutura urbana configurada por um centro e uma periferia tem sido uma forma geral de descrever e mesmo explicar as dinâmicas de crescimento urbano de São Paulo. Trata-se de um modelo de entendimento resultante de um rico período de debates, pesquisas e processos sociais que levaram à construção da noção de periferia como uma noção explicativa das particularidades do desenvolvimento urbano de uma metrópole em um país industrial subdesenvolvido. A dissertação procura identificar o contexto do debate acadêmico em que periferia passa a ser utilizada com um sentido específico na literatura do campo de pesquisas urbanas da década de 1970, marcadamente do pensamento crítico brasileiro (sobre a formação da sociedade brasileira que visava a formulação de um projeto de desenvolvimento nacional com a superação das desigualdades sociais) e da sociologia urbana francesa. Apresenta pesquisas e ensaios que conceituam periferia e a colocam no centro da questão urbana no Brasil, e que levaram à incorporação da periferia como objeto de estudo e tema central da pesquisa urbana. A noção de periferia é uma construção social relacionada a práticas e discursos de sujeitos sociais e políticos de um contexto histórico específico, de ascensão dos chamados movimentos sociais urbanos, e de intensas mudanças na sociedade brasileira: a transição de um regime político autoritário e centralizador, para uma abertura democrática; e a passagem de um contexto de intenso crescimento econômico de base urbana-industrial para um período de recessão e agravamento dos problemas urbanos e sociais. Ao abordar a noção de periferia, procurando entender em que condições, este conceito adquire uma centralidade na questão urbana brasileira e como este conceito reforça uma chave de leitura das contradições da sociedade brasileira, pretendemos contribuir para a construção de um pensamento urbano que busque constituir questões relacionadas aos reais problemas das cidades brasileiras. Esta é certamente uma tarefa muito mais ampla que o âmbito deste trabalho. Escolhemos explorar este caminho de estudos, entendendo que a noção de periferia, está ainda fortemente presente nas leituras da metrópole de São Paulo, mas esvaziada da carga teórica que a constituiu. Superar esta visão significa voltar a pesquisa urbana para os fatores determinantes no processo de produção do espaço urbano, da segregação sócio-espacial, de deterioração do ambiente urbano e da qualidade de vida na cidade. Por meio da crítica e da identificação das limitações das formas de conhecimento que temos sobre as questões urbanas hoje, podemos construir novas bases para a apreensão das lógicas efetivas que regem a produção da cidade.
Resumo inglês:This essay intends to analyze how the concept of periphery was socially built, during the second half of the 20th century, as a concept that meant to explain the urban phenomena that took place in São Paulos metropolis. The idea of ametropolis structured by a center and a periphery has been a dominant way to describe and even to explain urban growth in São Paulo. This view of the urban environment based on a certain approach is resultant from a rich period of debates, researches and social processes, in which periphery has been built as a notion related to the particularities of the urban development in a metropolis of an underdeveloped country. The essay identifies the historical moment in which periphery turns out to be employed in a specific sense in the academic literature of the urban research in the 70s. The concept of periphery receives great influence of the Brazilian critical intellectual production, that started to understand the particularities of Brazils social structure in order to propose alternative development paths (aiming at overcoming the social inequalities); and also received the influence from French urban sociology. This work presents researches and essays produced in the field of Brazilian urban research, that focus on the conception of periphery as the central idea to understand the urban question in Brazil. The notion of periphery is a social construction related to social practices and discourses of social and political subjects that took place in a specific historical context, marked by the rise of the so called urban social movements, and by intense political and economic change, such as the transition from an authoritarian and centralized government to a democratic government, and the transition from a period of intense urban and economic growth, to a period of economic depression and growth of urban and social problems. By studying the notion of periphery and trying to understand why, and in which conditions this notion becomes central to urban studies, and how it reinforces a view of the contradictions of Brazilian social structure, we intend to contribute to the construction of a urban approach linked to the real problems of Brazilian cities. This is certainly a larger task than we are capable of undertaking. But we chose to exploit this theme understanding that the notion of periphery is still very present in the view of São Paulo Metropolis urban structure, though its theoretical basis has lost significance. Overcoming this view of the metropolis means to point urban research toward the real determinant factors of the production of urban space, the production of social spatial segregation, of the deterioration of the urban habitat, and life quality in the city. By identifying the limitations of the notion of periphery and the usual ways of explaining urban matters, it is possible to build new bases that will allow to apprehend the effective logics that conduct the production of urban space.