Avaliação de várias concentrações de flúor na formação óssea ectópica em ratos jovens e velhos

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2005
Autor(a) principal: Juliane Guimarães de Carvalho
Orientador(a): Marilia Afonso Rabelo Buzalaf
Banca de defesa: Gerson Francisco de Assis, Alberto Carlos Botazzo Delbem
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Odontologia (Estomatologia e Biologia Oral)
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/D.25.2005.tde-05092005-170501
Resumo: O presente trabalho avaliou as concentrações de 0 (controle), 5, 15 e 50 ppm de flúor na água na indução ectópica de osso em ratos jovens (90dias) e velhos (365 dias). Para tanto, 80 ratos Wistar, sendo 40 com 90 dias e 40 com 365 dias receberam implantes de matriz óssea alógena desmineralizada. Depois de 28 dias, os animais foram mortos e os implantes radiografados e analisados morfometricamente. Também foram obtidas amostras do fêmur e plasma dos animais, para análise de flúor com o eletrodo. A análise de flúor na superfície do fêmur foi feita pelo método direto e no fêmur e no plasma foi feita após difusão facilitada por HMDS. Os dados foram analisados por ANOVA e teste de Tukey, teste t e regressão linear (p<0,05). A concentração média (±DP) de F no plasma (µg/mL) para os ratos de 90 dias foi de 0,025±0,002a, 0,037±0,007ab, 0,057±0,011b, 0,145±0,029c, na superfície do fêmur (µg/g) foi de 564±122a, 961±357ab, 1415±546bc, 3194±502c e no fêmur(µg/g) foi de 207±21a, 481±76a, 1217±188b, 2735±355c, para as concentrações de 0(controle), 5, 15 e 50 ppm, respectivamente . Para os ratos de 365 dias, a concentração de flúor no plasma (µg/mL) foi de 0,031±0,003a, 0,045±0,010ab, 0,063±0,016b, 0,118±0,026c, na superfície do fêmur (µg/g) foi de 675±120a, 1298±426ab, 2140±681bc, 3870±843c e no fêmur (µg/g) foi de 694±152a, 1376±583b, 1732±564b, 4494±343c. Houve correlação positiva da quantidade de flúor presente entre o plasma e a superfície do fêmur (r = 0,89; p<0,0001 e r = 0,87; p<0,0001), plasma e o fêmur (r = 0,91; p<0,0001 e r = 0,82; p<0,0001) e entre a superfície do fêmur e fêmur (r = 0,99; p<0,0001 e r = 0,84; p<0,0001) para os ratos de 90 e 365 dias respectivamente. A análise morfométrica revelou uma maior formação óssea para os ratos jovens, que receberam 5 ppm F na água de beber, embora não tenha havido significância, enquanto houve um prejuízo significante na formação óssea para aqueles que receberam 50 ppm F. Para os ratos velhos, não houve diferença significante entre os subgrupos. As observações radiológicas confirmaram os achados morfométricos. Os resultados sugerem que o flúor em pequenas doses na água de beber tem efeito anabólico na formação óssea em ratos, mas isto só acontece em animais jovens.
id USP_18615df5db009b436644c88248dec119
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05092005-170501
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesis Avaliação de várias concentrações de flúor na formação óssea ectópica em ratos jovens e velhos Effects of various fluoride concentrations on ectopic bone formation in young and old rats 2005-02-25Marilia Afonso Rabelo BuzalafGerson Francisco de AssisAlberto Carlos Botazzo DelbemJuliane Guimarães de CarvalhoUniversidade de São PauloOdontologia (Estomatologia e Biologia Oral)USPBR flúor formação óssea de animal ratos O presente trabalho avaliou as concentrações de 0 (controle), 5, 15 e 50 ppm de flúor na água na indução ectópica de osso em ratos jovens (90dias) e velhos (365 dias). Para tanto, 80 ratos Wistar, sendo 40 com 90 dias e 40 com 365 dias receberam implantes de matriz óssea alógena desmineralizada. Depois de 28 dias, os animais foram mortos e os implantes radiografados e analisados morfometricamente. Também foram obtidas amostras do fêmur e plasma dos animais, para análise de flúor com o eletrodo. A análise de flúor na superfície do fêmur foi feita pelo método direto e no fêmur e no plasma foi feita após difusão facilitada por HMDS. Os dados foram analisados por ANOVA e teste de Tukey, teste t e regressão linear (p<0,05). A concentração média (±DP) de F no plasma (µg/mL) para os ratos de 90 dias foi de 0,025±0,002a, 0,037±0,007ab, 0,057±0,011b, 0,145±0,029c, na superfície do fêmur (µg/g) foi de 564±122a, 961±357ab, 1415±546bc, 3194±502c e no fêmur(µg/g) foi de 207±21a, 481±76a, 1217±188b, 2735±355c, para as concentrações de 0(controle), 5, 15 e 50 ppm, respectivamente . Para os ratos de 365 dias, a concentração de flúor no plasma (µg/mL) foi de 0,031±0,003a, 0,045±0,010ab, 0,063±0,016b, 0,118±0,026c, na superfície do fêmur (µg/g) foi de 675±120a, 1298±426ab, 2140±681bc, 3870±843c e no fêmur (µg/g) foi de 694±152a, 1376±583b, 1732±564b, 4494±343c. Houve correlação positiva da quantidade de flúor presente entre o plasma e a superfície do fêmur (r = 0,89; p<0,0001 e r = 0,87; p<0,0001), plasma e o fêmur (r = 0,91; p<0,0001 e r = 0,82; p<0,0001) e entre a superfície do fêmur e fêmur (r = 0,99; p<0,0001 e r = 0,84; p<0,0001) para os ratos de 90 e 365 dias respectivamente. A análise morfométrica revelou uma maior formação óssea para os ratos jovens, que receberam 5 ppm F na água de beber, embora não tenha havido significância, enquanto houve um prejuízo significante na formação óssea para aqueles que receberam 50 ppm F. Para os ratos velhos, não houve diferença significante entre os subgrupos. As observações radiológicas confirmaram os achados morfométricos. Os resultados sugerem que o flúor em pequenas doses na água de beber tem efeito anabólico na formação óssea em ratos, mas isto só acontece em animais jovens. This study evaluated the effects of various fluoride (F) concentrations (0, 5, 15 and 50 ppm) on ectopic bone formation in young and old rats. Eighty male Wistar rats were received as weanlings and were assigned to 4 groups (n=20/gr), which differed according to the F concentration they received in the drinking water. Groups 1, 2, 3 and 4 received water containing 0(control), 5, 15 and 50 mg F/L, respectively. When half of the rats were 90 days old, demineralized bone was implanted. The animals were killed 28 days after and implant, plasma and femur were collected. The other rats received demineralized bone matrix implants when they were 365 days old and were also killed 28 days after. The femur surface was analyzed for F with the ion-specific electrode. The femur ash and the plasma were analyzed for F with the ion specific electrode, following HMDSfacilitated diffusion. The implants were analysed by histomorphometry and radiography. Data were tested for statistically significant differences by ANOVA and Tukey´s test, t test and linear regression (p<0.05). Mean plasma F concentrations (µg/mL) for 90-day-old rats were 0.025±0.002a, 0.037±0.007ab, 0.057±0.011b and 0.145±0.029c, femur surface F concentrations (µg/g) were 564 ±122a, 961±357ab, 1415±546bc and 3194±502c and femur F concentrations (µg/g) were 207±21a, 481±76a, 1217±188b and 2735±355c, for groups 1, 2, 3 and 4 respectively. For 365 -day-old rats, plasma (µg/mL) F concentrations were 0.031±0.003a, 0.045±0.010ab, 0.063±0.016b and 0.118±0.026c, femur surface F concentration (µg/g) were 675±120a, 1298±426ab, 2140±681bc and 3870±843c and femur F concentrations (µg/g) were 694±152a, 1376±583b, 1732±564b and 4494±343c respectively. Significant positive correlations were found between plasma and femur surface(r=0.89; p<0.0001 F and r=0.87; p<0.0001), plasma and femur (r=0.91; p<0.0001 and r=0.82; p<0.0001) and femur surface and femur (r=0.92; p<0.0001 and r=0.84; p<0.0001) for 90 and 365 day old rats respectively. The morphometric analyses indicated an increase in bone formation for younger rats that received 5 ppm F in the drinking water but this was not statistically significant. The younger rats that received 50 ppm F showed a significant impairment on the bone formation. The bone formation was not significantly different among the older rats. The results suggest that lower doses of fluoride in the drinking water may have an anabolic effects on bone formation in younger rats. https://doi.org/10.11606/D.25.2005.tde-05092005-170501info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:34Zoai:teses.usp.br:tde-05092005-170501Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212016-07-28T16:09:49Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Avaliação de várias concentrações de flúor na formação óssea ectópica em ratos jovens e velhos
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Effects of various fluoride concentrations on ectopic bone formation in young and old rats
title Avaliação de várias concentrações de flúor na formação óssea ectópica em ratos jovens e velhos
spellingShingle Avaliação de várias concentrações de flúor na formação óssea ectópica em ratos jovens e velhos
Juliane Guimarães de Carvalho
title_short Avaliação de várias concentrações de flúor na formação óssea ectópica em ratos jovens e velhos
title_full Avaliação de várias concentrações de flúor na formação óssea ectópica em ratos jovens e velhos
title_fullStr Avaliação de várias concentrações de flúor na formação óssea ectópica em ratos jovens e velhos
title_full_unstemmed Avaliação de várias concentrações de flúor na formação óssea ectópica em ratos jovens e velhos
title_sort Avaliação de várias concentrações de flúor na formação óssea ectópica em ratos jovens e velhos
author Juliane Guimarães de Carvalho
author_facet Juliane Guimarães de Carvalho
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Marilia Afonso Rabelo Buzalaf
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Gerson Francisco de Assis
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Alberto Carlos Botazzo Delbem
dc.contributor.author.fl_str_mv Juliane Guimarães de Carvalho
contributor_str_mv Marilia Afonso Rabelo Buzalaf
Gerson Francisco de Assis
Alberto Carlos Botazzo Delbem
description O presente trabalho avaliou as concentrações de 0 (controle), 5, 15 e 50 ppm de flúor na água na indução ectópica de osso em ratos jovens (90dias) e velhos (365 dias). Para tanto, 80 ratos Wistar, sendo 40 com 90 dias e 40 com 365 dias receberam implantes de matriz óssea alógena desmineralizada. Depois de 28 dias, os animais foram mortos e os implantes radiografados e analisados morfometricamente. Também foram obtidas amostras do fêmur e plasma dos animais, para análise de flúor com o eletrodo. A análise de flúor na superfície do fêmur foi feita pelo método direto e no fêmur e no plasma foi feita após difusão facilitada por HMDS. Os dados foram analisados por ANOVA e teste de Tukey, teste t e regressão linear (p<0,05). A concentração média (±DP) de F no plasma (µg/mL) para os ratos de 90 dias foi de 0,025±0,002a, 0,037±0,007ab, 0,057±0,011b, 0,145±0,029c, na superfície do fêmur (µg/g) foi de 564±122a, 961±357ab, 1415±546bc, 3194±502c e no fêmur(µg/g) foi de 207±21a, 481±76a, 1217±188b, 2735±355c, para as concentrações de 0(controle), 5, 15 e 50 ppm, respectivamente . Para os ratos de 365 dias, a concentração de flúor no plasma (µg/mL) foi de 0,031±0,003a, 0,045±0,010ab, 0,063±0,016b, 0,118±0,026c, na superfície do fêmur (µg/g) foi de 675±120a, 1298±426ab, 2140±681bc, 3870±843c e no fêmur (µg/g) foi de 694±152a, 1376±583b, 1732±564b, 4494±343c. Houve correlação positiva da quantidade de flúor presente entre o plasma e a superfície do fêmur (r = 0,89; p<0,0001 e r = 0,87; p<0,0001), plasma e o fêmur (r = 0,91; p<0,0001 e r = 0,82; p<0,0001) e entre a superfície do fêmur e fêmur (r = 0,99; p<0,0001 e r = 0,84; p<0,0001) para os ratos de 90 e 365 dias respectivamente. A análise morfométrica revelou uma maior formação óssea para os ratos jovens, que receberam 5 ppm F na água de beber, embora não tenha havido significância, enquanto houve um prejuízo significante na formação óssea para aqueles que receberam 50 ppm F. Para os ratos velhos, não houve diferença significante entre os subgrupos. As observações radiológicas confirmaram os achados morfométricos. Os resultados sugerem que o flúor em pequenas doses na água de beber tem efeito anabólico na formação óssea em ratos, mas isto só acontece em animais jovens.
publishDate 2005
dc.date.issued.fl_str_mv 2005-02-25
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/D.25.2005.tde-05092005-170501
url https://doi.org/10.11606/D.25.2005.tde-05092005-170501
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Odontologia (Estomatologia e Biologia Oral)
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376583450198016