Domingo na igreja, sexta-feira no terreiro: as disputas simbólicas entre Igreja Universal do Reino de Deus e Umbanda

Este trabalho pretende investigar algumas das relações que se estabelecem, no campo religioso brasileiro, entre umbanda e Igreja Universal do Reino de Deus (IURD). Para além do discurso demonizador neopentecostal, que classifica as religiões afrobrasileiras como \"coisa do diabo\", acredit...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2007
Main Author: Antonio Gracias Vieira Filho
Orientador/a: Vagner Goncalves da Silva
Banca: Maria Lucia Aparecida Montes, Carlos Tadeu Siepierski
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Ciência Social (Antropologia Social)
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8134/tde-03092007-133410/
Resumo Português:Este trabalho pretende investigar algumas das relações que se estabelecem, no campo religioso brasileiro, entre umbanda e Igreja Universal do Reino de Deus (IURD). Para além do discurso demonizador neopentecostal, que classifica as religiões afrobrasileiras como \"coisa do diabo\", acredito haver diversas trocas simbólicas entre essas denominações que, a princípio, parecem tão distantes. A etnografia estará estruturada de forma a mostrar, inicialmente, o funcionamento interno desses dois sistemas religiosos - atentando para suas cosmologias e estruturas rituais. Em seguida, será abordado o intenso intercâmbio simbólico que se estabelece entre eles. Será dedicada especial atenção a determinados símbolos que são fundamentais para compreender o relacionamento dessas religiões: os exus e as pombagiras são os melhores exemplos. Finalmente, serão discutidas questões que poderiam ser consideradas mais \"espinhosas\" no que diz respeito ao relacionamento entre umbanda e IURD: notadamente, as polêmicas sobre a intolerância e o preconceito no campo religioso brasileiro.
Resumo inglês:This work intends to investigate some of the relations that have been established, in the Brazilian religious field, between Umbanda and the Universal Church of The Kingdoom of God. Beyond the neopentecostal accusations of devilishness, that set Afro-Brazilian religions as \"devil-like\", I believe there are some symbolic exchange between these two religions that, at first, seem so far apart. The ethnography is set in a way to display, initially, the internal working of these two religious systems - looking into their cosmologies and ritual structures. Then, the intense exchanges set between them will be approached. Specific attention will be given to particular symbols that are crucial to understand the relationship of these religions: the exus and the pombagiras are the best examples. Finally, some questions concerning the relationship between Umbanda and the Universal Church that could be considered more \"delicate\" will be discussed: the polemics about intolerance and prejudice in the field of religion in Brazil.