Aplicação da energia de microondas na secagem da resina de polietileno tereftalato (PET)

Orientador: Jose de Assis Fonseca Faria

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:1998
Main Author: Anjos, Carlos Alberto Rodrigues, 1957-
Orientador/a: Faria, José de Assis Fonseca, 1950-
Banca: Junior, Antonio Marsaioli, Coltro, Leda, Krauss, Ronald, Kieckbusch, Theo Guenter
Format: Tese
Language:por
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Engenharia de Alimentos
Programa: Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Alimentos
Assuntos em Português:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/254529
Citação:ANJOS, Carlos Alberto Rodrigues. Aplicação da energia de microondas na secagem da resina de polietileno tereftalato (PET). 1998. 113f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia de Alimentos, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/254529>. Acesso em: 23 jul. 2018.
Resumo Português:Resumo: A secagem da resina é uma das etapas mais importantes no processamento de polietileno tereftalato (PET) destinado á fabricação de embalagens, peças de engenharia e diversas outras aplicações. É o estágio responsável pela qualidade final da resina antes de ser transformada pelos processos de injeção, injeção-estiramento-sopro, injeçâo-sopro ou extrusâo-sopro que requer elevado consumo de energia e longo tempo de duração, representando gastos excessivos no processamento antes da transformação da resina em embalagens. 0 superaquecimento superficial da resina de PET pode provocar aumento do grau de cristalização, redução da viscosidade intrínseca e alteração da cor inicial, consequentemente, redução de propriedades importantes nas embalagens finais. Em ambientes de elevada umidade relativa a umidade da resina de PET pode chegar a 0,6 % (p/p), porém o máximo de desempenho em processos, principalmente de injeção, requer umidades de 0,05 e 0,005% (p/p) ou menos, dependendo da aplicação. No presente estudo, procurou-se desenvolver a aplicação da energia de microondas na secagem da resina de PET, a partir de configurações de diferentes processos, com o objetivo de verificar o comportamento da resina de PET sob campo de microondas, comparado com o processo convencional a ar aquecido, e através de urn forno de laboratório com microprocessador a fim de estabelecer parâmetros de tratamento tais como temperatura, tempo e potência de microondas. Trabalhou-se com potências de 50 a 300 W e tempos de 0,6 a 2,6 horas com o objetivo de reduzir a umidade e manter inalteradas características importantes ao desempenho da resina durante os processos de transformação. Devido o PET ser um polímero de baixa permissividade dielétrica e de seu elevado grau de cristalização, atingiram-se valores de umidade de até 0,04% (p/p), acima de 0,005 (p/p), considerado valor ótimo para a transformação em embalagens, porém próximos dos valores para a utilização em outros segmentos, como por exemplo o de peças de engenharia. Verificou-se, ainda, que a aplicação da energia de microondas não afetou as características de viscosidade intrínseca e cor. Entretanto, os níveis de acetaldeído diminuíram em algumas amostras, o que é um resultado considerado satisfatório.
Resumo inglês:Abstract: The drying of the resin is one of the most important stages in the processing of polyethylene terephthafate (PET) for use in the manufacture of packaging materials, engineering parts and other applications. It is the stage responsible for the final quality of the resin before its transformation by processes of injection, injection-stretching-blowing or extrusion-blowing, and it consumes a lot of energy and long periods of time, representing excessive expenditure in the processing before the transformation step into packages. Superheating of the surface of the PET resin can result in an increase in the degree of crystallization, reduction in the intrinsic viscosity and change in the initial colour, with a consequent reduction in the important properties of the final packaging materials. In atmospheres of high relative humidity, the moisture content of the PET resin can rise to 0,6% (w/w), where as maximum performance during processing, especially in those involving injection, requires moisture contents of 0,05% (w/w) or less, depending on the application. This study aimed at development the application of microwave energy in the drying of PET resin according to the configurations for different processes, with the objective of determining the behaviour of the PET resin in a microwave field as compared to the conventional hot air process and using a laboratory microwave oven equipped with a microprocessor for controlling time, temperature and power Potentials of 50 to 300 W and times of 0,6 to 2,6 hours were used with the objective of reducing the moisture content while retaining the important characteristics related to the performance of the resin during the transformation processes. Since PET is a polymer of low dielectric permissivity and high degree of crystallization, moisture values of up to 0,04% (w/w) were obtained, greater than the value of 0,005% (w/w) considered optimum for transformation into packaging materials, but close to the values used in other sectors, such as for engineering parts. It was also shown that the application of microwave energy did not affect the intrinsic viscosity and colours and that the acetaldehyde levels of some samples were reduced, which is considered to be a satisfactory result.