Regras alimentares : um estudo sobre a orientação da consciência moral na infância e adolescência

Desde o nascimento somos submetidos a regras alimentares, mas muito pouco conhecemos sobre o desenvolvimento do sujeito moral neste sentido. Criamos normas para comer e pronunciamos discursos sobre alimentação saudável, mas fundamentamos insuficientemente os juízos que as crianças e adolescentes faz...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2019
Main Author: Blanco, Vanessa Just
Orientador/a: Eichler, Marcelo Leandro
Format: Dissertação
Language:por
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://hdl.handle.net/10183/189600
Resumo Português:Desde o nascimento somos submetidos a regras alimentares, mas muito pouco conhecemos sobre o desenvolvimento do sujeito moral neste sentido. Criamos normas para comer e pronunciamos discursos sobre alimentação saudável, mas fundamentamos insuficientemente os juízos que as crianças e adolescentes fazem dessas informações, como as explicam, se vinculam e se utilizam dessas. Por conta disso, nesta pesquisa, procurou-se compreender como se desenvolve o juízo moral no universo das regras alimentares, a fim de explicar especificamente como se orienta a consciência moral de crianças e adolescentes. Promoveu-se um estudo de casos múltiplos incorporados a fim de traçarmos um panorama evolutivo sobre o tema. Criou-se quatro instrumentos de coleta de dados, envolvendo tanto tarefas práticas de seleção de alimentos e indicação de critérios sensoriais quanto questionamentos mediante entrevista semi-estruturada. A pesquisa contou com dezenove participantes de escolas públicas e privadas nos municípios de Canoas e Porto Alegre/RS. Embasou-se esta pesquisa em estudos de Jean Piaget e Lawrence Kohlberg. Constatou-se a existência de quatro estados de orientação da consciência moral: 1) moral da submissão; 2) moral hedônica; 3) moral das expectativas e 4) moral do saudável. Compreendeu-se que os progressos na orientação da consciência moral são fruto de processos de tomada de consciência e que há necessidade de momentos de desequilibração do sujeito, os quais podem ocorrer, por exemplo, mediante questionamento das motivações e consequências de regras alimentares, para que se consiga tender aos poucos para uma consciência mais autônoma em termos de escolhas alimentares. Contudo, uma lacuna ainda precisa ser sanado em futuros estudos por conta de nem sempre as enunciações coincidirem com as ações morais, sendo demandadas mais pesquisas sobre a motivação para ação, contribuindo, assim, para que mudanças em prol de condutas alimentares mais saudáveis se tornem verdadeiramente efetivas.
Resumo inglês:Since birth we are subject to dietary rules, but very little is known about moral development of subject in this sense. We create norms for eating and we pronounce speeches about health eating, but we base insufficiently the judgments that children make on this information, how they explain it, bind to it and use it. Therefore, in this research, we sought to understand how moral judgment develops in the universe of dietary rules, in order to explain specifically how the moral conscience of children and adolescents is oriented. An incorporated multiple-case study was promoted in order to draw an evolutionary panorama on the subject. Four data collection instruments were created, involving both practical tasks of food selection and indication of sensory criteria as well as questioning through a semi-structured interview. The survey counted on nineteen participants from public and private schools in the cities of Canoas and Porto Alegre/RS. This research was based on studies of Jean Piaget and Lawrence Kohlberg. It was verified the existence of four states of orientation of the moral conscience: 1) moral of submission; 2) moral of hedonism; 3) moral of expectations; 4) moral of healthy. It was understood that progress in the orientation of moral conscience is the result of a process of grasp of consciousness and that there is a need for moments of unbalance of the subject, which can occur, for example, by questioning the motivations and consequences of dietary rules, so that we can tend towards a more autonomous consciousness in terms of food choices. However, a gap still needs to be clarified in future studies because statements do not always coincide with moral actions, and more research on motivation for action is required, thus contributing to changes in favor of healthier eating behaviors to it become truly effective.