Elaboração e aplicação de escala de estratificação de prioridade cirúrgica em pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2019
Autor(a) principal: Allan Hiroshi de Araujo Ono
Orientador(a): Raphael Martus Marcon
Banca de defesa: Alexandre Fogaça Cristante, Robert Meves, Arnóbio Rocha Oliveira
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Ortopedia e Traumatologia
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/D.5.2019.tde-05082019-150908
Resumo: INTRODUÇÃO: A evolução natural da escoliose idiopática do adolescente (EIA) foi extensamente estudada e já foram identificados diversos fatores que podem determinar a gravidade e a progressão da doença em diferentes populações. Apesar dos esforços, ainda não existe uma ferramenta prática que englobe conjuntamente os principais fatores que determinam a gravidade da doença. OBJETIVOS: Elaborar uma escala de pontuação simples, baseada em evidências, que apresente correlação com a qualidade de vida do paciente e que seja capaz de estratificar os pacientes com escoliose idiopática, priorizando os fatores de risco de progressão e de gravidade. MATERIAL E MÉTODOS: Foi desenvolvida, a partir de revisão narrativa da literatura, uma escala de pontuação possível de ser aplicada em todos os pacientes portadores de escoliose idiopática que se encontram em fila de espera para tratamento cirúrgico, no Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, centro de referência de tratamento da EIA do Brasil. Numa segunda etapa, foi aplicada a escala desenvolvida em conjunto com o questionário de qualidade de vida SRS30. Foram correlacionadas estatisticamente as duas escalas através do teste de Pearson, assim como os valores do Cobb, o escore obtido pela escala proposta e os domínios do questionário de qualidade de vida. RESULTADOS: Verificou-se um grupo homogêneo com relação à idade e sexo, com média de idade de 15,29 + 2,47 anos, 86,7% do sexo feminino. A média do ângulo de Cobb inicial (momento de entrada na fila) foi de 55,4 graus e a média do Cobb atual (data da análise) 74,54 graus, com evolução média de 19,12 graus. A escala desenvolvida apresentou pontuação mínima de 6 e máxima de 16 com média de 11,27. O teste de Pearson entre as escalas SSS-IOT e o ângulo de Cobb mostrou significância estatística (p = 0,005), com P=0,434 demonstrando correlação entre a escala e progressão das curvas. CONCLUSÃO: A escala proposta foi diretamente proporcional ao risco para progressão de curvas principais na escoliose idiopática do adolescente e apresentou correlação clínica com o questionário de qualidade de vida SRS-30, sendo maior seu valor de progressão correlacionado a pior qualidade de vida. Mais estudos são necessários para validação e aplicação em ampla escala da classificação
id USP_aa26179c48a0315f5392211ad227285d
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05082019-150908
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesis Elaboração e aplicação de escala de estratificação de prioridade cirúrgica em pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente Elaboration and application of stratification scale of priority to surgery in adolescent idiopathic scoliosis patients 2019-05-07Raphael Martus MarconAlexandre Fogaça CristanteRobert MevesArnóbio Rocha OliveiraAllan Hiroshi de Araujo OnoUniversidade de São PauloOrtopedia e TraumatologiaUSPBR Adolescent Adolescente Classificação Classification Escoliose Health priorities Prioridades em saúde Risco Risk Scoliosis INTRODUÇÃO: A evolução natural da escoliose idiopática do adolescente (EIA) foi extensamente estudada e já foram identificados diversos fatores que podem determinar a gravidade e a progressão da doença em diferentes populações. Apesar dos esforços, ainda não existe uma ferramenta prática que englobe conjuntamente os principais fatores que determinam a gravidade da doença. OBJETIVOS: Elaborar uma escala de pontuação simples, baseada em evidências, que apresente correlação com a qualidade de vida do paciente e que seja capaz de estratificar os pacientes com escoliose idiopática, priorizando os fatores de risco de progressão e de gravidade. MATERIAL E MÉTODOS: Foi desenvolvida, a partir de revisão narrativa da literatura, uma escala de pontuação possível de ser aplicada em todos os pacientes portadores de escoliose idiopática que se encontram em fila de espera para tratamento cirúrgico, no Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, centro de referência de tratamento da EIA do Brasil. Numa segunda etapa, foi aplicada a escala desenvolvida em conjunto com o questionário de qualidade de vida SRS30. Foram correlacionadas estatisticamente as duas escalas através do teste de Pearson, assim como os valores do Cobb, o escore obtido pela escala proposta e os domínios do questionário de qualidade de vida. RESULTADOS: Verificou-se um grupo homogêneo com relação à idade e sexo, com média de idade de 15,29 + 2,47 anos, 86,7% do sexo feminino. A média do ângulo de Cobb inicial (momento de entrada na fila) foi de 55,4 graus e a média do Cobb atual (data da análise) 74,54 graus, com evolução média de 19,12 graus. A escala desenvolvida apresentou pontuação mínima de 6 e máxima de 16 com média de 11,27. O teste de Pearson entre as escalas SSS-IOT e o ângulo de Cobb mostrou significância estatística (p = 0,005), com P=0,434 demonstrando correlação entre a escala e progressão das curvas. CONCLUSÃO: A escala proposta foi diretamente proporcional ao risco para progressão de curvas principais na escoliose idiopática do adolescente e apresentou correlação clínica com o questionário de qualidade de vida SRS-30, sendo maior seu valor de progressão correlacionado a pior qualidade de vida. Mais estudos são necessários para validação e aplicação em ampla escala da classificação INTRODUCTION: The natural evolution of adolescent idiopathic scoliosis (AIS) has been extensively studied and several factors have been identified that may determine the severity and progression of the disease in different populations. Despite efforts, there is still no practical tool that collectively encompasses the key factors that determine the severity of the disease. OBJECTIVES: To develop a simple, evidence-based score scale that correlates with the patient\'s quality of life and is capable of stratifying patients with idiopathic scoliosis, prioritizing risk factors for progression and severity. MATERIAL AND METHODS: From a literature review, a scoring scale was developed that could be applied to all patients with idiopathic scoliosis who are waiting for surgical treatment at the Orthopedic and Traumatology Institute of Clinics Hospital at Faculdade de Medicina from São Paulo University a large reference center for the treatment of AIS in Brazil. In a second step, the developed scale and the SRS30 quality of life questionnaire were applied. The two scales were statistically correlated through the Pearson correlation test, as well as the Cobb values, the score obtained by the proposed scale and the domains of the quality of life questionnaire. RESULTS: There was a homogeneous group with respect to age and sex, with a mean age of 15.29 + 2.47 years, 86.7% female. The mean Cobb angle (queue entry time) was 55.4 degrees and the current Cobb average (date of analysis) was 74.54 degrees, with an average evolution of 19.12 degrees. The developed scale had a minimum score of 6 and a maximum of 16 with an average of 11.27. The Pearson correlation test between the SSS-IOT scales and the Cobb angle showed statistical significance (p = 0.005), with a magnitude of P=0.434, demonstrating the evolutionary character of the scale. CONCLUSIONS: The proposed scale is directly proportional to the risk for progression of major curves in adolescent idiopathic scoliosis and presents a clinical correlation with the SRS-30 quality of life questionnaire, with a higher progression value is correlated with worse quality of life. More studies are needed for validation and wide-scale application of the classification https://doi.org/10.11606/D.5.2019.tde-05082019-150908info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:28Zoai:teses.usp.br:tde-05082019-150908Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212019-08-20T23:19:27Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Elaboração e aplicação de escala de estratificação de prioridade cirúrgica em pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Elaboration and application of stratification scale of priority to surgery in adolescent idiopathic scoliosis patients
title Elaboração e aplicação de escala de estratificação de prioridade cirúrgica em pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente
spellingShingle Elaboração e aplicação de escala de estratificação de prioridade cirúrgica em pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente
Allan Hiroshi de Araujo Ono
title_short Elaboração e aplicação de escala de estratificação de prioridade cirúrgica em pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente
title_full Elaboração e aplicação de escala de estratificação de prioridade cirúrgica em pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente
title_fullStr Elaboração e aplicação de escala de estratificação de prioridade cirúrgica em pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente
title_full_unstemmed Elaboração e aplicação de escala de estratificação de prioridade cirúrgica em pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente
title_sort Elaboração e aplicação de escala de estratificação de prioridade cirúrgica em pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente
author Allan Hiroshi de Araujo Ono
author_facet Allan Hiroshi de Araujo Ono
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Raphael Martus Marcon
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Alexandre Fogaça Cristante
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Robert Meves
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Arnóbio Rocha Oliveira
dc.contributor.author.fl_str_mv Allan Hiroshi de Araujo Ono
contributor_str_mv Raphael Martus Marcon
Alexandre Fogaça Cristante
Robert Meves
Arnóbio Rocha Oliveira
description INTRODUÇÃO: A evolução natural da escoliose idiopática do adolescente (EIA) foi extensamente estudada e já foram identificados diversos fatores que podem determinar a gravidade e a progressão da doença em diferentes populações. Apesar dos esforços, ainda não existe uma ferramenta prática que englobe conjuntamente os principais fatores que determinam a gravidade da doença. OBJETIVOS: Elaborar uma escala de pontuação simples, baseada em evidências, que apresente correlação com a qualidade de vida do paciente e que seja capaz de estratificar os pacientes com escoliose idiopática, priorizando os fatores de risco de progressão e de gravidade. MATERIAL E MÉTODOS: Foi desenvolvida, a partir de revisão narrativa da literatura, uma escala de pontuação possível de ser aplicada em todos os pacientes portadores de escoliose idiopática que se encontram em fila de espera para tratamento cirúrgico, no Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, centro de referência de tratamento da EIA do Brasil. Numa segunda etapa, foi aplicada a escala desenvolvida em conjunto com o questionário de qualidade de vida SRS30. Foram correlacionadas estatisticamente as duas escalas através do teste de Pearson, assim como os valores do Cobb, o escore obtido pela escala proposta e os domínios do questionário de qualidade de vida. RESULTADOS: Verificou-se um grupo homogêneo com relação à idade e sexo, com média de idade de 15,29 + 2,47 anos, 86,7% do sexo feminino. A média do ângulo de Cobb inicial (momento de entrada na fila) foi de 55,4 graus e a média do Cobb atual (data da análise) 74,54 graus, com evolução média de 19,12 graus. A escala desenvolvida apresentou pontuação mínima de 6 e máxima de 16 com média de 11,27. O teste de Pearson entre as escalas SSS-IOT e o ângulo de Cobb mostrou significância estatística (p = 0,005), com P=0,434 demonstrando correlação entre a escala e progressão das curvas. CONCLUSÃO: A escala proposta foi diretamente proporcional ao risco para progressão de curvas principais na escoliose idiopática do adolescente e apresentou correlação clínica com o questionário de qualidade de vida SRS-30, sendo maior seu valor de progressão correlacionado a pior qualidade de vida. Mais estudos são necessários para validação e aplicação em ampla escala da classificação
publishDate 2019
dc.date.issued.fl_str_mv 2019-05-07
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/D.5.2019.tde-05082019-150908
url https://doi.org/10.11606/D.5.2019.tde-05082019-150908
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Ortopedia e Traumatologia
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376582710951936