"Sensor Sólido de óxido nítrico utilizando látex como matriz".

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2005
Autor(a) principal: Rondinelli Donizetti Herculano
Orientador(a): Carlos Frederico de Oliveira Graeff
Banca de defesa: Antonio Adilton Oliveira Carneiro, Debora Goncalves
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Física Aplicada à Medicina e Biologia
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/D.59.2005.tde-19072005-165001
Resumo: O óxido nítrico (NO) é um dos mais importantes radicais livres da fisiologia humana. Desde a sua descoberta, inúmeras pesquisas são realizadas com o objetivo de encontrar métodos alternativos para detecção e quantificação deste radical in vitro, in vivo e ex vivo.Este trabalho consistiu no desenvolvimento e aperfeiçoamento de um sensor de NO construído a partir de uma matriz sólida de látex. O sensor proposto baseia-se no aprisionamento do complexo ferro(II)-dietilditiocarbamato Fe+2(DETC)2, dentro da matriz sólida. Neste caso, o NO é armadilhado no FeDETC, o que permite a sua detecção. O látex foi usado como matriz sólida por ser promissor em aplicações biomédicas, pois apresenta excelentes propriedades de bio-compatibilidade e de estímulo natural a angiogênese. Para a detecção do NO, bem como para a caracterização do sensor, foi utilizada a técnica de ressonância paramagnética eletrônica (RPE), devida a sua seletividade e sensibilidade. As análises dos processos de otimização do sensor sólido envolveram as concentrações de FeCl3.6H2O e DETC, temperatura do látex, proporção de FeDETC na matriz de látex, homogeneidade da membrana, sensibilidade e reprodutibilidade do sinal de RPE. O sensor apresentou uma alta estabilidade quando observado por RPE. A detecção do NO pôde ser obtido mesmo depois de 40 dias de exposição ambiente. Ele pode ser reutilizado e é capaz de medir o NO em concentrações de até 0,1mM. Estes resultados faz do látex-FeDETC um sensor promissor de NO onde a detecção com resolução espacial pode ser atingida.
id USP_9c81090d402bac833b3e916c1571c296
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-19072005-165001
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesis "Sensor Sólido de óxido nítrico utilizando látex como matriz". Solid Sensor of Nitric Oxide using a latex matrix 2005-03-18Carlos Frederico de Oliveira GraeffAntonio Adilton Oliveira CarneiroDebora GoncalvesRondinelli Donizetti HerculanoUniversidade de São PauloFísica Aplicada à Medicina e BiologiaUSPBR aprissionamento do NO FeDETC matriz de mátex FeDETC nitric oxide sensor de óxido nítrico O óxido nítrico (NO) é um dos mais importantes radicais livres da fisiologia humana. Desde a sua descoberta, inúmeras pesquisas são realizadas com o objetivo de encontrar métodos alternativos para detecção e quantificação deste radical in vitro, in vivo e ex vivo.Este trabalho consistiu no desenvolvimento e aperfeiçoamento de um sensor de NO construído a partir de uma matriz sólida de látex. O sensor proposto baseia-se no aprisionamento do complexo ferro(II)-dietilditiocarbamato Fe+2(DETC)2, dentro da matriz sólida. Neste caso, o NO é armadilhado no FeDETC, o que permite a sua detecção. O látex foi usado como matriz sólida por ser promissor em aplicações biomédicas, pois apresenta excelentes propriedades de bio-compatibilidade e de estímulo natural a angiogênese. Para a detecção do NO, bem como para a caracterização do sensor, foi utilizada a técnica de ressonância paramagnética eletrônica (RPE), devida a sua seletividade e sensibilidade. As análises dos processos de otimização do sensor sólido envolveram as concentrações de FeCl3.6H2O e DETC, temperatura do látex, proporção de FeDETC na matriz de látex, homogeneidade da membrana, sensibilidade e reprodutibilidade do sinal de RPE. O sensor apresentou uma alta estabilidade quando observado por RPE. A detecção do NO pôde ser obtido mesmo depois de 40 dias de exposição ambiente. Ele pode ser reutilizado e é capaz de medir o NO em concentrações de até 0,1mM. Estes resultados faz do látex-FeDETC um sensor promissor de NO onde a detecção com resolução espacial pode ser atingida. Nitric oxide (NO) is one of the most important free radicals of the human physiology. Since its discovery, many efforts have been preformed in order to find alternative methods of detection and quantification for this radical in vitro, in vivo and ex vivo. In this work a NO sensor is made with a solid latex matrix was developed and improved. The proposed sensor is based on encapsulating the complex iron(II)-diethyldithiocarbamic Fe+2(DETC)2 in a solid matrix. In this case, the NO radical is trapped in FeDETC, which allows its detection. The latex was used as solid matrix due to excellent biocompatible, natural angiogenesis properties and it is a promising material to be applied in biological systems. The electron paramagnetic resonance (EPR), a selective and sensible technique, was used for the NO detection and sensor characterization. The fabrication and optimization processes was analyzed by FeCl36H2O and DETC concentrations, latex temperature, FeDETC/latex ratio, membrane homogeneity, sensitivity and reproducibility of the RPE signal. The sensor presents high stability when observed by EPR. The NO detection can be observed even after the sensor is exposed to ambient atmosphere for 40 days. It can be reused and is able to measure NO concentration of 0,1mM. These results make the latex-FeDETC a promising NO sensor. https://doi.org/10.11606/D.59.2005.tde-19072005-165001info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T19:24:56Zoai:teses.usp.br:tde-19072005-165001Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212016-07-28T16:09:49Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv "Sensor Sólido de óxido nítrico utilizando látex como matriz".
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Solid Sensor of Nitric Oxide using a latex matrix
title "Sensor Sólido de óxido nítrico utilizando látex como matriz".
spellingShingle "Sensor Sólido de óxido nítrico utilizando látex como matriz".
Rondinelli Donizetti Herculano
title_short "Sensor Sólido de óxido nítrico utilizando látex como matriz".
title_full "Sensor Sólido de óxido nítrico utilizando látex como matriz".
title_fullStr "Sensor Sólido de óxido nítrico utilizando látex como matriz".
title_full_unstemmed "Sensor Sólido de óxido nítrico utilizando látex como matriz".
title_sort "Sensor Sólido de óxido nítrico utilizando látex como matriz".
author Rondinelli Donizetti Herculano
author_facet Rondinelli Donizetti Herculano
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Carlos Frederico de Oliveira Graeff
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Antonio Adilton Oliveira Carneiro
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Debora Goncalves
dc.contributor.author.fl_str_mv Rondinelli Donizetti Herculano
contributor_str_mv Carlos Frederico de Oliveira Graeff
Antonio Adilton Oliveira Carneiro
Debora Goncalves
description O óxido nítrico (NO) é um dos mais importantes radicais livres da fisiologia humana. Desde a sua descoberta, inúmeras pesquisas são realizadas com o objetivo de encontrar métodos alternativos para detecção e quantificação deste radical in vitro, in vivo e ex vivo.Este trabalho consistiu no desenvolvimento e aperfeiçoamento de um sensor de NO construído a partir de uma matriz sólida de látex. O sensor proposto baseia-se no aprisionamento do complexo ferro(II)-dietilditiocarbamato Fe+2(DETC)2, dentro da matriz sólida. Neste caso, o NO é armadilhado no FeDETC, o que permite a sua detecção. O látex foi usado como matriz sólida por ser promissor em aplicações biomédicas, pois apresenta excelentes propriedades de bio-compatibilidade e de estímulo natural a angiogênese. Para a detecção do NO, bem como para a caracterização do sensor, foi utilizada a técnica de ressonância paramagnética eletrônica (RPE), devida a sua seletividade e sensibilidade. As análises dos processos de otimização do sensor sólido envolveram as concentrações de FeCl3.6H2O e DETC, temperatura do látex, proporção de FeDETC na matriz de látex, homogeneidade da membrana, sensibilidade e reprodutibilidade do sinal de RPE. O sensor apresentou uma alta estabilidade quando observado por RPE. A detecção do NO pôde ser obtido mesmo depois de 40 dias de exposição ambiente. Ele pode ser reutilizado e é capaz de medir o NO em concentrações de até 0,1mM. Estes resultados faz do látex-FeDETC um sensor promissor de NO onde a detecção com resolução espacial pode ser atingida.
publishDate 2005
dc.date.issued.fl_str_mv 2005-03-18
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/D.59.2005.tde-19072005-165001
url https://doi.org/10.11606/D.59.2005.tde-19072005-165001
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Física Aplicada à Medicina e Biologia
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376953183338496