A formação industrial de Petrópolis: trabalho, sociedade e cultura operária (1870-1937)

A dissertação trata do processo de formação industrial da cidade de Petrópolis. Situada na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, a cerca de 860 metros de altitude e a 65 quilômetros de distância da cidade do Rio de Janeiro, Petrópolis possuiu no século XX expressiva produção têxtil, sendo refe...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Mesquita, Pedro Paulo Aiello lattes
Orientador/a: Lobo, Valéria Marques lattes
Banca: Oliveira, Luís Eduardo de lattes, Delgado, Ignacio José Godinho lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Juiz de Fora
Programa: Programa de Pós-graduação em História
Department: ICH – Instituto de Ciências Humanas
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/1650
Resumo Português:A dissertação trata do processo de formação industrial da cidade de Petrópolis. Situada na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, a cerca de 860 metros de altitude e a 65 quilômetros de distância da cidade do Rio de Janeiro, Petrópolis possuiu no século XX expressiva produção têxtil, sendo referência nacional naquele ramo de produção industrial. O mundo do trabalho concernente à vida proletária de Petrópolis é o foco de análise desta pesquisa. O tempo histórico aqui adotado vai do ano de 1872 – formação das primeiras companhias têxteis – até o ano de 1937 - momento em que as companhias estão em larga produção e as relações de trabalho são intensamente vividas no interior dos estabelecimentos produtivos e também no ambiente social. Adota-se assim o período de nascimento e crescimento das companhias têxteis. O primeiro objetivo desta dissertação é discorrer sobre as companhias têxteis e suas vivências produtivas tendo como pano de fundo os diferentes momentos políticos e econômicos que o Brasil viveu no tempo histórico em questão. O segundo objetivo é complementar ao primeiro; busca verificar a vida dos trabalhadores que atuavam nas companhias têxteis no que tange às suas movimentações políticas, suas estratégias e o cotidiano como operários mas também como agentes sociais que viviam para além dos muros das fábricas. Assim, considera-se este estudo uma proposta de leitura de um passado pouco estudado em Petrópolis; o passado industrial, que é tão negligenciado frente à predominância de um passado aristocrático que se busca reforçar naquela que foi, no passado, a cidade de veraneio do imperador Dom Pedro II.
The dissertation deals with the formation process of the industrial city of Petropolis. Located in the mountainous region of Rio de Janeiro state, about 860 meters altitude and 65 km away from the city of Rio de Janeiro, Petrópolis possessed significant textile production in the twentieth century, being a reference in that branch of national industrial production. The world of work concerning the proletarian life of Petropolis is the focus of this research analysis. Historical time adopted here is from the year 1872 - formation of the first textile companies - by the year 1937 - a time when companies had large production and labor relations were highly experienced within the production plants and also in the social environment. We've been adopted so the period of birth and growth of the textile companies. The first objective of this paper is to discuss the textile companies and their experiences with productive backdrop of the different political and economic times that Brazil lived in historical time in question. The second goal is to complement the first, aiming to check the workers who worked in the textile companies in regard to their political movements, their strategies and daily life as workers but also as social agents who lived beyond the walls of the factories. Thus, this study considers a proposal for a reading of the past little studied in Petropolis, the industrial past that is so neglected front of dominance of an aristocratic past that seeks to reinforce in what was once the city's vacation emperor Dom Pedro II.