A guerra dos mundos ou as relações institucionais entre a homeopatia e a medicina científica

O Objetivo deste trabalho é tratar da Homeopatia e da Medicina Científica, e de sua convivência institucional, considerando principalmente o cenário posterior à década de 1980, quando de sua assimilação pela Medicina Oficial brasileira. O que se pretende demonstrar, fundamentalmente, é que a Medicin...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Juliano De Fiore
Orientador/a: Sedi Hirano
Banca: Miguel Wady Chaia, Mariléia Franco Marinho Inoue, Márcio Sérgio Batista Silveira de Oliveira, Yumi Garcia dos Santos
Format: Tese
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Sociologia
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8132/tde-11122015-140435/
Resumo Português:O Objetivo deste trabalho é tratar da Homeopatia e da Medicina Científica, e de sua convivência institucional, considerando principalmente o cenário posterior à década de 1980, quando de sua assimilação pela Medicina Oficial brasileira. O que se pretende demonstrar, fundamentalmente, é que a Medicina Científica e a Homeopatia são essencialmente diferentes, e acima de tudo demonstrar que este caso particular de relações institucionais deve ser entendido sob pelo menos duas perspectivas, de uma epistemológica, e de outra sociológica. Essas duas perspectivas são essenciais para entender a moderna relação institucional entre Homeopatia e Medicina Científica, que acontece num contexto de assimilação institucional da Homeopatia pela Medicina Oficial. Ainda que essa integração nunca possa vir à ser concretizada completamente, essa assimilação é resultado de uma grande mudança no universo simbólico das culturas ocidentais, principalmente dos conceitos e valores ligados ao imaginário da saúde. Neste novo contexto simbólico, a ciência como instituição é ressignificada e e devidamente recontextualizada, em termos de cultura popular e senso comum (universo simbólico da vida cotidiana), de modo que passa a poder acomodar os mais diversos tipos de conhecimentos em seu universo. É sob a perspectiva do processo de racionalização e desencantamento do mundo que essas instituições são analisadas e a compreensão dos universos simbólicos mantidos por cada grupo é o objetivo central desse trabalho.
Resumo inglês:This study deals with Homeopathy and Scientific Medicine and focus its institutional relationship, especially considering the latter scenario to the 1980s decade, after its assimilation by brazilian Official Medicine. It intends to demonstrate that Scientific Medicine and Homeopathy are fundamentally and essentially different things and, above all, demonstrate that this particular case of institutional relations should be understood in, at least, two perspectives: epistemological, and sociological. These perspectives are essential to understand the modern relationship between Homeopathy and Official Medicine -­ which takes place in a context of institutional assimilation of homeopathy by the Official Medicine (although this integration could never come to be fully realized). This assimilation is the result of a change in the symbolic universe of western cultures, especially the concepts and values linked to the health imaginary. In this new symbolic context, science, as an institution, is resignified and recontextualized in terms of popular culture and common sense (the symbolic universe of everyday life), allowing to accommodate all different types of knowledge in this new resigninified universe of science. Its from the process of rationalization and disenchantment of the worlds perspective that these institutions are analyzed, and the understanding of the symbolic universes maintained by each group is the central objective of this work.