Do fordismo à produção flexível: a produção do espaço num contexto de mudança das estratégias de acumulação do capital.

O objeto do presente trabalho é uma análise da produção do espaço da indústria, privilegiando a indústria automobilística brasileira, no contexto de passagem do chamado fordismo para a produção flexível. O objetivo do trabalho é o de examinar a intrincada rede de relações entre o espaço e as estraté...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2000
Main Author: Adriano Botelho
Orientador/a: Margarida Maria de Andrade
Banca: Lea Francesconi, Jorge Luis da Silva Grespan
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade de São Paulo
Programa: Geografia (Geografia Humana)
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-22052003-224444/
Resumo Português:O objeto do presente trabalho é uma análise da produção do espaço da indústria, privilegiando a indústria automobilística brasileira, no contexto de passagem do chamado fordismo para a produção flexível. O objetivo do trabalho é o de examinar a intrincada rede de relações entre o espaço e as estratégias de produção e reprodução do capital, num contexto de transformação dessas estratégias. O espaço é considerado como um produto, mas por outro lado, também é aqui tomado como produtivo. Buscou-se, então, detectar quais são as principais mudanças (políticas, sociais, econômicas e espaciais) que ocorrem na passagem das estratégias fordistas de reprodução e acumulação do capital para as ligadas à produção flexível. E como essa passagem altera os fatores de localização industrial no território, além da própria organização das indústrias. Foi, portanto, feito um estudo de como o espaço da indústria se reorganiza a partir das transformações nas estratégias de reprodução do capital e a partir das relações deste com o Estado - dando destaque para a idéia a crescente importância do fundo público -, com o trabalho e com o espaço. Nesse processo, foi dado destaque ao estudo da indústria automobilística no Brasil, pois ela seria um exemplo paradigmático das recentes transformações no capitalismo contemporâneo, e, dada a sua importância e influência no Brasil, também um exemplo de como o espaço geográfico é produzido e reestruturado a partir de tais transformações. Para a viabilização do presente trabalho foi feita uma revisão bibliográfica de parte da literatura disponível sobre o tema, um levantamento de dados em fontes apropriadas e foram realizadas entrevistas com representantes e funcionários da Volkswagen do Brasil e com membros do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.
Resumo inglês:This work is an analysis of the production of space in the Brazilian motor car industry, involving the transition of fordism to flexible production. This study aims the examination of a complex network between space and capital’s production and reproduction strategies, including these strategies’ changes. Space is considered as a product. On the other hand, it is also considered as productive. It was sought to detect what are the main changes (political, social, economical and spatial ones) which take place in the transition from the fordist´s strategies of reproduction and accumulation of capital to the flexible production ones. It was also considered how this transition changes the industrial location factors in the territory, besides the internal industrial organization. It was, therefore, produced a study related to the industrial space reorganization that included the existing relations between capital and State (enhancing the role of the public fund), labor and space. The motor car industry in Brazil was particularly studied, as it constitutes a paradigmatic example of the recent changes in the contemporary capitalism, and due to its influence and importance in this country it is also an example of how the geographical space is produced and reorganized from such changes. A bibliographic revision about the related subject, a data search and interviews with employees from Volkswagen do Brasil and with members of the Metallurgy Workers Union from great São Paulo (Sindicato dos Metalúrgicos do ABC) were made to make this work possible.