O povo Garífuna da América Central: entre lutas de poder, categorias identitárias e territórios

O povo Garífuna da América Central: entre lutas de poder, categorias identitárias e território. Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal do Espírito Santo. Dissertação de mestrado. 2015. O presente texto de pesquisa intitulado O povo Garífuna da América Central: entre luta...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2016
Main Author: LARA, I. L.
Orientador/a: SILVA, S. J.
Format: Dissertação
Published: Universidade Federal do Espírito Santo
Mestrado em Ciências Sociais
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais
Online Access:http://repositorio.ufes.br/handle/10/9883
Citação:LARA, I. L., O povo Garífuna da América Central: entre lutas de poder, categorias identitárias e territórios
Resumo Português:O povo Garífuna da América Central: entre lutas de poder, categorias identitárias e território. Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal do Espírito Santo. Dissertação de mestrado. 2015. O presente texto de pesquisa intitulado O povo Garífuna da América Central: entre lutas de poder, categorias identitárias e territórios visa descrever como o povo Garífuna articula os discursos sobre a luta pelo seu território ancestral observando aí as diferentes mobilizações entre as categorias identitárias. Acontecem através de diferentes processos históricos transformações com suas identificações especialmente nos últimos 30 anos desde a pronunciação da virada multicultural na América Latina. Exploramos aqui as diferentes categorias de representação definindo nosso objeto de estudo que se desdobra em duas organizações representantes dos Garífunas: a OFRANEH e a ODECO. O tema e objeto de estudo foram produzidos em base as leituras de construção e desconstrução de identidade. Tentamos aqui entrelaçar a bibliografia existe sobre os Garífunas como uma etnografia virtual para contextualizar e descrever a uma mobilização dentro das categorias identitárias do povo garinagu na América Central. Os resultados descrevem uma bipolaridade no discurso identitário de representação no grupo a partir do ponto de vista de nosso objeto de estudo.