Arquitetura escolar estadual paulista: o desafio do conforto ambiental

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2011
Autor(a) principal: Roselene de Araujo Motta Ferreira Nogueira
Orientador(a): Anesia Barros Frota
Banca de defesa: Rosana Maria Caram, Denise Helena Silva Duarte
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Arquitetura e Urbanismo
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/D.16.2011.tde-05092011-111926
Resumo: As escolas estaduais paulistas são objeto de atuação da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) e contam hoje 5.247 unidades em todo o Estado. Os projetos de adequação e ampliação das escolas existentes, bem como das novas edificações, são terceirizados a escritórios de Arquitetura que coordenam a elaboração do projeto completo, cabendo à equipe da Gerência de Projetos da FDE analisar o produto para verificar o atendimento às Normas de Apresentação de Projetos e aos Catálogos Técnicos que contêm especificações de Ambientes, Mobiliário, Layout, Componentes e Serviços - às Normas Técnicas Brasileiras e à Legislação interveniente. Tais Normas de Apresentação de Projetos e Catálogos Técnicos são desenvolvidos e atualizados continuamente pela equipe técnica da FDE, também em conformidade às Normas Técnicas e à legislação, e consonantes às políticas públicas da Secretaria de Estado da Educação (SEE) que a FDE tem por missão executar. Neste contexto, as diretrizes e parâmetros que guardam alguma relação com as disciplinas de conforto ambiental, introduzidas neste conjunto até 2.008, aproximadamente, o foram de forma indireta e não sistemática ao longo da história da arquitetura escolar. Paralelamente, a premência em todo o planeta por tornar sustentáveis as ações humanas gerou dispositivos legais que obrigam à inserção destas disciplinas ao conjunto de referências para projeto. A FDE encontra-se atualmente nesta transição; diretrizes de sustentabilidade vêm sendo elaboradas para implantação a curto, médio e longo prazo e serão parte integrante dos Catálogos Técnicos ao projeto, preponderantemente por imposição legal, mas também por iniciativas pontuais internas. Desta forma, o objeto deste trabalho são os insumos de conforto ambiental como elemento para a formulação de diretrizes de projeto e de instrumentos para sua análise. O objetivo é verificar as questões de conforto ambiental que já incorporadas a projetos de escolas estaduais, estabelecendo um panorama atual como base para a futura formulação de diretrizes e sistematização de instrumentos. Como contribuição, descrevem-se as convicções acerca dos conhecimentos expostos ao longo do texto sobre a necessidade, a premência, a pertinência, a possibilidade e a viabilidade de, enfim, projetar a escola estadual paulista sob a lente do conforto ambiental.
id USP_9b7a9e67c1a8a743009a486760d7670d
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05092011-111926
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesis Arquitetura escolar estadual paulista: o desafio do conforto ambiental State schools architecture in São Paulo: the environmental comfort challenge 2011-05-04Anesia Barros FrotaRosana Maria CaramDenise Helena Silva DuarteRoselene de Araujo Motta Ferreira NogueiraUniversidade de São PauloArquitetura e UrbanismoUSPBR Architecture Arquitetura Conforto ambiental Environmental comfort Escolas Schools As escolas estaduais paulistas são objeto de atuação da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) e contam hoje 5.247 unidades em todo o Estado. Os projetos de adequação e ampliação das escolas existentes, bem como das novas edificações, são terceirizados a escritórios de Arquitetura que coordenam a elaboração do projeto completo, cabendo à equipe da Gerência de Projetos da FDE analisar o produto para verificar o atendimento às Normas de Apresentação de Projetos e aos Catálogos Técnicos que contêm especificações de Ambientes, Mobiliário, Layout, Componentes e Serviços - às Normas Técnicas Brasileiras e à Legislação interveniente. Tais Normas de Apresentação de Projetos e Catálogos Técnicos são desenvolvidos e atualizados continuamente pela equipe técnica da FDE, também em conformidade às Normas Técnicas e à legislação, e consonantes às políticas públicas da Secretaria de Estado da Educação (SEE) que a FDE tem por missão executar. Neste contexto, as diretrizes e parâmetros que guardam alguma relação com as disciplinas de conforto ambiental, introduzidas neste conjunto até 2.008, aproximadamente, o foram de forma indireta e não sistemática ao longo da história da arquitetura escolar. Paralelamente, a premência em todo o planeta por tornar sustentáveis as ações humanas gerou dispositivos legais que obrigam à inserção destas disciplinas ao conjunto de referências para projeto. A FDE encontra-se atualmente nesta transição; diretrizes de sustentabilidade vêm sendo elaboradas para implantação a curto, médio e longo prazo e serão parte integrante dos Catálogos Técnicos ao projeto, preponderantemente por imposição legal, mas também por iniciativas pontuais internas. Desta forma, o objeto deste trabalho são os insumos de conforto ambiental como elemento para a formulação de diretrizes de projeto e de instrumentos para sua análise. O objetivo é verificar as questões de conforto ambiental que já incorporadas a projetos de escolas estaduais, estabelecendo um panorama atual como base para a futura formulação de diretrizes e sistematização de instrumentos. Como contribuição, descrevem-se as convicções acerca dos conhecimentos expostos ao longo do texto sobre a necessidade, a premência, a pertinência, a possibilidade e a viabilidade de, enfim, projetar a escola estadual paulista sob a lente do conforto ambiental. State schools in São Paulo are objects of action by the Foundation for the Development of Education (FDE) and comprise today 5.247 units throughout the State of São Paulo. Designs aiming at adjusting and enlarging the existing schools, as well as those intended to build new ones are outsourced to architecture firms in charge of coordinating the production of the whole drafting, the staff of Design Management from FDE being responsible for analyzing the product so as to verify compliance with the Design Presentation Standards and the Technical Catalogues- which contain specifications as regards Rooms, Furniture, Layout, Components and Services- with Brazilian Technical Standards and with the intervening Legislation. Such Design Presentation Standards and Technical Catalogues are constantly developed and updated by FDE´s technical staff, also in accordance with the Technical Standard and the legislation, and pursuant to the public policies of the State Secretariat of Education (SEE), the performance of which stands as FDE´s purpose. In this context, the guidelines and parameters which bear any relation to the discipline of environmental comfort, introduced in this ensemble at about 2.008, were so introduced in an indirect way and not systematically along the history of school architecture. In much the same direction, the urge all over the planet to make human actions sustainable, has engendered legal provisions which require the insertion of these disciplines in the ensemble of design criteria. FDE stands at this moment in this transition; sustainability guidelines are being developed for implementation in the short, medium and long runs, and will be included in the Technical Catalogues to the design, predominantly for legal imposition, but also owing to internal punctual initiatives. Thus, the object of this study are the inputs of environmental comfort as constitutive elements for the creation of design guidelines and of instruments to analyze the same. The study aims at examining the issues of environmental comfort already incorporated in the design of state schools, establishing a current view as a ground for the future formulation of guidelines and systematization of instruments. As a contribution, the study describes the beliefs, through the awareness displayed throughout the text, on the need, the urge, the relevance, the possibility and the feasibility of, ultimately, designing state schools in São Paulo under the perspective of environmental comfort. https://doi.org/10.11606/D.16.2011.tde-05092011-111926info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:39Zoai:teses.usp.br:tde-05092011-111926Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212016-07-28T16:10:30Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Arquitetura escolar estadual paulista: o desafio do conforto ambiental
dc.title.alternative.en.fl_str_mv State schools architecture in São Paulo: the environmental comfort challenge
title Arquitetura escolar estadual paulista: o desafio do conforto ambiental
spellingShingle Arquitetura escolar estadual paulista: o desafio do conforto ambiental
Roselene de Araujo Motta Ferreira Nogueira
title_short Arquitetura escolar estadual paulista: o desafio do conforto ambiental
title_full Arquitetura escolar estadual paulista: o desafio do conforto ambiental
title_fullStr Arquitetura escolar estadual paulista: o desafio do conforto ambiental
title_full_unstemmed Arquitetura escolar estadual paulista: o desafio do conforto ambiental
title_sort Arquitetura escolar estadual paulista: o desafio do conforto ambiental
author Roselene de Araujo Motta Ferreira Nogueira
author_facet Roselene de Araujo Motta Ferreira Nogueira
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Anesia Barros Frota
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Rosana Maria Caram
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Denise Helena Silva Duarte
dc.contributor.author.fl_str_mv Roselene de Araujo Motta Ferreira Nogueira
contributor_str_mv Anesia Barros Frota
Rosana Maria Caram
Denise Helena Silva Duarte
description As escolas estaduais paulistas são objeto de atuação da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) e contam hoje 5.247 unidades em todo o Estado. Os projetos de adequação e ampliação das escolas existentes, bem como das novas edificações, são terceirizados a escritórios de Arquitetura que coordenam a elaboração do projeto completo, cabendo à equipe da Gerência de Projetos da FDE analisar o produto para verificar o atendimento às Normas de Apresentação de Projetos e aos Catálogos Técnicos que contêm especificações de Ambientes, Mobiliário, Layout, Componentes e Serviços - às Normas Técnicas Brasileiras e à Legislação interveniente. Tais Normas de Apresentação de Projetos e Catálogos Técnicos são desenvolvidos e atualizados continuamente pela equipe técnica da FDE, também em conformidade às Normas Técnicas e à legislação, e consonantes às políticas públicas da Secretaria de Estado da Educação (SEE) que a FDE tem por missão executar. Neste contexto, as diretrizes e parâmetros que guardam alguma relação com as disciplinas de conforto ambiental, introduzidas neste conjunto até 2.008, aproximadamente, o foram de forma indireta e não sistemática ao longo da história da arquitetura escolar. Paralelamente, a premência em todo o planeta por tornar sustentáveis as ações humanas gerou dispositivos legais que obrigam à inserção destas disciplinas ao conjunto de referências para projeto. A FDE encontra-se atualmente nesta transição; diretrizes de sustentabilidade vêm sendo elaboradas para implantação a curto, médio e longo prazo e serão parte integrante dos Catálogos Técnicos ao projeto, preponderantemente por imposição legal, mas também por iniciativas pontuais internas. Desta forma, o objeto deste trabalho são os insumos de conforto ambiental como elemento para a formulação de diretrizes de projeto e de instrumentos para sua análise. O objetivo é verificar as questões de conforto ambiental que já incorporadas a projetos de escolas estaduais, estabelecendo um panorama atual como base para a futura formulação de diretrizes e sistematização de instrumentos. Como contribuição, descrevem-se as convicções acerca dos conhecimentos expostos ao longo do texto sobre a necessidade, a premência, a pertinência, a possibilidade e a viabilidade de, enfim, projetar a escola estadual paulista sob a lente do conforto ambiental.
publishDate 2011
dc.date.issued.fl_str_mv 2011-05-04
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/D.16.2011.tde-05092011-111926
url https://doi.org/10.11606/D.16.2011.tde-05092011-111926
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Arquitetura e Urbanismo
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376584044740608