Mineralogia da jazida de cobre do Ribeirão do Perau, Paraná

A jazida de cobre do Ribeirão do Perau localiza-se nas coordenadas geográficas: 24°50? de latitude sul e 49°00\' de longitude oeste, junto à confluência dos Ribeirões Grande e Perau, a 30 quilômetros sudeste do município de Adrianópolis, Estado do Paraná, numa faixa de 3,1 quilômetros quadrados...

Nível de Acesso:openAccess
Data de Defesa:1972
Autor/a: Irineu Marques Souza
Orientador/a: William Gerson Rolim de Camargo
Tipo Documento: Tese
Idioma:por
Instituição de Defesa: Universidade de São Paulo
Programa: Recursos Minerais e Hidrogeologia
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Download Texto Completo:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44131/tde-01022016-095234/
id USP_afbf7dd6c9035e7a904d8ef471bd3cb3
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-01022016-095234
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesis Mineralogia da jazida de cobre do Ribeirão do Perau, Paraná Not available. 1972-03-02William Gerson Rolim de CamargoIrineu Marques SouzaUniversidade de São PauloRecursos Minerais e HidrogeologiaUSPBR Mineralogia Paraná Not available. A jazida de cobre do Ribeirão do Perau localiza-se nas coordenadas geográficas: 24°50? de latitude sul e 49°00\' de longitude oeste, junto à confluência dos Ribeirões Grande e Perau, a 30 quilômetros sudeste do município de Adrianópolis, Estado do Paraná, numa faixa de 3,1 quilômetros quadrados. A litologia é dada por quartzitos, rochas carbonáticas, fititos, xistos e anfibolio-xistos, do Grupo Açunguí, sendo essas rochas consideradas pertencentes à Formação Setuva. A região situa-se em zona de transição entre as fácies de xistos verdes e anfibolito. Os minerais primários são constituídos por pirita, calcopirita, tennantita, quartzo, rara galena e barita; os secundários são: calcocita, covelita, bornita, cuprita, cobre nativo, prata nativa, crisocola, azurita, malaquita; ocorrendo como minerais metamórficos: turmalina, granada, tremolita, magnetita, hematita, calcita e dolomita. A mineralização primária encontra-se disseminada concordantemente com a estratificação dos quartzitos enquanto que a secundária ocorre preenchendo cavidades ou fraturas das rochas carbonáticas ou mesmo em forma de filões concordantes com a estratificação de quartzitos milonitizados. Foram feitos estudos de cada mineral através das propriedades físicas e morfológicas; microscopia à luz transmitida e refletida; difração de raios X; fluorescência; radioatividade; análises térmicas; análises químicas de minério e deu-se ênfase ao estudo dos minerais à microsonda eletrônica. A gênese da jazida não pode ser explicada pela teoria magmatista-hidrotermal clássica e nos estágios atuais de conhecimento admitiu-se a hipótese de deposição sedimentar e posterior reconcentração. O trabalho pretende contribuir para o conhecimento da paragênese e gênese da jazida afim de estabelecer futuramente um controle litológico e/ou estrutural que possa permitir ampliação das reservas de cobre na região em estudo. Not available. http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44131/tde-01022016-095234/info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Pauloinstacron:USP2018-02-03T10:13:48Zmail@mail.com -
dc.title.pt.fl_str_mv Mineralogia da jazida de cobre do Ribeirão do Perau, Paraná
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Not available.
title Mineralogia da jazida de cobre do Ribeirão do Perau, Paraná
spellingShingle Mineralogia da jazida de cobre do Ribeirão do Perau, Paraná
Irineu Marques Souza
Mineralogia
Paraná
Not available.
title_short Mineralogia da jazida de cobre do Ribeirão do Perau, Paraná
title_full Mineralogia da jazida de cobre do Ribeirão do Perau, Paraná
title_fullStr Mineralogia da jazida de cobre do Ribeirão do Perau, Paraná
title_full_unstemmed Mineralogia da jazida de cobre do Ribeirão do Perau, Paraná
title_sort Mineralogia da jazida de cobre do Ribeirão do Perau, Paraná
author Irineu Marques Souza
author_facet Irineu Marques Souza
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv William Gerson Rolim de Camargo
dc.contributor.author.fl_str_mv Irineu Marques Souza
contributor_str_mv William Gerson Rolim de Camargo
dc.subject.por.fl_str_mv Mineralogia
Paraná
topic Mineralogia
Paraná
Not available.
dc.subject.eng.fl_str_mv Not available.
dc.description.abstract.por.fl_txt_mv A jazida de cobre do Ribeirão do Perau localiza-se nas coordenadas geográficas: 24°50? de latitude sul e 49°00\' de longitude oeste, junto à confluência dos Ribeirões Grande e Perau, a 30 quilômetros sudeste do município de Adrianópolis, Estado do Paraná, numa faixa de 3,1 quilômetros quadrados. A litologia é dada por quartzitos, rochas carbonáticas, fititos, xistos e anfibolio-xistos, do Grupo Açunguí, sendo essas rochas consideradas pertencentes à Formação Setuva. A região situa-se em zona de transição entre as fácies de xistos verdes e anfibolito. Os minerais primários são constituídos por pirita, calcopirita, tennantita, quartzo, rara galena e barita; os secundários são: calcocita, covelita, bornita, cuprita, cobre nativo, prata nativa, crisocola, azurita, malaquita; ocorrendo como minerais metamórficos: turmalina, granada, tremolita, magnetita, hematita, calcita e dolomita. A mineralização primária encontra-se disseminada concordantemente com a estratificação dos quartzitos enquanto que a secundária ocorre preenchendo cavidades ou fraturas das rochas carbonáticas ou mesmo em forma de filões concordantes com a estratificação de quartzitos milonitizados. Foram feitos estudos de cada mineral através das propriedades físicas e morfológicas; microscopia à luz transmitida e refletida; difração de raios X; fluorescência; radioatividade; análises térmicas; análises químicas de minério e deu-se ênfase ao estudo dos minerais à microsonda eletrônica. A gênese da jazida não pode ser explicada pela teoria magmatista-hidrotermal clássica e nos estágios atuais de conhecimento admitiu-se a hipótese de deposição sedimentar e posterior reconcentração. O trabalho pretende contribuir para o conhecimento da paragênese e gênese da jazida afim de estabelecer futuramente um controle litológico e/ou estrutural que possa permitir ampliação das reservas de cobre na região em estudo.
description A jazida de cobre do Ribeirão do Perau localiza-se nas coordenadas geográficas: 24°50? de latitude sul e 49°00\' de longitude oeste, junto à confluência dos Ribeirões Grande e Perau, a 30 quilômetros sudeste do município de Adrianópolis, Estado do Paraná, numa faixa de 3,1 quilômetros quadrados. A litologia é dada por quartzitos, rochas carbonáticas, fititos, xistos e anfibolio-xistos, do Grupo Açunguí, sendo essas rochas consideradas pertencentes à Formação Setuva. A região situa-se em zona de transição entre as fácies de xistos verdes e anfibolito. Os minerais primários são constituídos por pirita, calcopirita, tennantita, quartzo, rara galena e barita; os secundários são: calcocita, covelita, bornita, cuprita, cobre nativo, prata nativa, crisocola, azurita, malaquita; ocorrendo como minerais metamórficos: turmalina, granada, tremolita, magnetita, hematita, calcita e dolomita. A mineralização primária encontra-se disseminada concordantemente com a estratificação dos quartzitos enquanto que a secundária ocorre preenchendo cavidades ou fraturas das rochas carbonáticas ou mesmo em forma de filões concordantes com a estratificação de quartzitos milonitizados. Foram feitos estudos de cada mineral através das propriedades físicas e morfológicas; microscopia à luz transmitida e refletida; difração de raios X; fluorescência; radioatividade; análises térmicas; análises químicas de minério e deu-se ênfase ao estudo dos minerais à microsonda eletrônica. A gênese da jazida não pode ser explicada pela teoria magmatista-hidrotermal clássica e nos estágios atuais de conhecimento admitiu-se a hipótese de deposição sedimentar e posterior reconcentração. O trabalho pretende contribuir para o conhecimento da paragênese e gênese da jazida afim de estabelecer futuramente um controle litológico e/ou estrutural que possa permitir ampliação das reservas de cobre na região em estudo.
dc.description.abstract.eng.fl_txt_mv Not available.
publishDate 1972
dc.date.issued.fl_str_mv 1972-03-02
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
status_str publishedVersion
format doctoralThesis
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44131/tde-01022016-095234/
url http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44131/tde-01022016-095234/
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Recursos Minerais e Hidrogeologia
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo
instacron:USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname_str Universidade de São Paulo
instacron_str USP
institution USP
repository.name.fl_str_mv -
repository.mail.fl_str_mv mail@mail.com
_version_ 1596849986047311872
score 13.273771