\"Saindo do gueto\": o Movimento Homossexual no Brasil da abertura, 1978-1982

Esta dissertação investiga a problemática da formação do movimento homossexual brasileiro em sua relação com o ciclo de protestos da liberalização e abertura política, no período de 1978-1982. Tendo como norteamento teórico a perspectiva da teoria do processo político, o texto procurou oferecer uma...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Rafael de Souza
Orientador/a: Angela Maria Alonso
Banca: Breno Marqués Bringel, Brasilio Joao Sallum Junior
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Sociologia
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8132/tde-13032014-113737/
Resumo Português:Esta dissertação investiga a problemática da formação do movimento homossexual brasileiro em sua relação com o ciclo de protestos da liberalização e abertura política, no período de 1978-1982. Tendo como norteamento teórico a perspectiva da teoria do processo político, o texto procurou oferecer uma alternativa explicativa que tratasse da dinâmica social interna do movimento homossexual, mas também vinculasse ao contexto político mais amplo. O argumento principal consistiu em resgatar os laços do fenômeno com sua conjuntura, isto é, com o ciclo de protesto da liberalização de 1978 a 1982, de modo a explicar o porquê desse movimento ter surgido no momento em que surgiu. A hipótese central é a de que a inserção dos ativistas em determinados espaços abertos pela dilatação das oportunidades culturais permitiram aos ativistas o re-enquadramento das dimensões do conflito político. Essas oportunidades foram compostas, basicamente, pela imprensa alternativa e pela cultura artística marginal do período. Esses dois espaços de produção e distribuição de bens simbólicos funcionaram como estruturas de mobilização. A inserção dos ativistas nesses espaços e o consumo de bens simbólicos contraculturais resultaram, portanto, em enquadramentos interpretativos e repertórios de ação coletiva voltados para a construção coletiva de uma estética política individualista. Ou seja, essa combinação tornou possível a produção de uma estética da homossexualidade, a construção coletiva de uma identidade política fora do gueto homossexual e, por fim, a vocalização política dos homossexuais.
Resumo inglês:This dissertation investigates the problem of the formation of Brazilian Homosexual Movement in its relation to the cycle of protests in liberalization and Brazilian political redemocratization, 1978-1982. We have as theoretical direction the perspective of the theory of the political process, this work has sought to provide an alternative explanation that treats the internal social dynamics of the homosexual movement, but also connect this dynamics to the broader political context. The main argument was to discover the ties of the phenomenon with their environment, i. e, the cycle of protest liberalization from 1978 to 1982 and explain why this movement has arisen at that specific time. The central hypothesis is that the inclusion of activists in certain free spaces, provided by the cultural opportunities, allowed these activists reframing of the dimensions of political conflict. These opportunities were the activities of alternative media and the underground artistic field. These two areas of production and distribution of symbolic goods functioned as mobilization structures. The insertion of these activists in these spaces and the consumption of countercultural symbolic goods resulted in political frames and repertoires of collective action that builded the construction of a collective political individualist aesthetic. This combination made it possible to produce an aesthetic of homosexuality and the collective construction of a political identity outside of \"gay ghetto\" and vocal political homosexuals.