Avaliação da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos no interior do estado do Amazonas, utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2020
Autor(a) principal: Jose Emerson dos Santos Souza
Orientador(a): Nivaldo Alonso
Banca de defesa: Leonardo Pessoa Cavalcante, Cleinaldo de Almeida Costa, Erasmo Simao da Silva
Tipo de documento: Tese
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Anestesiologia
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/T.5.2020.tde-05082021-123553
Resumo: INTRODUÇÃO: No estado do Amazonas, metade da população vive em Manaus e a grande maioria dos serviços de saúde com capacidade adequada e especializada para o atendimento efetivo e resolutivo dos pacientes se encontra também na capital. Essa diferença pode ser atribuída parcialmente à geografia do Amazonas, que dificulta o acesso das populações rurais à Manaus. O acesso à cirurgia, uma parte indispensável da assistência médica, é crítico. Mais de 90% dos cirurgiões, anestesistas e ginecologistas/obstetras do estado vivem em Manaus. A Comissão Lancet de Cirurgia Global (LCGS) descreve sua visão sobre acesso universal à cirurgia e anestesia seguras e estabelece que financiamentos são essenciais para a sua viabilidade. Dada a particularidade da situação geográfica e social do Amazonas, acreditamos que a aplicação de ferramentas de avaliação hospitalar nos hospitais do interior do estado possa identificar os principais fatores relacionados à qualidade de assistência a cuidados cirúrgicos nessas localidades. OBJETIVOS: Realizar uma análise quantitativa da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos do interior do estado do Amazonas, avaliar o sistema cirúrgico no interior do estado do Amazonas utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar, composto por um quadro de cinco domínios para análise, avaliar a capacidade de coleta confiável de dados quantitativos usando uma Ferramenta de Avaliação Hospitalar, avaliar o sistema cirúrgico de acordo com a estrutura do planejamento cirúrgico e identificar áreas com prioridade para a melhoria do sistema, conforme determinado por profissionais locais. MÉTODOS: Este é um estudo quantitativo prospectivo transversal que consistiu em um projeto de três fases - pesquisa no banco de dados do DataSus, trabalho de campo e análise/tabulação de dados. Foram incluídos no estudo todos os hospitais que informaram, no banco de dados do DataSus, ter realizado algum procedimento cirúrgico no ano de 2015. As cidades que não registraram nenhum procedimento cirúrgico foram excluídas do estudo, bem como a capital Manaus. Uma ferramenta de avaliação hospitalar, desenvolvida pelo Programa de Cirurgia Global e Mudança Social e pela Organização Mundial de Saúde, foi modificada e aplicada em cada hospital por meio de um questionário. A análise quantitativa continha 5 domínios, sendo eles infraestrutura, força de trabalho, prestação de serviço, financiamento e manejo de informação. RESULTADOS: 18 hospitais foram pesquisados. A infraestrutura era geralmente adequada para realizar a cirurgia, embora 9 (50%) dos hospitais não tivessem acesso à Internet. Três Hospitais não tinham salas de cirurgia e 12 (66%) têm 1-2 salas. Anestesia geral inalatória foi disponibilizada em 12 (66,7%) hospitais, porém 13 (77,8%) não possuíam nenhum dispositivo de ventilação mecânica. 16 (88%) hospitais relataram a capacidade de transfundir sangue quando necessário. Nenhum hospital tinha acesso a equipamentos de tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Mais da metade (55,6%) não possui uma unidade específica de sala de recuperaçnao pós anestésica (SRPA). Seis (33%) hospitais nunca têm um profissional anestesista disponível. Um total de 32 cirurgiões, anestesiologistas e ginecologistas / obstetras (SAO) prestaram serviços nos hospitais pesquisados, o que representa uma densidade de trabalhadores de 6,43 SAO / 100.000 habitantes. CONCLUSÕES: Populações que vivem em áreas rurais no Brasil enfrentam disparidades significativas no acesso à assistência cirúrgica, apesar do país possuir um sistema de saúde que oferece cobertura universal. O estado do Amazonas, com suas peculiaridades sociodemográficas, demonstra claramente estas diferenças no acesso a cuidados cirúrgicos. O desenvolvimento de um plano estadual para a implantação da cirurgia é necessário para garantir o acesso à assistência cirúrgica para as populações rurais no Brasil
id USP_5f1a485f57e72943ba6357fe0d79490c
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05082021-123553
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesis Avaliação da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos no interior do estado do Amazonas, utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar Evaluation of the installed surgical capacity of public hospitals in the interior of the state of Amazonas, using a hospital assessment tool 2020-12-15Nivaldo AlonsoLeonardo Pessoa CavalcanteCleinaldo de Almeida CostaErasmo Simao da SilvaJose Emerson dos Santos SouzaUniversidade de São PauloAnestesiologiaUSPBR Avaliação do impacto na saúde Capacidade cirúrgica Cirurgia global Controle de qualidade Global surgery Health impact assessment, Indicators (statistics) Indicadores (estatística) Operating rooms Quality control Safety Salas cirúrgicas Segurança Sistemas cirúrgicos Surgical capacity Surgical systems INTRODUÇÃO: No estado do Amazonas, metade da população vive em Manaus e a grande maioria dos serviços de saúde com capacidade adequada e especializada para o atendimento efetivo e resolutivo dos pacientes se encontra também na capital. Essa diferença pode ser atribuída parcialmente à geografia do Amazonas, que dificulta o acesso das populações rurais à Manaus. O acesso à cirurgia, uma parte indispensável da assistência médica, é crítico. Mais de 90% dos cirurgiões, anestesistas e ginecologistas/obstetras do estado vivem em Manaus. A Comissão Lancet de Cirurgia Global (LCGS) descreve sua visão sobre acesso universal à cirurgia e anestesia seguras e estabelece que financiamentos são essenciais para a sua viabilidade. Dada a particularidade da situação geográfica e social do Amazonas, acreditamos que a aplicação de ferramentas de avaliação hospitalar nos hospitais do interior do estado possa identificar os principais fatores relacionados à qualidade de assistência a cuidados cirúrgicos nessas localidades. OBJETIVOS: Realizar uma análise quantitativa da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos do interior do estado do Amazonas, avaliar o sistema cirúrgico no interior do estado do Amazonas utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar, composto por um quadro de cinco domínios para análise, avaliar a capacidade de coleta confiável de dados quantitativos usando uma Ferramenta de Avaliação Hospitalar, avaliar o sistema cirúrgico de acordo com a estrutura do planejamento cirúrgico e identificar áreas com prioridade para a melhoria do sistema, conforme determinado por profissionais locais. MÉTODOS: Este é um estudo quantitativo prospectivo transversal que consistiu em um projeto de três fases - pesquisa no banco de dados do DataSus, trabalho de campo e análise/tabulação de dados. Foram incluídos no estudo todos os hospitais que informaram, no banco de dados do DataSus, ter realizado algum procedimento cirúrgico no ano de 2015. As cidades que não registraram nenhum procedimento cirúrgico foram excluídas do estudo, bem como a capital Manaus. Uma ferramenta de avaliação hospitalar, desenvolvida pelo Programa de Cirurgia Global e Mudança Social e pela Organização Mundial de Saúde, foi modificada e aplicada em cada hospital por meio de um questionário. A análise quantitativa continha 5 domínios, sendo eles infraestrutura, força de trabalho, prestação de serviço, financiamento e manejo de informação. RESULTADOS: 18 hospitais foram pesquisados. A infraestrutura era geralmente adequada para realizar a cirurgia, embora 9 (50%) dos hospitais não tivessem acesso à Internet. Três Hospitais não tinham salas de cirurgia e 12 (66%) têm 1-2 salas. Anestesia geral inalatória foi disponibilizada em 12 (66,7%) hospitais, porém 13 (77,8%) não possuíam nenhum dispositivo de ventilação mecânica. 16 (88%) hospitais relataram a capacidade de transfundir sangue quando necessário. Nenhum hospital tinha acesso a equipamentos de tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Mais da metade (55,6%) não possui uma unidade específica de sala de recuperaçnao pós anestésica (SRPA). Seis (33%) hospitais nunca têm um profissional anestesista disponível. Um total de 32 cirurgiões, anestesiologistas e ginecologistas / obstetras (SAO) prestaram serviços nos hospitais pesquisados, o que representa uma densidade de trabalhadores de 6,43 SAO / 100.000 habitantes. CONCLUSÕES: Populações que vivem em áreas rurais no Brasil enfrentam disparidades significativas no acesso à assistência cirúrgica, apesar do país possuir um sistema de saúde que oferece cobertura universal. O estado do Amazonas, com suas peculiaridades sociodemográficas, demonstra claramente estas diferenças no acesso a cuidados cirúrgicos. O desenvolvimento de um plano estadual para a implantação da cirurgia é necessário para garantir o acesso à assistência cirúrgica para as populações rurais no Brasil INTRODUCTION: In the state of Amazonas, half the population lives in Manaus and the vast majority of health services with adequate and specialized capacity for the effective and resolving care of patients are also located in the capital. This difference can be partially attributed to the geography of Amazonas, which makes it difficult for rural populations to access Manaus. Access to surgery, an indispensable part of health care, is critical. More than 90% of the state\'s surgeons, anesthetists and gynecologists / obstetricians live in Manaus. The Lancet Commission on Global Surgery outlines its vision for universal access to safe surgery and anesthesia and establishes that funding is essential to its viability. Given the particularity of the geographic and social situation in Amazonas, we believe that the application of hospital assessment tools in hospitals in the interior of the state can identify the main factors related to the quality of surgical care assistance in these locations. OBJECTIVES: To carry out a quantitative analysis of the installed surgical capacity of public hospitals in the interior of the state of Amazonas, to evaluate the surgical system in the interior of the state of Amazonas using a hospital evaluation tool, composed of a framework of five domains for analysis, to evaluate the capacity of reliable collection of quantitative data using a Hospital Assessment Tool, assess the surgical system according to the structure of the surgical planning and identify areas with priority for the improvement of the system, as determined by local professionals. METHODS: This is a prospective cross-sectional quantitative study that consisted of a three-phase project - research in the DataSus database, fieldwork and data analysis / tabulation. The study included all hospitals that reported, in the DataSus database, that they had undergone a surgical procedure in 2015. Cities that did not register any surgical procedures were excluded from the study, as well as the capital Manaus. A hospital assessment tool (HAT), developed by the Global Surgery and Social Change Program and the World Health Organization, was modified and applied in each hospital through a questionnaire. The quantitative analysis contained 5 domains, namely infrastructure, workforce, service provision, financing and information management. RESULTS: 18 hospitals were surveyed. Infrastructure was generally adequate for surgery, although 9 (50%) of the hospitals did not have access to the Internet. Three Hospitals had no operating rooms and 12 (66%) had 1-2 rooms. General inhalation anesthesia was available in 12 (66.7%) hospitals, but 13 (77.8%) did not have any mechanical ventilation devices. 16 (88%) hospitals reported the ability to transfuse blood when needed. No hospital had access to CT or magnetic resonance imaging equipment. More than half (55.6%) do not have a specific post anesthetic care unit (PACU). A total of 32 surgeons, anesthesiologists and gynecologists / obstetricians (SAO) provided services in the hospitals surveyed, representing a density of workers of 6.43 SAO / 100,000 inhabitants. CONCLUSION: Populations living in rural areas in Brazil face significant disparities in access to surgical care, despite the country having a health system that offers universal coverage. The state of Amazonas, with its sociodemographic peculiarities, clearly demonstrates these differences in access to adequate surgical care. The development of a state plan for the implantation of surgery is necessary to guarantee access to surgical assistance for rural populations in Brazil https://doi.org/10.11606/T.5.2020.tde-05082021-123553info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:29Zoai:teses.usp.br:tde-05082021-123553Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212021-08-05T16:07:02Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Avaliação da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos no interior do estado do Amazonas, utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Evaluation of the installed surgical capacity of public hospitals in the interior of the state of Amazonas, using a hospital assessment tool
title Avaliação da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos no interior do estado do Amazonas, utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar
spellingShingle Avaliação da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos no interior do estado do Amazonas, utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar
Jose Emerson dos Santos Souza
title_short Avaliação da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos no interior do estado do Amazonas, utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar
title_full Avaliação da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos no interior do estado do Amazonas, utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar
title_fullStr Avaliação da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos no interior do estado do Amazonas, utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar
title_full_unstemmed Avaliação da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos no interior do estado do Amazonas, utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar
title_sort Avaliação da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos no interior do estado do Amazonas, utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar
author Jose Emerson dos Santos Souza
author_facet Jose Emerson dos Santos Souza
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Nivaldo Alonso
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Leonardo Pessoa Cavalcante
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Cleinaldo de Almeida Costa
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Erasmo Simao da Silva
dc.contributor.author.fl_str_mv Jose Emerson dos Santos Souza
contributor_str_mv Nivaldo Alonso
Leonardo Pessoa Cavalcante
Cleinaldo de Almeida Costa
Erasmo Simao da Silva
description INTRODUÇÃO: No estado do Amazonas, metade da população vive em Manaus e a grande maioria dos serviços de saúde com capacidade adequada e especializada para o atendimento efetivo e resolutivo dos pacientes se encontra também na capital. Essa diferença pode ser atribuída parcialmente à geografia do Amazonas, que dificulta o acesso das populações rurais à Manaus. O acesso à cirurgia, uma parte indispensável da assistência médica, é crítico. Mais de 90% dos cirurgiões, anestesistas e ginecologistas/obstetras do estado vivem em Manaus. A Comissão Lancet de Cirurgia Global (LCGS) descreve sua visão sobre acesso universal à cirurgia e anestesia seguras e estabelece que financiamentos são essenciais para a sua viabilidade. Dada a particularidade da situação geográfica e social do Amazonas, acreditamos que a aplicação de ferramentas de avaliação hospitalar nos hospitais do interior do estado possa identificar os principais fatores relacionados à qualidade de assistência a cuidados cirúrgicos nessas localidades. OBJETIVOS: Realizar uma análise quantitativa da capacidade cirúrgica instalada dos hospitais públicos do interior do estado do Amazonas, avaliar o sistema cirúrgico no interior do estado do Amazonas utilizando uma ferramenta de avaliação hospitalar, composto por um quadro de cinco domínios para análise, avaliar a capacidade de coleta confiável de dados quantitativos usando uma Ferramenta de Avaliação Hospitalar, avaliar o sistema cirúrgico de acordo com a estrutura do planejamento cirúrgico e identificar áreas com prioridade para a melhoria do sistema, conforme determinado por profissionais locais. MÉTODOS: Este é um estudo quantitativo prospectivo transversal que consistiu em um projeto de três fases - pesquisa no banco de dados do DataSus, trabalho de campo e análise/tabulação de dados. Foram incluídos no estudo todos os hospitais que informaram, no banco de dados do DataSus, ter realizado algum procedimento cirúrgico no ano de 2015. As cidades que não registraram nenhum procedimento cirúrgico foram excluídas do estudo, bem como a capital Manaus. Uma ferramenta de avaliação hospitalar, desenvolvida pelo Programa de Cirurgia Global e Mudança Social e pela Organização Mundial de Saúde, foi modificada e aplicada em cada hospital por meio de um questionário. A análise quantitativa continha 5 domínios, sendo eles infraestrutura, força de trabalho, prestação de serviço, financiamento e manejo de informação. RESULTADOS: 18 hospitais foram pesquisados. A infraestrutura era geralmente adequada para realizar a cirurgia, embora 9 (50%) dos hospitais não tivessem acesso à Internet. Três Hospitais não tinham salas de cirurgia e 12 (66%) têm 1-2 salas. Anestesia geral inalatória foi disponibilizada em 12 (66,7%) hospitais, porém 13 (77,8%) não possuíam nenhum dispositivo de ventilação mecânica. 16 (88%) hospitais relataram a capacidade de transfundir sangue quando necessário. Nenhum hospital tinha acesso a equipamentos de tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Mais da metade (55,6%) não possui uma unidade específica de sala de recuperaçnao pós anestésica (SRPA). Seis (33%) hospitais nunca têm um profissional anestesista disponível. Um total de 32 cirurgiões, anestesiologistas e ginecologistas / obstetras (SAO) prestaram serviços nos hospitais pesquisados, o que representa uma densidade de trabalhadores de 6,43 SAO / 100.000 habitantes. CONCLUSÕES: Populações que vivem em áreas rurais no Brasil enfrentam disparidades significativas no acesso à assistência cirúrgica, apesar do país possuir um sistema de saúde que oferece cobertura universal. O estado do Amazonas, com suas peculiaridades sociodemográficas, demonstra claramente estas diferenças no acesso a cuidados cirúrgicos. O desenvolvimento de um plano estadual para a implantação da cirurgia é necessário para garantir o acesso à assistência cirúrgica para as populações rurais no Brasil
publishDate 2020
dc.date.issued.fl_str_mv 2020-12-15
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/T.5.2020.tde-05082021-123553
url https://doi.org/10.11606/T.5.2020.tde-05082021-123553
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Anestesiologia
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376583249920000