Vantagem competitiva no mercado de software

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2013
Autor(a) principal: Matoso, Joelson Obregão
Orientador(a): Não Informado pela instituição
Banca de defesa: Não Informado pela instituição
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Não Informado pela instituição
Programa de Pós-Graduação: Não Informado pela instituição
Departamento: Não Informado pela instituição
País: Não Informado pela instituição
Palavras-chave em Português:
Link de acesso: http://hdl.handle.net/1884/30641
Resumo: Resumo: Compreender como algumas empresas superam outras em termos de desempenho é uma questão central do campo de estratégia e nos últimos anos, a Visão Baseada no Mercado - VBM e a Visão Baseada em Recursos - VBR têm dominado as pesquisas nesse campo. A primeira considera que o desempenho superior advém do posicionamento da empresa no mercado que faz com que ela possa se defender ou influenciar as forças competitivas da indústria, enquanto que a segunda afirma que a vantagem encontra-se nas estratégias adotadas, quando estas se apoiam em recursos valiosos, raros, difíceis de imitar, organizados e sem substitutos equivalentes (atributos VRIOS). Apesar da aparente disputa, alguns autores defendem tratar-se dos dois lados da mesma moeda, com a VBM explicando a vantagem do ponto de vista do mercado e a VBR do ponto de vista dos recursos e capacidades da empresa. Dessa perspectiva surgiram tentativas de integrar as duas abordagens, sendo uma das mais promissoras, através das core competences propostas por Prahalad e Hamel (1990), mas ainda pouco explorada. Os avanços das pesquisas internacionais sobre VBM e VBR dão conta que: (1) em ambientes enfrentando rápidas mudanças, os recursos têm maior potencial para explicar o desempenho; (2) a importância relativa dos recursos e fatores da indústria varia de acordo com o setor pesquisado; e (3) os recursos intangíveis são mais importantes para explicar o desempenho em empresas de serviços do que nas de manufatura. No Brasil as pesquisas sobre VBR ainda não tem uma agenda definida e a relação entre VBR e VBM foi pouco estudada, embora existam vários estudos sobre competências e recursos ou recursos e desempenho. Não há, portanto, na literatura nacional, trabalhos teóricos ou empíricos que abordem ao mesmo tempo, as categorias: recursos, estratégias, forças da indústria, competências e vantagem competitiva. Assim, este trabalho realizou um estudo de caso de uma franquia da empresa líder do mercado de Enterprise Resource Management - ERP no Brasil, buscando compreender como a vantagem competitiva foi construída com base nas forças da indústria e nos recursos, estratégias e competências desenvolvidas. Os resultados demonstram que a vantagem da empresa foi construída com base em três estratégias principais (foco em pequenas e médias empresas, distribuição por franquias, aquisição de concorrentes), apoiadas em dez recursos, dos quais quatro com os atributos VRIOS (capacidade empreendedora dos fundadores, capacidade de traduzir a legislação em software, capacidade de integrar pessoas, exclusividade de mercado das franquias). A persistência nas estratégias fez com que a empresa desenvolvesse três competências centrais (fornecer ERPs para todas as regiões do país, fornecer ERPs para uma grande variedade de segmentos e tamanhos de empresas, fornecer ERPs que atendem a legislação fiscal/contábil) permitindo-lhe defender-se adequadamente das forças competitivas. Espera-se que estes resultados possam contribuir para o avanço das pesquisas em VBR no Brasil e a estruturação de uma agenda de pesquisa sobre o tema.
id UFPR_a06d5e95a2cc2d62d8bac48946fd36e7
oai_identifier_str oai:acervodigital.ufpr.br:1884/30641
network_acronym_str UFPR
network_name_str Repositório Institucional da UFPR
repository_id_str
spelling Matoso, Joelson ObregãoAbib, GustavoUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduaçao em Administração2013-11-27T16:55:25Z2013-11-27T16:55:25Z2013-11-27http://hdl.handle.net/1884/30641Resumo: Compreender como algumas empresas superam outras em termos de desempenho é uma questão central do campo de estratégia e nos últimos anos, a Visão Baseada no Mercado - VBM e a Visão Baseada em Recursos - VBR têm dominado as pesquisas nesse campo. A primeira considera que o desempenho superior advém do posicionamento da empresa no mercado que faz com que ela possa se defender ou influenciar as forças competitivas da indústria, enquanto que a segunda afirma que a vantagem encontra-se nas estratégias adotadas, quando estas se apoiam em recursos valiosos, raros, difíceis de imitar, organizados e sem substitutos equivalentes (atributos VRIOS). Apesar da aparente disputa, alguns autores defendem tratar-se dos dois lados da mesma moeda, com a VBM explicando a vantagem do ponto de vista do mercado e a VBR do ponto de vista dos recursos e capacidades da empresa. Dessa perspectiva surgiram tentativas de integrar as duas abordagens, sendo uma das mais promissoras, através das core competences propostas por Prahalad e Hamel (1990), mas ainda pouco explorada. Os avanços das pesquisas internacionais sobre VBM e VBR dão conta que: (1) em ambientes enfrentando rápidas mudanças, os recursos têm maior potencial para explicar o desempenho; (2) a importância relativa dos recursos e fatores da indústria varia de acordo com o setor pesquisado; e (3) os recursos intangíveis são mais importantes para explicar o desempenho em empresas de serviços do que nas de manufatura. No Brasil as pesquisas sobre VBR ainda não tem uma agenda definida e a relação entre VBR e VBM foi pouco estudada, embora existam vários estudos sobre competências e recursos ou recursos e desempenho. Não há, portanto, na literatura nacional, trabalhos teóricos ou empíricos que abordem ao mesmo tempo, as categorias: recursos, estratégias, forças da indústria, competências e vantagem competitiva. Assim, este trabalho realizou um estudo de caso de uma franquia da empresa líder do mercado de Enterprise Resource Management - ERP no Brasil, buscando compreender como a vantagem competitiva foi construída com base nas forças da indústria e nos recursos, estratégias e competências desenvolvidas. Os resultados demonstram que a vantagem da empresa foi construída com base em três estratégias principais (foco em pequenas e médias empresas, distribuição por franquias, aquisição de concorrentes), apoiadas em dez recursos, dos quais quatro com os atributos VRIOS (capacidade empreendedora dos fundadores, capacidade de traduzir a legislação em software, capacidade de integrar pessoas, exclusividade de mercado das franquias). A persistência nas estratégias fez com que a empresa desenvolvesse três competências centrais (fornecer ERPs para todas as regiões do país, fornecer ERPs para uma grande variedade de segmentos e tamanhos de empresas, fornecer ERPs que atendem a legislação fiscal/contábil) permitindo-lhe defender-se adequadamente das forças competitivas. Espera-se que estes resultados possam contribuir para o avanço das pesquisas em VBR no Brasil e a estruturação de uma agenda de pesquisa sobre o tema.application/pdfDissertaçõesVantagem competitiva no mercado de softwareinfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesisporreponame:Repositório Institucional da UFPRinstname:Universidade Federal do Paraná (UFPR)instacron:UFPRinfo:eu-repo/semantics/openAccessORIGINALR - D - JOELSON OBREGAO MATOSO.pdfapplication/pdf1778148https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/1884/30641/1/R%20-%20D%20-%20JOELSON%20OBREGAO%20MATOSO.pdf5b77e78ea4be6cc15073e7a867ca8c36MD51open accessTEXTR - D - JOELSON OBREGAO MATOSO.pdf.txtR - D - JOELSON OBREGAO MATOSO.pdf.txtExtracted Texttext/plain424642https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/1884/30641/2/R%20-%20D%20-%20JOELSON%20OBREGAO%20MATOSO.pdf.txta59a2e74150a9ccb769a401e663d1d14MD52open accessTHUMBNAILR - D - JOELSON OBREGAO MATOSO.pdf.jpgR - D - JOELSON OBREGAO MATOSO.pdf.jpgGenerated Thumbnailimage/jpeg1306https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/1884/30641/3/R%20-%20D%20-%20JOELSON%20OBREGAO%20MATOSO.pdf.jpg0517306a1d38e4bc648d10d58ac32e2fMD53open access1884/306412016-04-08 03:39:01.044open accessoai:acervodigital.ufpr.br:1884/30641Repositório de PublicaçõesPUBhttp://acervodigital.ufpr.br/oai/requestopendoar:3082016-04-08T06:39:01Repositório Institucional da UFPR - Universidade Federal do Paraná (UFPR)false
dc.title.pt_BR.fl_str_mv Vantagem competitiva no mercado de software
title Vantagem competitiva no mercado de software
spellingShingle Vantagem competitiva no mercado de software
Matoso, Joelson Obregão
Dissertações
title_short Vantagem competitiva no mercado de software
title_full Vantagem competitiva no mercado de software
title_fullStr Vantagem competitiva no mercado de software
title_full_unstemmed Vantagem competitiva no mercado de software
title_sort Vantagem competitiva no mercado de software
author Matoso, Joelson Obregão
author_facet Matoso, Joelson Obregão
author_role author
dc.contributor.other.pt_BR.fl_str_mv Abib, Gustavo
Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduaçao em Administração
dc.contributor.author.fl_str_mv Matoso, Joelson Obregão
dc.subject.por.fl_str_mv Dissertações
topic Dissertações
description Resumo: Compreender como algumas empresas superam outras em termos de desempenho é uma questão central do campo de estratégia e nos últimos anos, a Visão Baseada no Mercado - VBM e a Visão Baseada em Recursos - VBR têm dominado as pesquisas nesse campo. A primeira considera que o desempenho superior advém do posicionamento da empresa no mercado que faz com que ela possa se defender ou influenciar as forças competitivas da indústria, enquanto que a segunda afirma que a vantagem encontra-se nas estratégias adotadas, quando estas se apoiam em recursos valiosos, raros, difíceis de imitar, organizados e sem substitutos equivalentes (atributos VRIOS). Apesar da aparente disputa, alguns autores defendem tratar-se dos dois lados da mesma moeda, com a VBM explicando a vantagem do ponto de vista do mercado e a VBR do ponto de vista dos recursos e capacidades da empresa. Dessa perspectiva surgiram tentativas de integrar as duas abordagens, sendo uma das mais promissoras, através das core competences propostas por Prahalad e Hamel (1990), mas ainda pouco explorada. Os avanços das pesquisas internacionais sobre VBM e VBR dão conta que: (1) em ambientes enfrentando rápidas mudanças, os recursos têm maior potencial para explicar o desempenho; (2) a importância relativa dos recursos e fatores da indústria varia de acordo com o setor pesquisado; e (3) os recursos intangíveis são mais importantes para explicar o desempenho em empresas de serviços do que nas de manufatura. No Brasil as pesquisas sobre VBR ainda não tem uma agenda definida e a relação entre VBR e VBM foi pouco estudada, embora existam vários estudos sobre competências e recursos ou recursos e desempenho. Não há, portanto, na literatura nacional, trabalhos teóricos ou empíricos que abordem ao mesmo tempo, as categorias: recursos, estratégias, forças da indústria, competências e vantagem competitiva. Assim, este trabalho realizou um estudo de caso de uma franquia da empresa líder do mercado de Enterprise Resource Management - ERP no Brasil, buscando compreender como a vantagem competitiva foi construída com base nas forças da indústria e nos recursos, estratégias e competências desenvolvidas. Os resultados demonstram que a vantagem da empresa foi construída com base em três estratégias principais (foco em pequenas e médias empresas, distribuição por franquias, aquisição de concorrentes), apoiadas em dez recursos, dos quais quatro com os atributos VRIOS (capacidade empreendedora dos fundadores, capacidade de traduzir a legislação em software, capacidade de integrar pessoas, exclusividade de mercado das franquias). A persistência nas estratégias fez com que a empresa desenvolvesse três competências centrais (fornecer ERPs para todas as regiões do país, fornecer ERPs para uma grande variedade de segmentos e tamanhos de empresas, fornecer ERPs que atendem a legislação fiscal/contábil) permitindo-lhe defender-se adequadamente das forças competitivas. Espera-se que estes resultados possam contribuir para o avanço das pesquisas em VBR no Brasil e a estruturação de uma agenda de pesquisa sobre o tema.
publishDate 2013
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2013-11-27T16:55:25Z
dc.date.available.fl_str_mv 2013-11-27T16:55:25Z
dc.date.issued.fl_str_mv 2013-11-27
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://hdl.handle.net/1884/30641
url http://hdl.handle.net/1884/30641
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv application/pdf
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UFPR
instname:Universidade Federal do Paraná (UFPR)
instacron:UFPR
instname_str Universidade Federal do Paraná (UFPR)
instacron_str UFPR
institution UFPR
reponame_str Repositório Institucional da UFPR
collection Repositório Institucional da UFPR
bitstream.url.fl_str_mv https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/1884/30641/1/R%20-%20D%20-%20JOELSON%20OBREGAO%20MATOSO.pdf
https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/1884/30641/2/R%20-%20D%20-%20JOELSON%20OBREGAO%20MATOSO.pdf.txt
https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/1884/30641/3/R%20-%20D%20-%20JOELSON%20OBREGAO%20MATOSO.pdf.jpg
bitstream.checksum.fl_str_mv 5b77e78ea4be6cc15073e7a867ca8c36
a59a2e74150a9ccb769a401e663d1d14
0517306a1d38e4bc648d10d58ac32e2f
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv Repositório Institucional da UFPR - Universidade Federal do Paraná (UFPR)
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1801861345391411200