Ciência e fé em debate: perspectivas históricas

Ciência e religião são dois importantes fundamentos da sociedade humana. Ambas possuem uma influência, direta ou indireta, na vida das pessoas. No entanto, o que se consolidou no senso comum é que existe um conflito irreconciliável instalado entre razão e fé. Tal antagonismo tem publicidade corrique...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Josué Bertolin
Orientador/a: Gildo Magalhães dos Santos Filho
Banca: Silas Guerriero, Francisco Assis de Queiroz
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: História Social
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-16062015-125946/
Resumo Português:Ciência e religião são dois importantes fundamentos da sociedade humana. Ambas possuem uma influência, direta ou indireta, na vida das pessoas. No entanto, o que se consolidou no senso comum é que existe um conflito irreconciliável instalado entre razão e fé. Tal antagonismo tem publicidade corriqueira. É notada, por vezes, uma abordagem reducionista do assunto, e, assim, perpetuam-se imagens prejudiciais ao progresso desses campos do saber, portanto um atraso para a civilização como um todo. Ao se estudar o desenvolvimento científico ao longo da história, é inevitável considerar sua relação com o pensamento religioso, ou com os sistemas de crença religiosa, ou ainda com as instituições religiosas. Por isso, esse trabalho vem discutir a relação entre ciência e fé, sob uma perspectiva histórica. Busca-se, também, compreender nesses termos a possibilidade de haver progresso em ambas ciência e religião , numa realidade de relativo equilíbrio e, talvez até, de intercâmbio mais produtivo para ciência e religião. Foram realizadas pesquisas na literatura geral sobre o tema a fim de se conhecer o estado da arte desse debate. A partir da leitura e seleção sistemática dos dados recolhidos, e a classificação e organização das informações coletadas, reuniu-se diversas visões sobre o assunto para contribuir na reflexão do tema e mostrar que a discussão é abrangente. Foi possível concluir que a teoria de conflito não traduz a contento o que historicamente se evidencia. O relacionamento entre ciência e religião é multifacetado e complexo, sendo que elas têm contribuído no desenvolvimento de uma com a outra, conscientemente ou não. Abrem-se possibilidades de interação construtiva entre as áreas do saber.
Resumo inglês:ABSTRACT Science and religion are two important foundations of human society. They both have a direct or indirect influence on peoples lives. However, in common sense it has been consolidated the idea that there is an irreconcilable conflict installed between reason and faith. Such antagonism has trivial advertising. Sometimes a reductionist approach to the subject is noticed, and thereby harmful images are perpetuated to the progress of these fields of knowledge, and thus a delay for civilization as a whole. When studying the scientific development throughout history, it is inevitable to consider its relationship with religious thought, or systems of religious belief, or even with religious institutions. Therefore, this work has the purpose to discuss the relationship between science and faith, from a historical perspective. Under these terms, this research seeks to understand the possibility of progress in both science and religion , under a reality of relative equilibrium and, perhaps, a more productive exchange between science and religion. The general literature on this subject was researched in order to learn the state of the art of this debate. From reading and systematically selecting the collected data, classifying and organizing it, several views on the subject were gathered to contribute to the reflection of the theme and show how it is a broad discussion. It was possible to conclude that the theory of conflict is not a satisfying explanation for the historical evidence. The relationship between science and religion is complex and multiple-sided, and they have contributed to the development of one another, consciously or not. This study opens up possibilities for a constructive interaction between the areas of knowledge.