Sloterdijk e o lugar do homem no humanismo pós-metafísico

This work starts from the principle that the word humanism has been currently used to advocate certain behaviors or ways of acting which had been constituted for more than 2500 years, mainly in what refers to the most basic human values, which are clearly validated without any questioning. Humanism...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Santos, Luiz Roberto Alves dos
Orientador/a: Bauchwitz, Oscar Federico
Format: Tese
Language:por
Published: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Programa: Programa de Pós-Graduação em Filosofia
Department: Metafísica
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16473
Citação:SANTOS, Luiz Roberto Alves dos. Sloterdijk e o lugar do homem no humanismo pós-metafísico. 2013. 145 f. Tese (Doutorado em Metafísica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Resumo Português:O labor aqui apresentado parte do princípio de que o termo humanismo é usado hodiernamente para salvaguardar certos comportamentos ou formas de agir constituídas há mais de 2500 anos, sobretudo no que tange aos valores humanos mais básicos, os quais são axiomaticamente validados, sem quaisquer contestações. O humanismo é visto continuamente como pedra de toque da civilidade. Destarte, em 1999, o filósofo Peter Sloterdijk apresentou uma conferência na Baviera, intitulada Regras para o Parque Humano, cujo subtítulo deixava claro que se tratava de uma resposta ao texto de Martin Heidegger, Carta sobre o Humanismo, basicamente mostrando que a civilidade está estritamente vinculada à domesticação humana. Nestes termos, o presente trabalho é dividido em três capítulos. No primeiro, pretende estabelecer os fundamentos culturais e metafísicos do humanismo. No segundo capítulo, fará uma abordagem sobre aquilo que chamaremos de humanismo epistolar e seus corolários. Por fim, no terceiro capítulo, teceremos asserções teóricas à crítica heideggeriana ao humanismo e à proposta pós-humanista contemporânea; assim como a respeito da relação entre convergência midiática e antropotécnicas, esses dois elementos tomados como fundamentos antropológicos do humanismo e do pós-humanismo e entendendo a citada relação historicamente, a partir de seus pressupostos biológicos e ontológicos. Portanto, o trabalho aqui apresentado, ao tentar mapear o humanismo sob a influência teórica de Sloterdijk, distingue-se precisamente por conseguir perceber a coerência com que ele pretende diagnosticar os rumos do humanismo contemporâneo
Resumo inglês:This work starts from the principle that the word humanism has been currently used to advocate certain behaviors or ways of acting which had been constituted for more than 2500 years, mainly in what refers to the most basic human values, which are clearly validated without any questioning. Humanism has been seen continually as a stone of civility touch. Thus, in 1999, the philosopher Peter Sloterdijk presented a conference in Baviera entitled Rules for the Human Zoo, whose subtitle was clear that it dealt with an answer to Martin Heidegger s text Letter on Humanism, basically showing that civility is necessarily bound to human domestication. So, the present work is split in three chapters. The first one aims to set the cultural and metaphysical bases of humanism. The second one will adopt an approach about what we will call epistolary humanism and its corollaries. Besides, in the third chapter, we will compose theoretical statements to the Heideggerian criticism against humanism and the post humanist contemporary proposition, as well as about the anthropotechnics. We can state that these two elements are considered as anthropological fundamentals of humanism and post humanism, and by understanding their mentioned historical relationship from their biological and ontological assumptions. Therefore, this work, which has been presented here, when it tries to map humanism under the theoretical influence of Sloterdijk, it distinguishes itself precisely by realizing the coherence with which he aims at diagnosing the directions of the contemporary humanism