Ultra-sonografia renal e hepática em cães com suspeita de leptospirose

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2004
Autor(a) principal: Ubirajara Iobe Tasqueti
Orientador(a): Julio Cesar de Freitas .
Banca de defesa: Janis Regina Messias Gonzalez, Jane Megid
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade Estadual de Londrina. Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal.
Programa de Pós-Graduação: Não Informado pela instituição
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000100479
Resumo: A leptospirose é uma importante zoonose produzida por microrganismos do gênero Leptospira. A doença clássica em cães é causada pelos sorovares Icterohaemorrhagiae e Canicola e está associada à insuficiência renal e hepática aguda ou subaguda. Entretanto outros sorovares podem também causar a leptospirose em cães, sem o quadro clínico clássico de doença renal e hepática concomitante. Os sinais clínicos relacionados à leptospirose canina são muito variados, sendo necessária a utilização de todos os recursos no estabelecimento da suspeita clínica. O diagnóstico tradicionalmente é realizado utilizando-se informações clínicas e epidemiológicas, e testes laboratoriais. O método mais utilizado é a soroaglutinação microscópica (SAM). Esta técnica, assim como as demais, apresenta inúmeras dificuldades, relacionadas à manutenção das leptospiras vivas, equipamentos e corpo técnico especializado. A ultra-sonografia, bem como outros métodos de diagnóstico por imagem, tem sido utilizada para a caracterização precoce do quadro clínico de leptospirose em humanos. A ultra-sonografia apresenta-se como um exame rápido, de baixo custo de manutenção e disponível à maioria dos clínicos veterinários. Este trabalho teve como objetivo avaliar a ultra-sonografia como método de investigação em 80 cães com suspeita clínica de leptospirose. Todos os cães foram submetidos ao exame ultra-sonográfico abdominal e à prova de soroaglutinação microscópica com 21 sorovares de referência de Leptospira interrogans e duas estirpes regionais isoladas pelo Laboratório de Leptospirose do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva da Universidade Estadual de Londrina, identificadas como sorovar Canicola. Dos 80 cães estudados, 31 (38,75%) apresentaram títulos sorológicos considerados positivos na SAM. A avaliação ultra-sonográfica dos 31 cães positivos na SAM detectou alguma anormalidade em 25 (80,65%), sendo em 18 (72,00%) exclusivamente nos rins, em dois (8,00%) no fígado e em cinco (20,00%) simultaneamente nos rins e fígado. Em 44 cães foi observado o aumento da ecogenicidade da córtex renal, sendo 22 (50,00%) considerados positivos na SAM. A avaliação estatística com o teste qui-quadrado demonstrou associação entre o aumento da ecogenicidade cortical renal e a positividade na SAM, sugerindo a utilização da ultra-sonografia renal no diagnóstico presuntivo da leptospirose canina.
id UEL_4e7b98aeca84bd3fedc72bf41739b95f
oai_identifier_str oai:uel.br:vtls000100479
network_acronym_str UEL
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UEL
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesisUltra-sonografia renal e hepática em cães com suspeita de leptospirose2004-05-21Julio Cesar de Freitas . Janis Regina Messias Gonzalez Jane MegidUbirajara Iobe TasquetiUniversidade Estadual de Londrina. Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal.URLBRA leptospirose é uma importante zoonose produzida por microrganismos do gênero Leptospira. A doença clássica em cães é causada pelos sorovares Icterohaemorrhagiae e Canicola e está associada à insuficiência renal e hepática aguda ou subaguda. Entretanto outros sorovares podem também causar a leptospirose em cães, sem o quadro clínico clássico de doença renal e hepática concomitante. Os sinais clínicos relacionados à leptospirose canina são muito variados, sendo necessária a utilização de todos os recursos no estabelecimento da suspeita clínica. O diagnóstico tradicionalmente é realizado utilizando-se informações clínicas e epidemiológicas, e testes laboratoriais. O método mais utilizado é a soroaglutinação microscópica (SAM). Esta técnica, assim como as demais, apresenta inúmeras dificuldades, relacionadas à manutenção das leptospiras vivas, equipamentos e corpo técnico especializado. A ultra-sonografia, bem como outros métodos de diagnóstico por imagem, tem sido utilizada para a caracterização precoce do quadro clínico de leptospirose em humanos. A ultra-sonografia apresenta-se como um exame rápido, de baixo custo de manutenção e disponível à maioria dos clínicos veterinários. Este trabalho teve como objetivo avaliar a ultra-sonografia como método de investigação em 80 cães com suspeita clínica de leptospirose. Todos os cães foram submetidos ao exame ultra-sonográfico abdominal e à prova de soroaglutinação microscópica com 21 sorovares de referência de Leptospira interrogans e duas estirpes regionais isoladas pelo Laboratório de Leptospirose do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva da Universidade Estadual de Londrina, identificadas como sorovar Canicola. Dos 80 cães estudados, 31 (38,75%) apresentaram títulos sorológicos considerados positivos na SAM. A avaliação ultra-sonográfica dos 31 cães positivos na SAM detectou alguma anormalidade em 25 (80,65%), sendo em 18 (72,00%) exclusivamente nos rins, em dois (8,00%) no fígado e em cinco (20,00%) simultaneamente nos rins e fígado. Em 44 cães foi observado o aumento da ecogenicidade da córtex renal, sendo 22 (50,00%) considerados positivos na SAM. A avaliação estatística com o teste qui-quadrado demonstrou associação entre o aumento da ecogenicidade cortical renal e a positividade na SAM, sugerindo a utilização da ultra-sonografia renal no diagnóstico presuntivo da leptospirose canina.Leptospirosis is an important zoonosis caused by microorganisms members of the genus Leptospira. Classic leptospirosis in dogs is associated to the serovars Icterohaemorragiae and Canicola and it has been associated with acute or subacute hepatic and renal failure in dogs. Other serovars can cause leptospirosis in dog, without classic clinical description of concurrent hepatic and renal disease. The clinical signs related to canine leptospirosis are variable and all information can be useful in establishing clinical suspicion. The diagnosis is done, traditionally, with clinical and epidemiological information and laboratory tests. The microscopic agglutination test (MAT) is the most widely used method for the diagnosis. This test has many difficulties related to technicians, materials and to keep lives leptospires. Ultrasonography like other image diagnostic methods has been used in the early characterization of clinical picture in human leptospirosis. It is a fast, low cost and available method for the veterinary clinician. The aim of this study is to use ultrasonography as an ancillary diagnostic method in dogs with clinical suspicion of leptospirosis. All of the 80 dogs studied had clinical suspicion of leptospirosis and they were submitted to sonographic evaluation of abdomen and serum was submitted to microscopic aglutination test with 31 reference serovars of Leptospira interrogans and two regional antigen isolated by Leptospirosis Laboratory of Departamento de Medicina Veterinária Preventiva of Universidade Estadual de Londrina, recognized as serovar Canicola. 31 (38,75%) dogs were positive in microscopic aglutination test. Ultrasonography of 31 positive dogs shows some abnormality in 25 (80,65%) cases, in 18 (72,00%) cases only in the kidneys, in two (8,00%) cases only in the liver and in five (20,00%) cases in both kidneys and liver. In 44 dogs ultrasonography demonstrated increased renal cortical ecogenicity and among these 22 (50,00%) cases were positive for leptospirosis. The chi-square test demonstrated association between increased renal cortical ecogenicity and positive results in MAT. These results suggest the use of renal ultrasonography in the presumptive diagnosis of canine leptospirosis.http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000100479porreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UELinstname:Universidade Estadual de Londrina (UEL)instacron:UELinfo:eu-repo/semantics/openAccess2022-10-26T10:09:01Zoai:uel.br:vtls000100479Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.bibliotecadigital.uel.br/PUBhttp://www.bibliotecadigital.uel.br/OAI/oai2.phpbcuel@uel.br||opendoar:2008-08-08T11:53:42Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UEL - Universidade Estadual de Londrina (UEL)false
dc.title.pt.fl_str_mv Ultra-sonografia renal e hepática em cães com suspeita de leptospirose
title Ultra-sonografia renal e hepática em cães com suspeita de leptospirose
spellingShingle Ultra-sonografia renal e hepática em cães com suspeita de leptospirose
Ubirajara Iobe Tasqueti
title_short Ultra-sonografia renal e hepática em cães com suspeita de leptospirose
title_full Ultra-sonografia renal e hepática em cães com suspeita de leptospirose
title_fullStr Ultra-sonografia renal e hepática em cães com suspeita de leptospirose
title_full_unstemmed Ultra-sonografia renal e hepática em cães com suspeita de leptospirose
title_sort Ultra-sonografia renal e hepática em cães com suspeita de leptospirose
author Ubirajara Iobe Tasqueti
author_facet Ubirajara Iobe Tasqueti
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Julio Cesar de Freitas .
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Janis Regina Messias Gonzalez
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Jane Megid
dc.contributor.author.fl_str_mv Ubirajara Iobe Tasqueti
contributor_str_mv Julio Cesar de Freitas .
Janis Regina Messias Gonzalez
Jane Megid
description A leptospirose é uma importante zoonose produzida por microrganismos do gênero Leptospira. A doença clássica em cães é causada pelos sorovares Icterohaemorrhagiae e Canicola e está associada à insuficiência renal e hepática aguda ou subaguda. Entretanto outros sorovares podem também causar a leptospirose em cães, sem o quadro clínico clássico de doença renal e hepática concomitante. Os sinais clínicos relacionados à leptospirose canina são muito variados, sendo necessária a utilização de todos os recursos no estabelecimento da suspeita clínica. O diagnóstico tradicionalmente é realizado utilizando-se informações clínicas e epidemiológicas, e testes laboratoriais. O método mais utilizado é a soroaglutinação microscópica (SAM). Esta técnica, assim como as demais, apresenta inúmeras dificuldades, relacionadas à manutenção das leptospiras vivas, equipamentos e corpo técnico especializado. A ultra-sonografia, bem como outros métodos de diagnóstico por imagem, tem sido utilizada para a caracterização precoce do quadro clínico de leptospirose em humanos. A ultra-sonografia apresenta-se como um exame rápido, de baixo custo de manutenção e disponível à maioria dos clínicos veterinários. Este trabalho teve como objetivo avaliar a ultra-sonografia como método de investigação em 80 cães com suspeita clínica de leptospirose. Todos os cães foram submetidos ao exame ultra-sonográfico abdominal e à prova de soroaglutinação microscópica com 21 sorovares de referência de Leptospira interrogans e duas estirpes regionais isoladas pelo Laboratório de Leptospirose do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva da Universidade Estadual de Londrina, identificadas como sorovar Canicola. Dos 80 cães estudados, 31 (38,75%) apresentaram títulos sorológicos considerados positivos na SAM. A avaliação ultra-sonográfica dos 31 cães positivos na SAM detectou alguma anormalidade em 25 (80,65%), sendo em 18 (72,00%) exclusivamente nos rins, em dois (8,00%) no fígado e em cinco (20,00%) simultaneamente nos rins e fígado. Em 44 cães foi observado o aumento da ecogenicidade da córtex renal, sendo 22 (50,00%) considerados positivos na SAM. A avaliação estatística com o teste qui-quadrado demonstrou associação entre o aumento da ecogenicidade cortical renal e a positividade na SAM, sugerindo a utilização da ultra-sonografia renal no diagnóstico presuntivo da leptospirose canina.
publishDate 2004
dc.date.issued.fl_str_mv 2004-05-21
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000100479
url http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000100479
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Estadual de Londrina. Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal.
dc.publisher.initials.fl_str_mv URL
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade Estadual de Londrina. Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal.
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UEL
instname:Universidade Estadual de Londrina (UEL)
instacron:UEL
instname_str Universidade Estadual de Londrina (UEL)
instacron_str UEL
institution UEL
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UEL
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UEL
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UEL - Universidade Estadual de Londrina (UEL)
repository.mail.fl_str_mv bcuel@uel.br||
_version_ 1757174578303467520