Avaliação prostpectiva de heparam sulfato, condroitim sulfato e ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2018
Autor(a) principal: Silva, Matheus Neves Ribeiro Da [UNIFESP]
Orientador(a): Pinhal, Maria Aparecida Da Silva [UNIFESP]
Banca de defesa: Não Informado pela instituição
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Programa de Pós-Graduação: Não Informado pela instituição
Departamento: Não Informado pela instituição
País: Não Informado pela instituição
Palavras-chave em Português:
Palavras-chave em Inglês:
Link de acesso: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=6326477
https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/53036
Resumo: O câncer de próstata no Brasil representa a neoplasia mais comum entre os homens, após o câncer de pele. Apesar de existir exames eficazes para o diagnóstico do câncer de próstata, ainda surgem discussões com relação ao método mais adequado e não invasivo para tal diagnóstico, sempre buscando métodos menos invasivos e que possam também avaliar o possível prognóstico da doença. O presente estudo teve como objetivo avaliar os níveis urinários de condroitim sulfato (CS) e heparan sulfato (HS), bem como os níveis plasmáticos de ácido hialurônico (AH), de pacientes com câncer de próstata, antes e após tratamento, comparando com indivíduos não afetados pela neoplasia. Amostras de plasma foram utilizadas para quantificar AH e de urina para dosar CS e HS de quarenta e quarto pacientes com câncer de próstata e quatorze controles (indivíduos não acometidos por câncer). Informações clínicas laboratoriais e patológicas foram correlacionados com a quantificação de glicosaminoglicanos por análise estatística. Não houve diferença nos níveis urinários de CS e HS entre os pacientes com câncer de próstata e do grupo controle. Entretanto, quando os valores de glicosaminoglicanos sulfatados (HS e CS) foram analisados em amostras de urina coletadas antes e após tratamento, foi evidenciado aumento da excreção urinária de heparam sulfato após cirurgia e diminuição da excreção de condroitim sulfato após hormonioterapia. O nível de ácido hialurônico sérico apresentou aumento significativo em pacientes com câncer de próstata (39,68 ± 30,00 ng/ml), comparado ao grupo controle (15,04 ± 7,11 ng/ml), p = 0,004. Observamos também aumento significativo de ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata de alto risco, seguindo a classificação D´Amico, comparativamente com pacientes de baixo risco (p = 0.0214). Indivíduos tratados cirurgicamente apresentaram uma redução significativa nos níveis séricos de AH (p=0,029). A quantificação de ácido hialurônico sérico representa um exame não invasivo, com possível potencial para utilização na avaliação diagnóstica e prognóstica do câncer de próstata. Estudos futuros são necessários para confirmar os resultados inéditos, porém preliminares obtidos no presente estudo.
id UFSP_e30d7aadc477d370c993973d8c4dd6c5
oai_identifier_str oai:repositorio.unifesp.br:11600/53036
network_acronym_str UFSP
network_name_str Repositório Institucional da UNIFESP
repository_id_str
spelling Silva, Matheus Neves Ribeiro Da [UNIFESP]Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)http://lattes.cnpq.br/8143551334488274http://lattes.cnpq.br/7511274763693292Pinhal, Maria Aparecida Da Silva [UNIFESP]São Paulo2020-03-25T12:10:52Z2020-03-25T12:10:52Z2018-06-28https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=6326477https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/530362018-0981.pdfO câncer de próstata no Brasil representa a neoplasia mais comum entre os homens, após o câncer de pele. Apesar de existir exames eficazes para o diagnóstico do câncer de próstata, ainda surgem discussões com relação ao método mais adequado e não invasivo para tal diagnóstico, sempre buscando métodos menos invasivos e que possam também avaliar o possível prognóstico da doença. O presente estudo teve como objetivo avaliar os níveis urinários de condroitim sulfato (CS) e heparan sulfato (HS), bem como os níveis plasmáticos de ácido hialurônico (AH), de pacientes com câncer de próstata, antes e após tratamento, comparando com indivíduos não afetados pela neoplasia. Amostras de plasma foram utilizadas para quantificar AH e de urina para dosar CS e HS de quarenta e quarto pacientes com câncer de próstata e quatorze controles (indivíduos não acometidos por câncer). Informações clínicas laboratoriais e patológicas foram correlacionados com a quantificação de glicosaminoglicanos por análise estatística. Não houve diferença nos níveis urinários de CS e HS entre os pacientes com câncer de próstata e do grupo controle. Entretanto, quando os valores de glicosaminoglicanos sulfatados (HS e CS) foram analisados em amostras de urina coletadas antes e após tratamento, foi evidenciado aumento da excreção urinária de heparam sulfato após cirurgia e diminuição da excreção de condroitim sulfato após hormonioterapia. O nível de ácido hialurônico sérico apresentou aumento significativo em pacientes com câncer de próstata (39,68 ± 30,00 ng/ml), comparado ao grupo controle (15,04 ± 7,11 ng/ml), p = 0,004. Observamos também aumento significativo de ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata de alto risco, seguindo a classificação D´Amico, comparativamente com pacientes de baixo risco (p = 0.0214). Indivíduos tratados cirurgicamente apresentaram uma redução significativa nos níveis séricos de AH (p=0,029). A quantificação de ácido hialurônico sérico representa um exame não invasivo, com possível potencial para utilização na avaliação diagnóstica e prognóstica do câncer de próstata. Estudos futuros são necessários para confirmar os resultados inéditos, porém preliminares obtidos no presente estudo.Prostate cancer in Brazil represents the most common type of cancer among men after skin cancer. Although there are effective tests for the diagnosis of prostate cancer, there are still discussions about the most appropriate and non-invasive method for such diagnosis, always looking for less invasive methods to evaluate the possible prognosis of the disease. The present study aimed to evaluate urinary levels of chondroitin sulfate (CS) and heparan sulfate (HS), as well as plasma levels of hyaluronic acid (HA) in patients with prostate cancer, before and after treatment, compared with individuals which was not affected by neoplasia. Plasma samples were used to quantify AH and urine for CS and HS quantification from forty-four patients with prostate cancer and fourteen controls (non-affected individuals). Laboratory and pathological clinical data were correlated with the quantification of glycosaminoglycans by statistical analysis. There was no difference in the urinary levels of CS and HS among patients with prostate cancer and the control group. However, sulfated glycosaminoglycans (HS and CS) were analyzed in urine samples collected before and after treatment, and an increased in urinary excretion of heparan sulfate was observed after surgery, followed by decrease in the excretion of chondroitin sulfate after hormone therapy. The level of serum hyaluronic acid showed a significant increase in patients with prostate cancer (39.68 ± 30.00 ng / ml), compared to the control group (15.04 ± 7.11 ng / ml), p = 0.004. We also observed a significant increase in hyaluronic acid in patients with high-risk of prostate cancer, following the D'Amico classification, compared to low-risk patients (p = 0.0214). Patients submitted to surgery had a significant reduction in the level of AH (p = 0.029). The quantification of serum hyaluronic acid represents a noninvasive test with potential use in the diagnostic and prognostic evaluation of prostate cancer. Future studies are essential to confirm the unprecedented but preliminary results obtained in the present study.Dados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2018)65 f.porUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)BiomarcadoresGlicosaminoglicanosCâncer de próstataBiomarkersGlycosaminoglycansProstate cancerAvaliação prostpectiva de heparam sulfato, condroitim sulfato e ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstatainfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesisMestradoinfo:eu-repo/semantics/openAccessreponame:Repositório Institucional da UNIFESPinstname:Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)instacron:UNIFESPSão Paulo, Escola Paulista de MedicinaCiências Biológicas (Biologia Molecular)Ciências BiológicasGlicobiologiaORIGINALMatheus Neves Ribeiro da Silva - A.pdfMatheus Neves Ribeiro da Silva - A.pdfDissertação de mestradoapplication/pdf748211${dspace.ui.url}/bitstream/11600/53036/1/Matheus%20Neves%20Ribeiro%20da%20Silva%20-%20A.pdf5b7282c452454027c76a22a64724d481MD51open access11600/530362023-07-03 10:09:30.518open accessoai:repositorio.unifesp.br:11600/53036Repositório InstitucionalPUBhttp://www.repositorio.unifesp.br/oai/requestopendoar:34652023-07-03T13:09:30Repositório Institucional da UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Avaliação prostpectiva de heparam sulfato, condroitim sulfato e ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata
title Avaliação prostpectiva de heparam sulfato, condroitim sulfato e ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata
spellingShingle Avaliação prostpectiva de heparam sulfato, condroitim sulfato e ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata
Silva, Matheus Neves Ribeiro Da [UNIFESP]
Biomarcadores
Glicosaminoglicanos
Câncer de próstata
Biomarkers
Glycosaminoglycans
Prostate cancer
title_short Avaliação prostpectiva de heparam sulfato, condroitim sulfato e ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata
title_full Avaliação prostpectiva de heparam sulfato, condroitim sulfato e ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata
title_fullStr Avaliação prostpectiva de heparam sulfato, condroitim sulfato e ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata
title_full_unstemmed Avaliação prostpectiva de heparam sulfato, condroitim sulfato e ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata
title_sort Avaliação prostpectiva de heparam sulfato, condroitim sulfato e ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata
author Silva, Matheus Neves Ribeiro Da [UNIFESP]
author_facet Silva, Matheus Neves Ribeiro Da [UNIFESP]
author_role author
dc.contributor.institution.pt.fl_str_mv Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.contributor.authorLattes.none.fl_str_mv http://lattes.cnpq.br/8143551334488274
dc.contributor.advisorLattes.none.fl_str_mv http://lattes.cnpq.br/7511274763693292
dc.contributor.author.fl_str_mv Silva, Matheus Neves Ribeiro Da [UNIFESP]
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Pinhal, Maria Aparecida Da Silva [UNIFESP]
contributor_str_mv Pinhal, Maria Aparecida Da Silva [UNIFESP]
dc.subject.por.fl_str_mv Biomarcadores
Glicosaminoglicanos
Câncer de próstata
topic Biomarcadores
Glicosaminoglicanos
Câncer de próstata
Biomarkers
Glycosaminoglycans
Prostate cancer
dc.subject.eng.fl_str_mv Biomarkers
Glycosaminoglycans
Prostate cancer
description O câncer de próstata no Brasil representa a neoplasia mais comum entre os homens, após o câncer de pele. Apesar de existir exames eficazes para o diagnóstico do câncer de próstata, ainda surgem discussões com relação ao método mais adequado e não invasivo para tal diagnóstico, sempre buscando métodos menos invasivos e que possam também avaliar o possível prognóstico da doença. O presente estudo teve como objetivo avaliar os níveis urinários de condroitim sulfato (CS) e heparan sulfato (HS), bem como os níveis plasmáticos de ácido hialurônico (AH), de pacientes com câncer de próstata, antes e após tratamento, comparando com indivíduos não afetados pela neoplasia. Amostras de plasma foram utilizadas para quantificar AH e de urina para dosar CS e HS de quarenta e quarto pacientes com câncer de próstata e quatorze controles (indivíduos não acometidos por câncer). Informações clínicas laboratoriais e patológicas foram correlacionados com a quantificação de glicosaminoglicanos por análise estatística. Não houve diferença nos níveis urinários de CS e HS entre os pacientes com câncer de próstata e do grupo controle. Entretanto, quando os valores de glicosaminoglicanos sulfatados (HS e CS) foram analisados em amostras de urina coletadas antes e após tratamento, foi evidenciado aumento da excreção urinária de heparam sulfato após cirurgia e diminuição da excreção de condroitim sulfato após hormonioterapia. O nível de ácido hialurônico sérico apresentou aumento significativo em pacientes com câncer de próstata (39,68 ± 30,00 ng/ml), comparado ao grupo controle (15,04 ± 7,11 ng/ml), p = 0,004. Observamos também aumento significativo de ácido hialurônico em pacientes com câncer de próstata de alto risco, seguindo a classificação D´Amico, comparativamente com pacientes de baixo risco (p = 0.0214). Indivíduos tratados cirurgicamente apresentaram uma redução significativa nos níveis séricos de AH (p=0,029). A quantificação de ácido hialurônico sérico representa um exame não invasivo, com possível potencial para utilização na avaliação diagnóstica e prognóstica do câncer de próstata. Estudos futuros são necessários para confirmar os resultados inéditos, porém preliminares obtidos no presente estudo.
publishDate 2018
dc.date.issued.fl_str_mv 2018-06-28
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2020-03-25T12:10:52Z
dc.date.available.fl_str_mv 2020-03-25T12:10:52Z
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.pt.fl_str_mv https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=6326477
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/53036
dc.identifier.file.none.fl_str_mv 2018-0981.pdf
url https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=6326477
https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/53036
identifier_str_mv 2018-0981.pdf
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv 65 f.
dc.coverage.spatial.none.fl_str_mv São Paulo
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UNIFESP
instname:Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
instacron:UNIFESP
instname_str Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
instacron_str UNIFESP
institution UNIFESP
reponame_str Repositório Institucional da UNIFESP
collection Repositório Institucional da UNIFESP
bitstream.url.fl_str_mv ${dspace.ui.url}/bitstream/11600/53036/1/Matheus%20Neves%20Ribeiro%20da%20Silva%20-%20A.pdf
bitstream.checksum.fl_str_mv 5b7282c452454027c76a22a64724d481
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
repository.name.fl_str_mv Repositório Institucional da UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1802764467712294912