Filologia e discurso na correspondência oficial do Morgado de Mateus: edição de documentos administrativos e estudo das marcas de avaliatividade

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2015
Autor(a) principal: Renata Ferreira Munhoz
Orientador(a): Sílvio de Almeida Toledo Neto
Banca de defesa: Heloisa Liberalli Bellotto, Adriana Angelita da Conceição, Paulo Roberto Gonçalves Segundo, Fábio Cesar Montanheiro
Tipo de documento: Tese
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Filologia e Língua Portuguesa
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/T.8.2015.tde-22122015-124218
Resumo: Esta tese parte da função substantiva da Filologia ao realizar a transcrição semidiplomática de cem documentos oficiais setecentistas chancelados no período de 1765 a 1775. Esse conjunto contempla exemplares da documentação administrativa ascendente (ativa) e descendente (passiva) do Governador e Capitão-General da capitania de São Paulo, o Morgado de Mateus. O Morgado de Mateus é ora autor, ora interlocutor da Coroa Portuguesa, personificada na autoridade superior do Rei Dom José, que é representado pelo ministro do Reino, o Conde de Oeiras (posteriormente, Marquês de Pombal) e por dois secretários do Reino, Francisco Xavier de Mendonça Furtado e Martinho de Melo e Castro. Com base nas funções filológica, adjetiva e transcendente, analisam-se os documentos do corpus com o apoio das ciências auxiliares da Filologia: a Codicologia, a Crítica Textual, a Diplomática e a Paleografia. A partir dessas abordagens, retratam-se padrões de diferenciação de ordem codicológica, diplomática e paleográfica entre os documentos ativos e os passivos. A oposição entre documentos ativos e passivos (ou ascendentes e descendentes) também se estabelece em nível textual. Para a identificação de diferentes padrões discursivos no corpus, partimos de pressupostos da Linguística Sistêmico-Funcional (LSF), prescrita por Halliday e Matthiessen (2004), que considera a língua como uma rede de sistemas capaz de produzir significados de acordo com o contexto em que é utilizada. A língua, concebida como um sistema aberto e dinâmico orientado para a ação e para a reflexão, é empregada tanto para construir e comunicar as experiências humanas quanto para a negociação das relações interpessoais envolvidas na comunicação, cumprindo as duas metafunções ideacional e interpessoal. Complementar a elas, a metafunção textual seria a codificação dos textos, como processos de significação da língua, produzidos em relação a um dado contexto de ordem situacional e sociocultural. A importância atribuída ao contexto pela LSF acrescenta o viés da contextualização histórica às análises da construção e da estruturação discursivo-textual do corpus. Em tais análises destaca-se a metafunção interpessoal por meio das marcas linguísticas indicativas de valoração. Por conta desses destaques, adota-se a Teoria da Avaliatividade postulada por Martin e White (2005). Dessa forma, apoiadas as análises em pressupostos teórico-metodológicos que permitem um refinamento analítico nos subsistemas da Atitude, da Gradação e do Engajamento, reiteraram-se as distinções entre os eixos ascendente e descendente do corpus. Para aprofundar as análises, classificaram-se os documentos, tendo-se em vista o tipo de negociação intersubjetiva almejado. Em acréscimo ao levantamento dos recursos avaliativos pelos quais se vislumbram aspectos da intersubjetividade e da ideologia em voga, mapeiam-se as fórmulas inerentes à documentação oficial administrativa. A associação das perspectivas filológica e discursiva adotadas visam a comprovar a hipótese central desta tese, que é a seguinte: a correspondência oficial analisada apresenta diferentes padrões filológicos e discursivos, condicionados por fatores socioculturais e linguísticos que incidem sobre quem escreve e sobre quem controla a escrita desses documentos.
id USP_8d5c6277978676b288d8f29379d77985
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-22122015-124218
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesis Filologia e discurso na correspondência oficial do Morgado de Mateus: edição de documentos administrativos e estudo das marcas de avaliatividade Philology and Discourse in the official correspondence of the Morgado de Mateus: the edition of administrative manuscripts and the Appraisal analysis 2015-09-30Sílvio de Almeida Toledo NetoHeloisa Liberalli BellottoAdriana Angelita da ConceiçãoPaulo Roberto Gonçalves SegundoFábio Cesar MontanheiroRenata Ferreira MunhozUniversidade de São PauloFilologia e Língua PortuguesaUSPBR Appraisal Avaliatividade Correspondências oficiais Discourse Discurso Eighteenth-century manuscripts Filologia Manuscritos setecentistas Official correspondence Philology Esta tese parte da função substantiva da Filologia ao realizar a transcrição semidiplomática de cem documentos oficiais setecentistas chancelados no período de 1765 a 1775. Esse conjunto contempla exemplares da documentação administrativa ascendente (ativa) e descendente (passiva) do Governador e Capitão-General da capitania de São Paulo, o Morgado de Mateus. O Morgado de Mateus é ora autor, ora interlocutor da Coroa Portuguesa, personificada na autoridade superior do Rei Dom José, que é representado pelo ministro do Reino, o Conde de Oeiras (posteriormente, Marquês de Pombal) e por dois secretários do Reino, Francisco Xavier de Mendonça Furtado e Martinho de Melo e Castro. Com base nas funções filológica, adjetiva e transcendente, analisam-se os documentos do corpus com o apoio das ciências auxiliares da Filologia: a Codicologia, a Crítica Textual, a Diplomática e a Paleografia. A partir dessas abordagens, retratam-se padrões de diferenciação de ordem codicológica, diplomática e paleográfica entre os documentos ativos e os passivos. A oposição entre documentos ativos e passivos (ou ascendentes e descendentes) também se estabelece em nível textual. Para a identificação de diferentes padrões discursivos no corpus, partimos de pressupostos da Linguística Sistêmico-Funcional (LSF), prescrita por Halliday e Matthiessen (2004), que considera a língua como uma rede de sistemas capaz de produzir significados de acordo com o contexto em que é utilizada. A língua, concebida como um sistema aberto e dinâmico orientado para a ação e para a reflexão, é empregada tanto para construir e comunicar as experiências humanas quanto para a negociação das relações interpessoais envolvidas na comunicação, cumprindo as duas metafunções ideacional e interpessoal. Complementar a elas, a metafunção textual seria a codificação dos textos, como processos de significação da língua, produzidos em relação a um dado contexto de ordem situacional e sociocultural. A importância atribuída ao contexto pela LSF acrescenta o viés da contextualização histórica às análises da construção e da estruturação discursivo-textual do corpus. Em tais análises destaca-se a metafunção interpessoal por meio das marcas linguísticas indicativas de valoração. Por conta desses destaques, adota-se a Teoria da Avaliatividade postulada por Martin e White (2005). Dessa forma, apoiadas as análises em pressupostos teórico-metodológicos que permitem um refinamento analítico nos subsistemas da Atitude, da Gradação e do Engajamento, reiteraram-se as distinções entre os eixos ascendente e descendente do corpus. Para aprofundar as análises, classificaram-se os documentos, tendo-se em vista o tipo de negociação intersubjetiva almejado. Em acréscimo ao levantamento dos recursos avaliativos pelos quais se vislumbram aspectos da intersubjetividade e da ideologia em voga, mapeiam-se as fórmulas inerentes à documentação oficial administrativa. A associação das perspectivas filológica e discursiva adotadas visam a comprovar a hipótese central desta tese, que é a seguinte: a correspondência oficial analisada apresenta diferentes padrões filológicos e discursivos, condicionados por fatores socioculturais e linguísticos que incidem sobre quem escreve e sobre quem controla a escrita desses documentos. This doctoral dissertation deals with the substantive function of Philology by performing the semidiplomatic transcription of 100 eighteenth-century official documents registered by the chancelleries within the period from 1765 to 1775. This range of official handwritten documents covers examples of the administrative documentation as much the ascendant type (active) as the descendant type (passive) of the governor and captain-general of the captaincy of São Paulo, the Morgado de Mateus. The Morgado de Mateus figures as the author in the active documents and in the passive ones as the interlocutor of the Portuguese Kingdom, which is personified by the superior authority of the King Joseph I. The king is represented by the minister of the Kingdom, the Count of Oeiras (posteriorly, the Marquis of Pombal) and its two secretaries, Francisco Xavier de Mendonça Furtado and Martinho de Melo e Castro. The analysis of the corpus is developed on the basis of the philological, adjective and transcendent functions and supported by the light of auxiliary sciences of Philology: the Codicology, the Textual Criticism, the Diplomatic and the Paleography. Patterns of differentiation of codicologic, diplomatic and paleographic order depict from this sort of approach among the active and passive documents. The opposition between the active and the passive documents (or ascendant and descendant) is also established at the discursive level. The main theoretical premises behind the attempt of identifying different discursive patterns from the corpus are those of the Systemic-Functional Linguistic shared by Halliday and Matthiessen (2004), which consider the language as a web of systems capable of producing significance according to the context in which it is used. The language assumed as an open and dynamic system oriented to the acting and the thinking is employed as much in order to build and communicate human experiences as to negotiate interpersonal relationships involved in communication, accomplishing both metafunctions, ideational and interpersonal. The textual metafunction, as a complement to these, is to be the codification of the texts, as processes of significance in language produced in relation to a given context of situational and sociocultural order. The importance attached to the context by the Systemic-Functional Linguistic designs the lines of historical contextualization to the analysis of the discursive-textual construction and structuring of the corpus. On these grounds, the analysis evidences the interpersonal metafunction by means of the linguistics marks indicating valuation. This study adopts the Appraisal Theory postulated by Martin and White (2005) for the reason of these evidences. In this way, analysis based on theoretic-methodological premises that allow the analytical refining of the subsystems of Attitude, Graduation and Engagement reaffirmed the distinctiveness between the ascendant and the descendant axles of the corpus. Aiming the deepening of the present studies, the documents are classified according to the type of intersubjective negotiation targeted. In addition to the collecting of evaluative resources, by which we envisioned some aspects of the trending intersubjectivity and ideology, this work presents a mapping of the formula inherent to the administrative official documentation. From the outcome of our investigation, carried out through the association of the philological and the discursive perspective, it is provided confirmatory evidence to prove the central hypothesis of this work: the official correspondence analyzed demonstrates the existence of different philological and discursive patterns that are conditioned by factors from sociocultural and linguistic order affecting who writes the documents and also who controls the writing of these sort of papers. https://doi.org/10.11606/T.8.2015.tde-22122015-124218info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T19:55:50Zoai:teses.usp.br:tde-22122015-124218Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212016-07-28T16:11:58Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Filologia e discurso na correspondência oficial do Morgado de Mateus: edição de documentos administrativos e estudo das marcas de avaliatividade
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Philology and Discourse in the official correspondence of the Morgado de Mateus: the edition of administrative manuscripts and the Appraisal analysis
title Filologia e discurso na correspondência oficial do Morgado de Mateus: edição de documentos administrativos e estudo das marcas de avaliatividade
spellingShingle Filologia e discurso na correspondência oficial do Morgado de Mateus: edição de documentos administrativos e estudo das marcas de avaliatividade
Renata Ferreira Munhoz
title_short Filologia e discurso na correspondência oficial do Morgado de Mateus: edição de documentos administrativos e estudo das marcas de avaliatividade
title_full Filologia e discurso na correspondência oficial do Morgado de Mateus: edição de documentos administrativos e estudo das marcas de avaliatividade
title_fullStr Filologia e discurso na correspondência oficial do Morgado de Mateus: edição de documentos administrativos e estudo das marcas de avaliatividade
title_full_unstemmed Filologia e discurso na correspondência oficial do Morgado de Mateus: edição de documentos administrativos e estudo das marcas de avaliatividade
title_sort Filologia e discurso na correspondência oficial do Morgado de Mateus: edição de documentos administrativos e estudo das marcas de avaliatividade
author Renata Ferreira Munhoz
author_facet Renata Ferreira Munhoz
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Sílvio de Almeida Toledo Neto
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Heloisa Liberalli Bellotto
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Adriana Angelita da Conceição
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Paulo Roberto Gonçalves Segundo
dc.contributor.referee4.fl_str_mv Fábio Cesar Montanheiro
dc.contributor.author.fl_str_mv Renata Ferreira Munhoz
contributor_str_mv Sílvio de Almeida Toledo Neto
Heloisa Liberalli Bellotto
Adriana Angelita da Conceição
Paulo Roberto Gonçalves Segundo
Fábio Cesar Montanheiro
description Esta tese parte da função substantiva da Filologia ao realizar a transcrição semidiplomática de cem documentos oficiais setecentistas chancelados no período de 1765 a 1775. Esse conjunto contempla exemplares da documentação administrativa ascendente (ativa) e descendente (passiva) do Governador e Capitão-General da capitania de São Paulo, o Morgado de Mateus. O Morgado de Mateus é ora autor, ora interlocutor da Coroa Portuguesa, personificada na autoridade superior do Rei Dom José, que é representado pelo ministro do Reino, o Conde de Oeiras (posteriormente, Marquês de Pombal) e por dois secretários do Reino, Francisco Xavier de Mendonça Furtado e Martinho de Melo e Castro. Com base nas funções filológica, adjetiva e transcendente, analisam-se os documentos do corpus com o apoio das ciências auxiliares da Filologia: a Codicologia, a Crítica Textual, a Diplomática e a Paleografia. A partir dessas abordagens, retratam-se padrões de diferenciação de ordem codicológica, diplomática e paleográfica entre os documentos ativos e os passivos. A oposição entre documentos ativos e passivos (ou ascendentes e descendentes) também se estabelece em nível textual. Para a identificação de diferentes padrões discursivos no corpus, partimos de pressupostos da Linguística Sistêmico-Funcional (LSF), prescrita por Halliday e Matthiessen (2004), que considera a língua como uma rede de sistemas capaz de produzir significados de acordo com o contexto em que é utilizada. A língua, concebida como um sistema aberto e dinâmico orientado para a ação e para a reflexão, é empregada tanto para construir e comunicar as experiências humanas quanto para a negociação das relações interpessoais envolvidas na comunicação, cumprindo as duas metafunções ideacional e interpessoal. Complementar a elas, a metafunção textual seria a codificação dos textos, como processos de significação da língua, produzidos em relação a um dado contexto de ordem situacional e sociocultural. A importância atribuída ao contexto pela LSF acrescenta o viés da contextualização histórica às análises da construção e da estruturação discursivo-textual do corpus. Em tais análises destaca-se a metafunção interpessoal por meio das marcas linguísticas indicativas de valoração. Por conta desses destaques, adota-se a Teoria da Avaliatividade postulada por Martin e White (2005). Dessa forma, apoiadas as análises em pressupostos teórico-metodológicos que permitem um refinamento analítico nos subsistemas da Atitude, da Gradação e do Engajamento, reiteraram-se as distinções entre os eixos ascendente e descendente do corpus. Para aprofundar as análises, classificaram-se os documentos, tendo-se em vista o tipo de negociação intersubjetiva almejado. Em acréscimo ao levantamento dos recursos avaliativos pelos quais se vislumbram aspectos da intersubjetividade e da ideologia em voga, mapeiam-se as fórmulas inerentes à documentação oficial administrativa. A associação das perspectivas filológica e discursiva adotadas visam a comprovar a hipótese central desta tese, que é a seguinte: a correspondência oficial analisada apresenta diferentes padrões filológicos e discursivos, condicionados por fatores socioculturais e linguísticos que incidem sobre quem escreve e sobre quem controla a escrita desses documentos.
publishDate 2015
dc.date.issued.fl_str_mv 2015-09-30
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/T.8.2015.tde-22122015-124218
url https://doi.org/10.11606/T.8.2015.tde-22122015-124218
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Filologia e Língua Portuguesa
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786377074425987072