Remoção de cromo proveniente de efluentes sintéticos utilizando argilas organofílicas.

Os graves problemas ambientais gerados pelo aumento considerável dos descartes de efluentes industriais contaminados por metais pesados, aliados às leis ambientais cada vez mais rigorosas, estimulam pesquisas nesta área. Em particular, o cromo vem se destacando pela larga utilização em diversos seto...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2008
Main Author: CABRAL, Shâmia Borborema. lattes
Orientador/a: RODRIGUES, Meiry Gláucia Freire. lattes
Banca: VALENZUELA DIAZ, Francisco Rolando., BRITO, André Luiz Fiquene de.
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Campina Grande
Programa: PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA
Department: Centro de Ciências e Tecnologia - CCT
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/4292
Citação:CABRAL, S. B. Remoção de cromo proveniente de efluentes sintéticos utilizando argilas organofílicas. 2008. 107 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Química) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química, Centro de Ciências e Tecnologia, Universidade Federal de Campina Grande, Paraíba, Brasil, 2008.
Resumo Português:Os graves problemas ambientais gerados pelo aumento considerável dos descartes de efluentes industriais contaminados por metais pesados, aliados às leis ambientais cada vez mais rigorosas, estimulam pesquisas nesta área. Em particular, o cromo vem se destacando pela larga utilização em diversos setores industriais. Em amostras ambientais, o cromo ocorre principalmente como cromo trivalente Cr3+ e cromo hexavalente Cr6+. Vários tipos de sorventes vêm sendo estudados visando atenuar a contaminação de áreas por íons metálicos. A proposta dessa pesquisa foi utilizar as argilas: Verde-Lodo sem tratamento e organofílica como adsorventes, para tratar soluções sintéticas de cromo trivalente. Este trabalho foi realizado em duas etapas, a 1ª etapa consistiu em preparar a argila Verde-Lodo organofílica, partindo-se da argila Verde-lodo sem tratamento e do sal quaternário de amônio (brometo de cetiltrimetilamônio). Os materiais obtidos foram caracterizadas por Difração de Raios-X (DRX), Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), Análise Térmica Diferencial e Gravimétrica (ATD/ATG), teste de Inchamento de Foster e teste de Capacidade de Adsorção. Os resultados indicam que foram obtidos materiais organofílicos e que os mesmos apresentaram capacidade de adsorção nos solventes orgânicos testados. A 2ª parte teve por finalidade avaliar a remoção de Cr3+ em solução preparada em laboratório utilizando-se um sistema de banho finito e tendo como adsorventes as argilas: Verde-Lodo sem tratamento e organofílica. Os ensaios em sistema de banho finito foram realizados de acordo com um planejamento experimental fatorial completo 23 com 3 experimentos no ponto central utilizando o Software Minitab 13.0, avaliando-se a influência dos fatores escolhidos: agitação mecânica variando de 150 a 250 rpm; potencial higrogeniônico variando de 3,0 a 5,0 e concentração inicial de cromo variando de 10 a 70 ppm, em relação as variáveis de respostas: porcentagem de remoção de cromo (% Rem) e quantidade útil de remoção de cromo (qeq). Os resultados finais após tratamento estatístico mostraram que, de forma geral, a argila Verde-Lodo sem tratamento apresentou maior eficiência na remoção de cromo, quando comparada a argila Verde-Lodo organofílica.
Serious enviromnental impacts consequence of the increasingly high rates of industrial wastewater disposal containing large amounts of heavy metaIs along with more strict enviromnental regulations have stimulate a myriad of promising papers in this field. Particularly, chromium removal has called for important researches due to its large use in processing plants throughput the globe. In wastewater samples chromium has been found basically in the form trivalent (Cr3+) and hexavalent chromium (Cr6+). Several kinds of solvents have been tested so as to reduce the contamination of areas infested with such metaIs. This work proposes the use of untreated and organophilic green-slit clays as adsorbents for the treatment of synthetic solutions containing Cr3+.This work was carried out in two stages: The first stage consisted of preparing an organophilic green-slit clay sample by combining the Verde-Lodo clay untreated and quatemary ammonium salt (cetyltrimethylammonium bromide). The composites were characterized by Xrays Diffraction (XRD), Scanning Electron Microscopy (SEM), Differential Thermal Analysis and Thermogravimetric Analysis (ATD / ATG), puffup Foster test and adsorption capacity test. The results showed that the organophilic green-slit clay was indeed obtained and that they were able to absorb the organic solvents tested. The second part intended to assess the removal of Cr3+ in a solution sample using the finite bath technique, and taking the untreated and organophilic green-slit clays as adsorbents. Finite bath tests were conducted in accordance with a full 23 factorial design factorial with three experiments in central point using the Software Minitab 13.0. The input variables consisted of stirring from 150 to 250 rpm; pH ranging from 3.0 to 5.0; and initial concentration of chromium within 10 and 70 ppm. The output variables were chosen as removal of chromium (% Rem) and net chromium removal (qeq). Statistical treatment of the resulting data showed that, in general, the untreated green-slit clay performs better than the organophilic greenslit clay in terms of chromium removal.