Fernando Haddad

'' |sucessor = |título2 = 51.º Prefeito de São Paulo |mandato2 =
a |vice_título2 = Vice-prefeita |vice2 = Nádia Campeão |antes2 = Gilberto Kassab |depois2 = João Doria |título3 = 45.º Ministro da Educação do Brasil |mandato3 =
a |vice3 = Luiz Inácio Lula da Silva
Dilma Rousseff |vice_título3 = Presidentes |antes3 = Tarso Genro |depois3 = Aloizio Mercadante |nome_comp = Fernando Haddad |nascimento_data = }} |nascimento_local = São Paulo, SP, Brasil |morte_data = |morte_local = |nacionalidade = |cônjuge = Ana Estela Haddad |nome_mãe = Norma Thereza Goussain Haddad |nome_pai = Khalil Haddad |filhos = Frederico (n. 1992)
Ana Carolina (n. 2000) |prêmio = * Ordem do Mérito Militar * Ordem do Mérito Aeronáutico * Ordem do Mérito da Defesa * Medalha do Mérito Santos-Dumont * Ver mais }} |alma_mater = Universidade de São Paulo (Bel., direito; Me., economia; Dr., filosofia) |partido = PT }} |religião = cristão ortodoxo |profissão = professor universitário |assinatura = Firma de Fernando Haddad.svg }} Fernando Haddad''' (São Paulo, 25 de janeiro de 1963) é um professor universitário, advogado e político brasileiro, filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT) e atual ministro da Fazenda do Brasil. Foi ministro da Educação de 2005 a 2012, nos governos Lula e Dilma Rousseff, e prefeito da cidade de São Paulo de 2013 a 2016.

É professor de ciência política da Universidade de São Paulo (USP), instituição pela qual se graduou bacharel em direito, mestre em economia e doutor em filosofia. Trabalhou como analista de investimento no Unibanco. Entre 2001 a 2003, foi subsecretário de Finanças e Desenvolvimento Econômico do Município de São Paulo, na administração de Marta Suplicy. Integrou, ainda, o Ministério do Planejamento do governo Lula durante a gestão de Guido Mantega (2003–2004), oportunidade na qual elaborou o projeto de lei que instituiu as parcerias público-privadas (PPPs) no Brasil.

Foi nomeado como ministro da Educação em julho de 2005 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, permanecendo no cargo até janeiro de 2012. Durante seu mandato como ministro, houve a criação do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) e do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), a implementação da Universidade Aberta do Brasil e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, assim como a implementação do Programa Universidade para Todos (ProUni) e a reformulação e ampliação do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES) e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em 2012, foi eleito prefeito do município de São Paulo, vencendo no segundo turno o candidato do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), José Serra.

Em setembro de 2018, lançou sua campanha como candidato do Partido dos Trabalhadores à presidência da República nas eleições de 2018, após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indeferir a candidatura de Lula naquele pleito. No primeiro turno das eleições, no dia 7 de outubro, Haddad ficou em segundo lugar, com mais de 31 milhões de votos, correspondente a cerca de 30% dos votos válidos. Disputou o segundo turno no dia 28 de outubro e recebeu 44,87% dos votos válidos, perdendo para seu adversário, Jair Bolsonaro do Partido Social Liberal (PSL). Nas eleições de 2022, foi candidato ao governo do estado de São Paulo e disputou o segundo turno contra Tarcísio de Freitas (Republicanos), recebendo 44,73% dos votos válidos. Em 1 de janeiro de 2023, Haddad tomou posse como ministro da Fazenda no terceiro governo Lula. É membro fundador do Grupo de Puebla, criado em 12 de julho de 2019 no México. Fornecido pela Wikipedia
Mostrando 1 - 2 resultados de 2 para a busca 'Fernando Haddad', tempo de busca: 0,01s

Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT)
SAUS Quadra 5 - Lote 6 Bloco H - Asa sul - CEP: 70.070-912 - Brasília - DF