Atenção visual em músicos e não-músicos: um estudo comparativo

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2007
Autor(a) principal: Ana Carolina Oliveira e Rodrigues
Orientador(a): Mauricio Alves Loureiro
Banca de defesa: Afonso Celso Tanus Galvão, Antonio Lucio Teixeira Junior
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade Federal de Minas Gerais
Programa de Pós-Graduação: Não Informado pela instituição
Departamento: Não Informado pela instituição
País: Não Informado pela instituição
Palavras-chave em Português:
Link de acesso: http://hdl.handle.net/1843/GMMA-7YHPH7
Resumo: A influência da música sobre a função cerebral tem sido alvo da investigação de neurocientistas e músicos desde a década de 1990. Existem várias evidências que apontam para a existência dos processos de neuroplasticidade cerebral decorrentes do treinamento musical, os quais podem produzir diferenças comportamentais entre músicos e nãomúsicos. Pesquisas sugerem uma influência do treinamento musical em capacidades cognitivas não-musicais em crianças, mas existem poucos estudos em adultos. Destes, alguns trabalhos têm relatado a existência de capacidades visuais aumentadas em músicos. O objetivo geral deste trabalho consistiu na investigação da capacidade de atenção visual em músicos e não-músicos adultos. Aplicamos um questionário de caracterização dos indivíduos e testes neuropsicológicos indicados para avaliar a capacidade de atenção visual. O teste trilhas e o subteste códigos do WAIS III foram utilizados principalmente para que a sensibilidade dos mesmos à proposta desta investigação fosse avaliada. O principal teste aplicado, multiple choice reaction time (MCRT), exigiu que o indivíduo respondesse, por meio de ações motoras específicas, a vários estímulos luminosos presentados. Para avaliação da capacidade de atenção visual dividida, o teste MCRT foi aplicado duas vezes: na primeira, situação 1, isoladamente, e na segunda, situação 2, concomitantemente a um vídeo com outros estímulos visuais, os quais se alternavam aleatoriamente. Ao indivíduo foi solicitado informar verbalmente a ocorrência da mudança destes no momento em que a percebesse. Na situação 1, os músicos presentaram uma porcentagem de respostas corretas ignificativamente maior. Na situação 2, embora não tenha sido observada diferença significativa entre os grupos em nenhuma das variáveis do teste MCRT, os músicos apresentaram menores tempos de reação aos estímulos do vídeo. No teste trilhas, parte A, os músicos apresentaram um número de erros significativamente menor. Em relação ao teste trilhas, parte B, e ao subteste códigos do WAIS III, não houve diferença significativa entre os grupos. Os resultados sugerem principalmente uma maior capacidade de atenção visual dividida em músicos em relação a não-músicos, o que pode indicar a existência de um benefício do treinamento musical em uma capacidade cognitiva nãomusical, com implicações para a área de educação.
id UFMG_59ad51747bd1cc31328b0312eeaa9521
oai_identifier_str oai:repositorio.ufmg.br:1843/GMMA-7YHPH7
network_acronym_str UFMG
network_name_str Repositório Institucional da UFMG
repository_id_str
spelling Mauricio Alves LoureiroLeonor Bezerra GuerraAfonso Celso Tanus GalvãoAntonio Lucio Teixeira JuniorAna Carolina Oliveira e Rodrigues2019-08-12T05:45:18Z2019-08-12T05:45:18Z2007-03-28http://hdl.handle.net/1843/GMMA-7YHPH7A influência da música sobre a função cerebral tem sido alvo da investigação de neurocientistas e músicos desde a década de 1990. Existem várias evidências que apontam para a existência dos processos de neuroplasticidade cerebral decorrentes do treinamento musical, os quais podem produzir diferenças comportamentais entre músicos e nãomúsicos. Pesquisas sugerem uma influência do treinamento musical em capacidades cognitivas não-musicais em crianças, mas existem poucos estudos em adultos. Destes, alguns trabalhos têm relatado a existência de capacidades visuais aumentadas em músicos. O objetivo geral deste trabalho consistiu na investigação da capacidade de atenção visual em músicos e não-músicos adultos. Aplicamos um questionário de caracterização dos indivíduos e testes neuropsicológicos indicados para avaliar a capacidade de atenção visual. O teste trilhas e o subteste códigos do WAIS III foram utilizados principalmente para que a sensibilidade dos mesmos à proposta desta investigação fosse avaliada. O principal teste aplicado, multiple choice reaction time (MCRT), exigiu que o indivíduo respondesse, por meio de ações motoras específicas, a vários estímulos luminosos presentados. Para avaliação da capacidade de atenção visual dividida, o teste MCRT foi aplicado duas vezes: na primeira, situação 1, isoladamente, e na segunda, situação 2, concomitantemente a um vídeo com outros estímulos visuais, os quais se alternavam aleatoriamente. Ao indivíduo foi solicitado informar verbalmente a ocorrência da mudança destes no momento em que a percebesse. Na situação 1, os músicos presentaram uma porcentagem de respostas corretas ignificativamente maior. Na situação 2, embora não tenha sido observada diferença significativa entre os grupos em nenhuma das variáveis do teste MCRT, os músicos apresentaram menores tempos de reação aos estímulos do vídeo. No teste trilhas, parte A, os músicos apresentaram um número de erros significativamente menor. Em relação ao teste trilhas, parte B, e ao subteste códigos do WAIS III, não houve diferença significativa entre os grupos. Os resultados sugerem principalmente uma maior capacidade de atenção visual dividida em músicos em relação a não-músicos, o que pode indicar a existência de um benefício do treinamento musical em uma capacidade cognitiva nãomusical, com implicações para a área de educação.Recognition of the influence of music on cerebral function has incited neuroscientists and musicians to investigate the connections between these two areas since the 1990s. There is now a large amount of evidence indicating that cerebral neuroplastic processes can be modified as a result of musical training, which in turn can produce behavioral differences between musicians and non-musicians. Although several studies have suggested that musical training can influence non-musical cognitive abilities in children, there have been few works investigating such an influence in adults. Some of these studies have related the existence of augmented visual abilities in musicians. The general aim of the present work was to investigate the visual attention ability in adult musicians and non-musicians. We utilized a questionnaire to characterize each individual and several neuropsychological tests to measure visual attention ability. The trail making test and digit symbol subtest of WAIS III were used specifically to allow verification of their sensitivity, regarding the purpose of this investigation. The main test, multiple choice reaction time (MCRT), consisted of specific motor action responses when various luminous stimuli were presented. In order to evaluate divided visual attention ability, the MCRT test was applied twice: the first time, situation 1, the test was used alone; the second time, situation 2, it was used concomitantly with a video containing other visual stimuli, which changed randomly. The subject was asked to respond verbally to each change as quickly as possible. In situation 1, musicians exhibited a significantly higher percentage of correct responses. In situation 2, although no significant difference was observed between the two groups, musicians showed shorter reaction timing for verbal response to video stimuli. In part A of the trail making test, musicians exhibited a significantly smaller number of errors. In part B of the trail making test, and in the digit symbol subtest of WAIS III, no significant differences were observed between the groups. These results indicate that musicians have an augmented divided visual attention ability as compared to non-musicians. This suggests that musical training may be beneficial to non-musical cognitive ability, what have implications in educational areas.Universidade Federal de Minas GeraisUFMGMusicoterapia DissertaçõesTreinamento musicalAtenção visualNeuroplasticidadeAtenção visual em músicos e não-músicos: um estudo comparativoinfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesisinfo:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Repositório Institucional da UFMGinstname:Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)instacron:UFMGORIGINALdisserta__o_pdf.pdfapplication/pdf1048207https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/GMMA-7YHPH7/1/disserta__o_pdf.pdf2605eef326db418f31d3b3fc87f749f3MD51TEXTdisserta__o_pdf.pdf.txtdisserta__o_pdf.pdf.txtExtracted texttext/plain191059https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/GMMA-7YHPH7/2/disserta__o_pdf.pdf.txtdbae0a54743715b7a4985bafae3b313eMD521843/GMMA-7YHPH72019-11-14 10:41:16.095oai:repositorio.ufmg.br:1843/GMMA-7YHPH7Repositório de PublicaçõesPUBhttps://repositorio.ufmg.br/oaiopendoar:2019-11-14T13:41:16Repositório Institucional da UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)false
dc.title.pt_BR.fl_str_mv Atenção visual em músicos e não-músicos: um estudo comparativo
title Atenção visual em músicos e não-músicos: um estudo comparativo
spellingShingle Atenção visual em músicos e não-músicos: um estudo comparativo
Ana Carolina Oliveira e Rodrigues
Treinamento musical
Atenção visual
Neuroplasticidade
Musicoterapia Dissertações
title_short Atenção visual em músicos e não-músicos: um estudo comparativo
title_full Atenção visual em músicos e não-músicos: um estudo comparativo
title_fullStr Atenção visual em músicos e não-músicos: um estudo comparativo
title_full_unstemmed Atenção visual em músicos e não-músicos: um estudo comparativo
title_sort Atenção visual em músicos e não-músicos: um estudo comparativo
author Ana Carolina Oliveira e Rodrigues
author_facet Ana Carolina Oliveira e Rodrigues
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Mauricio Alves Loureiro
dc.contributor.advisor-co1.fl_str_mv Leonor Bezerra Guerra
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Afonso Celso Tanus Galvão
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Antonio Lucio Teixeira Junior
dc.contributor.author.fl_str_mv Ana Carolina Oliveira e Rodrigues
contributor_str_mv Mauricio Alves Loureiro
Leonor Bezerra Guerra
Afonso Celso Tanus Galvão
Antonio Lucio Teixeira Junior
dc.subject.por.fl_str_mv Treinamento musical
Atenção visual
Neuroplasticidade
topic Treinamento musical
Atenção visual
Neuroplasticidade
Musicoterapia Dissertações
dc.subject.other.pt_BR.fl_str_mv Musicoterapia Dissertações
description A influência da música sobre a função cerebral tem sido alvo da investigação de neurocientistas e músicos desde a década de 1990. Existem várias evidências que apontam para a existência dos processos de neuroplasticidade cerebral decorrentes do treinamento musical, os quais podem produzir diferenças comportamentais entre músicos e nãomúsicos. Pesquisas sugerem uma influência do treinamento musical em capacidades cognitivas não-musicais em crianças, mas existem poucos estudos em adultos. Destes, alguns trabalhos têm relatado a existência de capacidades visuais aumentadas em músicos. O objetivo geral deste trabalho consistiu na investigação da capacidade de atenção visual em músicos e não-músicos adultos. Aplicamos um questionário de caracterização dos indivíduos e testes neuropsicológicos indicados para avaliar a capacidade de atenção visual. O teste trilhas e o subteste códigos do WAIS III foram utilizados principalmente para que a sensibilidade dos mesmos à proposta desta investigação fosse avaliada. O principal teste aplicado, multiple choice reaction time (MCRT), exigiu que o indivíduo respondesse, por meio de ações motoras específicas, a vários estímulos luminosos presentados. Para avaliação da capacidade de atenção visual dividida, o teste MCRT foi aplicado duas vezes: na primeira, situação 1, isoladamente, e na segunda, situação 2, concomitantemente a um vídeo com outros estímulos visuais, os quais se alternavam aleatoriamente. Ao indivíduo foi solicitado informar verbalmente a ocorrência da mudança destes no momento em que a percebesse. Na situação 1, os músicos presentaram uma porcentagem de respostas corretas ignificativamente maior. Na situação 2, embora não tenha sido observada diferença significativa entre os grupos em nenhuma das variáveis do teste MCRT, os músicos apresentaram menores tempos de reação aos estímulos do vídeo. No teste trilhas, parte A, os músicos apresentaram um número de erros significativamente menor. Em relação ao teste trilhas, parte B, e ao subteste códigos do WAIS III, não houve diferença significativa entre os grupos. Os resultados sugerem principalmente uma maior capacidade de atenção visual dividida em músicos em relação a não-músicos, o que pode indicar a existência de um benefício do treinamento musical em uma capacidade cognitiva nãomusical, com implicações para a área de educação.
publishDate 2007
dc.date.issued.fl_str_mv 2007-03-28
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2019-08-12T05:45:18Z
dc.date.available.fl_str_mv 2019-08-12T05:45:18Z
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://hdl.handle.net/1843/GMMA-7YHPH7
url http://hdl.handle.net/1843/GMMA-7YHPH7
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal de Minas Gerais
dc.publisher.initials.fl_str_mv UFMG
publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal de Minas Gerais
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UFMG
instname:Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
instacron:UFMG
instname_str Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
instacron_str UFMG
institution UFMG
reponame_str Repositório Institucional da UFMG
collection Repositório Institucional da UFMG
bitstream.url.fl_str_mv https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/GMMA-7YHPH7/1/disserta__o_pdf.pdf
https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/GMMA-7YHPH7/2/disserta__o_pdf.pdf.txt
bitstream.checksum.fl_str_mv 2605eef326db418f31d3b3fc87f749f3
dbae0a54743715b7a4985bafae3b313e
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv Repositório Institucional da UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1803589601693007872