Modelização e pensée sauvage na prática composicional

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2019
Autor(a) principal: Yuri Sizuo Kimizuka
Orientador(a): Silvio Ferraz Mello Filho
Banca de defesa: Sergio Kafejian Cardoso Franco, Luigi Antonio Monteiro Lobaro Irlandini, Tadeu Moraes Taffarello
Tipo de documento: Tese
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Música
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/T.27.2019.tde-05092019-115527
Resumo: A presente tese está dividida em três partes, cada uma contemplando um aspecto distinto que foi desenvolvido ao longo do trabalho de pesquisa; e, que se completa no anexo I, através do conjunto de partituras. A primeira trata inicialmente de modelização, seus princípios e aplicações na CAC1 - no caso, OpenMusic - onde foram desenvolvidos os patches e implementado o conceito de composição de modelos. Como ponto de partida para a criação de padrões foi escolhida a modulação de anel, a qual é abordada em vários sentidos, dentre os quais: harmônico, timbrístico e, algorítmico. O conceito de Diamorfose, que diz respeito a transição entre materiais, encerra este conteúdo dedicado às questões mais ligadas a computação. Téchné refere-se efetivamente à escrita composicional, mais especificamente àquela que foi desenvolvida pelos compositores que antecederam o estudo e escrita desse trabalho. O subtítulo \"L\'artisan merveilleux\", é uma alusão ao \"L\'artisan Furieux\" (Le Marteau sans Maître). O \"Artesão maravilhoso\" é mais que um jogo de palavras, propõe o compositor como artífice da criação, o artista que sabe esculpir o tempo para revelar a música. Aqui, trata-se de observar como os compositores resolveram determinados problemas, ou ainda, como fizeram uso de recursos - como a modulação de anel - dentre outros processos composicionais; destacando principalmente as contribuições de Olivier Messiaen, Claude Vivier, e Tristan Murail. A segunda parte propõe a ideia da pensée sauvage como elemento estruturante na composição. Este conceito funciona como um pendant em relação a primeira parte, uma maneira de se pensar na criação a partir daquilo que o antropólogo Claude Lévi-Strauss identificou em diversas culturas, e aqui será denominado por pensée sauvage, em referência ao título do livro de Lévi-Strauss. Através deste conceito se faz possível olhar para o lado - outras culturas - e além, para um passado muito remoto, pré-histórico. Essa conexão surgiu, inicialmente, com a proposição de Olivier Messiaen de que os pássaros seriam remanescentes de animais pré-históricos, e mais recentemente de pesquisas realizadas que apontam para a relação entre a bioacústica e arte. Nesse sentido, verifica-se que o pensamento mítico na composição é também uma maneira criar um sistema de relações que permite manipular os sons dos pássaros desde a sua observação, modelização e, reescrita. A terceira parte traz os memoriais de composição de quatro peças compostas ao longo da pesquisa. Nesses memoriais são analisados os processos de criação, suas implicações teóricas e práticas em relação ao que foi desenvolvido nas duas partes anteriores. Como este trabalho traz para o universo do pensamento musical diversos elementos provenientes da matemática, física, do estudo dos mitos, optei por uma apresentação didática desses, apesar de tais elementos serem constantemente presentes nos escritos sobre a música, como por exemplo nos textos dos compositores espectralistas, como Dufourt, Murail e Grisey; na escrita sobre o mito, na música em François-Bernard Mâche, nas referências aos pássaros em Messiaen. Acredito que a retomada de conceitos e noções gerais deve ser feita de maneira concomitante às novas contribuições no escopo de uma tese que problematiza confluências teóricas sob o ponto de vista da composição.
id USP_1ba923a9d419820b5793ee4144dcd5dd
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05092019-115527
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesis Modelização e pensée sauvage na prática composicional Model and pensée sauvage in the compocitional practice 2019-06-13Silvio Ferraz Mello FilhoSergio Kafejian Cardoso FrancoLuigi Antonio Monteiro Lobaro IrlandiniTadeu Moraes TaffarelloYuri Sizuo KimizukaUniversidade de São PauloMúsicaUSPBR Birds Bricolage Bricolage Composição de modelos Model Composition Modulação em anel Pássaros Pensée sauvage Pensée sauvage Ring Modulation A presente tese está dividida em três partes, cada uma contemplando um aspecto distinto que foi desenvolvido ao longo do trabalho de pesquisa; e, que se completa no anexo I, através do conjunto de partituras. A primeira trata inicialmente de modelização, seus princípios e aplicações na CAC1 - no caso, OpenMusic - onde foram desenvolvidos os patches e implementado o conceito de composição de modelos. Como ponto de partida para a criação de padrões foi escolhida a modulação de anel, a qual é abordada em vários sentidos, dentre os quais: harmônico, timbrístico e, algorítmico. O conceito de Diamorfose, que diz respeito a transição entre materiais, encerra este conteúdo dedicado às questões mais ligadas a computação. Téchné refere-se efetivamente à escrita composicional, mais especificamente àquela que foi desenvolvida pelos compositores que antecederam o estudo e escrita desse trabalho. O subtítulo \"L\'artisan merveilleux\", é uma alusão ao \"L\'artisan Furieux\" (Le Marteau sans Maître). O \"Artesão maravilhoso\" é mais que um jogo de palavras, propõe o compositor como artífice da criação, o artista que sabe esculpir o tempo para revelar a música. Aqui, trata-se de observar como os compositores resolveram determinados problemas, ou ainda, como fizeram uso de recursos - como a modulação de anel - dentre outros processos composicionais; destacando principalmente as contribuições de Olivier Messiaen, Claude Vivier, e Tristan Murail. A segunda parte propõe a ideia da pensée sauvage como elemento estruturante na composição. Este conceito funciona como um pendant em relação a primeira parte, uma maneira de se pensar na criação a partir daquilo que o antropólogo Claude Lévi-Strauss identificou em diversas culturas, e aqui será denominado por pensée sauvage, em referência ao título do livro de Lévi-Strauss. Através deste conceito se faz possível olhar para o lado - outras culturas - e além, para um passado muito remoto, pré-histórico. Essa conexão surgiu, inicialmente, com a proposição de Olivier Messiaen de que os pássaros seriam remanescentes de animais pré-históricos, e mais recentemente de pesquisas realizadas que apontam para a relação entre a bioacústica e arte. Nesse sentido, verifica-se que o pensamento mítico na composição é também uma maneira criar um sistema de relações que permite manipular os sons dos pássaros desde a sua observação, modelização e, reescrita. A terceira parte traz os memoriais de composição de quatro peças compostas ao longo da pesquisa. Nesses memoriais são analisados os processos de criação, suas implicações teóricas e práticas em relação ao que foi desenvolvido nas duas partes anteriores. Como este trabalho traz para o universo do pensamento musical diversos elementos provenientes da matemática, física, do estudo dos mitos, optei por uma apresentação didática desses, apesar de tais elementos serem constantemente presentes nos escritos sobre a música, como por exemplo nos textos dos compositores espectralistas, como Dufourt, Murail e Grisey; na escrita sobre o mito, na música em François-Bernard Mâche, nas referências aos pássaros em Messiaen. Acredito que a retomada de conceitos e noções gerais deve ser feita de maneira concomitante às novas contribuições no escopo de uma tese que problematiza confluências teóricas sob o ponto de vista da composição. This dissertation is divided into three parts, each one considering a distinct aspect developed throughout the research, complemented with the Annex I which contains a set of scores. The first part is about modeling, its principles and applications in CAC - in this case, OpenMusic - where the patches were developed and the model composition concept implemented. The ring modulation was chosen as base for the generation of patterns. This kind of modulation is approached in several senses, among which: harmonic, timbre and, algorithmic. The second part in this chapter is called Diamorphosis, and refers to the transition between materials transformation. Téchné refers to compositional craftsmanship inherited from composers who preceded the study and writing of that work. The subtitle \"L\'artisan merveilleux\" is an allusion to \"L\'artisan Furieux\" (Le Marteau sans Maître). More than a pun, the \"Wonderful Craftsman\" proposes the composer as an artifice of creation, the artist who knows how to sculpt the time to reveal the music. Here, it is a question of observing how the composers solved certain problems, or how they used the resources - like ring modulation - among other compositional processes; specially the contributions of Olivier Messiaen, Claude Vivier, and Tristan Murail. The second part proposes the idea of pensée sauvage as structuring element in the composition. This concept works as a pendant to the first part, it is a kind of thinking about creation from what the anthropologist Claude Lévi-Strauss identified in various cultures, and here it will be called by pensée sauvage, in reference to the title of the book of Lévi-Strauss. Through this concept it is possible to observe - other cultures - and beyond, toward a very remote age - prehistory. This connection arose, initially, with Olivier Messiaen\'s proposition that birds would be remnants of prehistoric animals, and most recently of researches that point to the relationship between bioacoustics and art. In this sense the mythical reasoning in the composition works as way to implement a structure allowing to manipulate the sounds of the birds from its observation, modeling and, rewriting. The third part brings the compositional memorials of four pieces composed throughout the research. In these memorials are analyzed their creation processes, as well the theoretical and practical implications related to what was developed in the two previous parts. As this dissertation brings to the musical universe concepts from mathematics, physics, the study of myths, I chose a didactic presentation of these, although such elements have been constantly present in the writings on music, for instance on the texts of spectral composers such as Dufourt, Murail and Grisey; as well concerning about myth, in François-Bernard Mâche, and those about birds in Messiaen. Therefore I believe that the resumption of concepts and general notions should be made concomitantly with the new contributions in the scope of a dissertation as it problematizes all these theoretical confluences from the point of view of composition. https://doi.org/10.11606/T.27.2019.tde-05092019-115527info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:46Zoai:teses.usp.br:tde-05092019-115527Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212019-11-08T20:37:10Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Modelização e pensée sauvage na prática composicional
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Model and pensée sauvage in the compocitional practice
title Modelização e pensée sauvage na prática composicional
spellingShingle Modelização e pensée sauvage na prática composicional
Yuri Sizuo Kimizuka
title_short Modelização e pensée sauvage na prática composicional
title_full Modelização e pensée sauvage na prática composicional
title_fullStr Modelização e pensée sauvage na prática composicional
title_full_unstemmed Modelização e pensée sauvage na prática composicional
title_sort Modelização e pensée sauvage na prática composicional
author Yuri Sizuo Kimizuka
author_facet Yuri Sizuo Kimizuka
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Silvio Ferraz Mello Filho
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Sergio Kafejian Cardoso Franco
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Luigi Antonio Monteiro Lobaro Irlandini
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Tadeu Moraes Taffarello
dc.contributor.author.fl_str_mv Yuri Sizuo Kimizuka
contributor_str_mv Silvio Ferraz Mello Filho
Sergio Kafejian Cardoso Franco
Luigi Antonio Monteiro Lobaro Irlandini
Tadeu Moraes Taffarello
description A presente tese está dividida em três partes, cada uma contemplando um aspecto distinto que foi desenvolvido ao longo do trabalho de pesquisa; e, que se completa no anexo I, através do conjunto de partituras. A primeira trata inicialmente de modelização, seus princípios e aplicações na CAC1 - no caso, OpenMusic - onde foram desenvolvidos os patches e implementado o conceito de composição de modelos. Como ponto de partida para a criação de padrões foi escolhida a modulação de anel, a qual é abordada em vários sentidos, dentre os quais: harmônico, timbrístico e, algorítmico. O conceito de Diamorfose, que diz respeito a transição entre materiais, encerra este conteúdo dedicado às questões mais ligadas a computação. Téchné refere-se efetivamente à escrita composicional, mais especificamente àquela que foi desenvolvida pelos compositores que antecederam o estudo e escrita desse trabalho. O subtítulo \"L\'artisan merveilleux\", é uma alusão ao \"L\'artisan Furieux\" (Le Marteau sans Maître). O \"Artesão maravilhoso\" é mais que um jogo de palavras, propõe o compositor como artífice da criação, o artista que sabe esculpir o tempo para revelar a música. Aqui, trata-se de observar como os compositores resolveram determinados problemas, ou ainda, como fizeram uso de recursos - como a modulação de anel - dentre outros processos composicionais; destacando principalmente as contribuições de Olivier Messiaen, Claude Vivier, e Tristan Murail. A segunda parte propõe a ideia da pensée sauvage como elemento estruturante na composição. Este conceito funciona como um pendant em relação a primeira parte, uma maneira de se pensar na criação a partir daquilo que o antropólogo Claude Lévi-Strauss identificou em diversas culturas, e aqui será denominado por pensée sauvage, em referência ao título do livro de Lévi-Strauss. Através deste conceito se faz possível olhar para o lado - outras culturas - e além, para um passado muito remoto, pré-histórico. Essa conexão surgiu, inicialmente, com a proposição de Olivier Messiaen de que os pássaros seriam remanescentes de animais pré-históricos, e mais recentemente de pesquisas realizadas que apontam para a relação entre a bioacústica e arte. Nesse sentido, verifica-se que o pensamento mítico na composição é também uma maneira criar um sistema de relações que permite manipular os sons dos pássaros desde a sua observação, modelização e, reescrita. A terceira parte traz os memoriais de composição de quatro peças compostas ao longo da pesquisa. Nesses memoriais são analisados os processos de criação, suas implicações teóricas e práticas em relação ao que foi desenvolvido nas duas partes anteriores. Como este trabalho traz para o universo do pensamento musical diversos elementos provenientes da matemática, física, do estudo dos mitos, optei por uma apresentação didática desses, apesar de tais elementos serem constantemente presentes nos escritos sobre a música, como por exemplo nos textos dos compositores espectralistas, como Dufourt, Murail e Grisey; na escrita sobre o mito, na música em François-Bernard Mâche, nas referências aos pássaros em Messiaen. Acredito que a retomada de conceitos e noções gerais deve ser feita de maneira concomitante às novas contribuições no escopo de uma tese que problematiza confluências teóricas sob o ponto de vista da composição.
publishDate 2019
dc.date.issued.fl_str_mv 2019-06-13
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/T.27.2019.tde-05092019-115527
url https://doi.org/10.11606/T.27.2019.tde-05092019-115527
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Música
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376584948613120