Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2010
Autor(a) principal: Zappitelli, Marcelo Cardoso [UNIFESP]
Orientador(a): Bordin, Isabel Altenfelder Santos [UNIFESP]
Banca de defesa: Não Informado pela instituição
Tipo de documento: Tese
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Programa de Pós-Graduação: Não Informado pela instituição
Departamento: Não Informado pela instituição
País: Não Informado pela instituição
Palavras-chave em Português:
Palavras-chave em Inglês:
Link de acesso: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10131
Resumo: Objetivo: Realização de dois estudos com crianças e adolescentes, visando identificar transtornos psiquiátricos em filhos de pais com transtorno bipolar tipo I, e avaliar traços de temperamento e caráter em pacientes com transtorno depressivo maior. Métodos: Estudo 1: O estudo envolveu uma série de casos composta por 35 crianças e adolescentes (20 meninos/15 meninas) de seis a 17 anos (média de idade: 12,5±2,9 anos). Todos os participantes foram avaliados através da entrevista diagnóstica The Schedule for Affective Disorders and Schizophrenia for School-Age Children – Present and Lifetime Version (K-SADS-PL). A história psiquiátrica familiar e os dados sociodemográficos também foram investigados. Estudo 2: Estudo caso-controle envolvendo 41 crianças e adolescentes (8–17 anos) com depressão maior pareadas por idade e sexo com 40 controles saudáveis. Todos os participantes foram avaliados pela entrevista diagnóstica K-SADS-PL. Os traços de temperamento e caráter foram avaliados através das versões para pais e para crianças do instrumento The Junior Temperament and Character Inventory (JTCI), e a gravidade da depressão através da escala Children’s Depression Rating Scale (CDRS). Resultados: Estudo 1: Pelo menos um diagnóstico psiquiátrico foi identificado em 71,4% da amostra. Altas taxas de transtornos específicos foram observadas: transtornos de humor (28,6%), transtornos disruptivos (incluindo transtorno de déficit de atenção e hiperatividade/TDAH) (40,0%) e transtornos de ansiedade (20,0%). A taxa de transtornos de humor comórbidos com TDAH (17,2%) foi maior do que a presença transtornos de humor isolados (11,4%). Psicopatologia foi frequentemente encontrada em parentes de segundo grau dos participantes (71,4%). Estudo 2: Os pacientes com depressão maior tiveram escores significativamente mais altos nas dimensões esquiva ao dano e busca por novidades, e escores mais baixos em dependência de gratificação, persistência, auto-direcionamento e cooperatividade em comparação aos controles saudáveis. A comorbidade com transtornos disruptivos influenciou praticamente todas as dimensões de temperamento e caráter, em geral aumentando as diferenças entre as médias de escores de casos e controles. Além disso, estar deprimido no momento da avaliação não influenciou os resultados, com exceção da dimensão dependência de gratificação de acordo com as informações fornecidas pelos pais. Conclusões: Filhos de bipolares constituem grupo de risco para desenvolver transtornos psiquiátricos, especialmente transtornos de humor e disruptivos. Crianças e adolescentes com transtorno depressivo maior têm um perfil de temperamento e caráter que difere de controles saudáveis, apontando para características estadoindependentes das dimensões esquiva ao dano e auto-direcionamento.
id UFSP_2e9dedb906abd6781a086c34dfb9c258
oai_identifier_str oai:repositorio.unifesp.br:11600/10131
network_acronym_str UFSP
network_name_str Repositório Institucional da UNIFESP
repository_id_str
spelling Zappitelli, Marcelo Cardoso [UNIFESP]Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)Bordin, Isabel Altenfelder Santos [UNIFESP]2015-07-22T20:50:52Z2015-07-22T20:50:52Z2010-09-29ZAPPITELLI, Marcelo Cardoso. Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior. 2010. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10131Publico-466.pdfObjetivo: Realização de dois estudos com crianças e adolescentes, visando identificar transtornos psiquiátricos em filhos de pais com transtorno bipolar tipo I, e avaliar traços de temperamento e caráter em pacientes com transtorno depressivo maior. Métodos: Estudo 1: O estudo envolveu uma série de casos composta por 35 crianças e adolescentes (20 meninos/15 meninas) de seis a 17 anos (média de idade: 12,5±2,9 anos). Todos os participantes foram avaliados através da entrevista diagnóstica The Schedule for Affective Disorders and Schizophrenia for School-Age Children – Present and Lifetime Version (K-SADS-PL). A história psiquiátrica familiar e os dados sociodemográficos também foram investigados. Estudo 2: Estudo caso-controle envolvendo 41 crianças e adolescentes (8–17 anos) com depressão maior pareadas por idade e sexo com 40 controles saudáveis. Todos os participantes foram avaliados pela entrevista diagnóstica K-SADS-PL. Os traços de temperamento e caráter foram avaliados através das versões para pais e para crianças do instrumento The Junior Temperament and Character Inventory (JTCI), e a gravidade da depressão através da escala Children’s Depression Rating Scale (CDRS). Resultados: Estudo 1: Pelo menos um diagnóstico psiquiátrico foi identificado em 71,4% da amostra. Altas taxas de transtornos específicos foram observadas: transtornos de humor (28,6%), transtornos disruptivos (incluindo transtorno de déficit de atenção e hiperatividade/TDAH) (40,0%) e transtornos de ansiedade (20,0%). A taxa de transtornos de humor comórbidos com TDAH (17,2%) foi maior do que a presença transtornos de humor isolados (11,4%). Psicopatologia foi frequentemente encontrada em parentes de segundo grau dos participantes (71,4%). Estudo 2: Os pacientes com depressão maior tiveram escores significativamente mais altos nas dimensões esquiva ao dano e busca por novidades, e escores mais baixos em dependência de gratificação, persistência, auto-direcionamento e cooperatividade em comparação aos controles saudáveis. A comorbidade com transtornos disruptivos influenciou praticamente todas as dimensões de temperamento e caráter, em geral aumentando as diferenças entre as médias de escores de casos e controles. Além disso, estar deprimido no momento da avaliação não influenciou os resultados, com exceção da dimensão dependência de gratificação de acordo com as informações fornecidas pelos pais. Conclusões: Filhos de bipolares constituem grupo de risco para desenvolver transtornos psiquiátricos, especialmente transtornos de humor e disruptivos. Crianças e adolescentes com transtorno depressivo maior têm um perfil de temperamento e caráter que difere de controles saudáveis, apontando para características estadoindependentes das dimensões esquiva ao dano e auto-direcionamento.Purpose: To conduct two studies with children and adolescents, aiming to identify psychiatric disorders in the offspring of bipolar parents type I, and to evaluate temperament and character traits in patients with major depressive disorder (MDD). Methods: Study 1: The study involved a case series comprising 35 children and adolescents (20 males/15 females) aged 6 to 17 years (mean age: 12.5±2.9 years). All participants were assessed using the diagnostic interview The Schedule for Affective Disorders and Schizophrenia for School-Age Children – Present and Lifetime Version (K-SADS- PL). Psychiatric family history and demographics were also evaluated. Study 2: A case-control study comprising 41 MDD children and adolescents (8-17 years) matched by gender and age to 40 healthy controls (HC). All participants were diagnostically assessed with the K-SADS-PL. Temperament and character traits were measured by the parent and child versions of The Junior Temperament and Character Inventory (JTCI), and depression severity by The Children’s Depression Rating Scale - Revised (CDRS-R). Results: Study 1: At least one psychiatric disorder was identified in 71.4% of the sample. High rates of specific disorders were noted: mood disorders (28.6%), disruptive behaviour disorders (including attention deficit hyperactivity disorder/ADHD) (40.0%) and anxiety disorders (20.0%). The rate of mood disorders comorbid with disruptive behaviour disorders (17.2%) was higher than the rate of pure mood disorders (11.4%). Presence of psychopathology was commonly reported in second-degree relatives of the offspring (71.4%). Study 2: MDD subjects had significantly higher scores on harm avoidance and novelty seeking dimensions, and lower scores on reward dependence, persistence, self-directedness and cooperativeness compared with HC. Comorbidity with disruptive behaviour disorders exerted influence on almost all dimensions of temperament and character, in general increasing the mean score differences between MDD and HC subjects. Moreover, being currently depressed did not influence the results, except for reward dependence according to parent data. Conclusions: Bipolar offspring are at high risk for developing psychiatric disorders, especially mood and disruptive behaviour disorders. MDD children and adolescents have a different temperament and character profile compared to HC subjects, pointing towards trait-like characteristics of the dimensions harm avoidance and self-directedness.TEDEBV UNIFESP: Teses e dissertações119 p.porUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)TemperamentoCaráterDepressãoTranstorno bipolarPsiquiatria infantilBipolar disorderCharacterDepressionTemperamentChild psychiatryTranstornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maiorMood Disorders in Children and Adolescents: Early Symptoms in Bipolar Offspring and Temperament and Character Traits as Endophenotypes for Major Depressioninfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesisinfo:eu-repo/semantics/openAccessreponame:Repositório Institucional da UNIFESPinstname:Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)instacron:UNIFESPSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)Psiquiatria e Psicologia Médica - EPMORIGINALPublico-466.pdfPublico-466.pdfapplication/pdf920744${dspace.ui.url}/bitstream/11600/10131/1/Publico-466.pdff66c0f1cc1bdbdee1399691edcdc980dMD51open accessTEXTPublico-466.pdf.txtPublico-466.pdf.txtExtracted texttext/plain235211${dspace.ui.url}/bitstream/11600/10131/3/Publico-466.pdf.txt7d9caf7ada4aaf2d34251891aaee2c9fMD53open accessTHUMBNAILPublico-466.pdf.jpgPublico-466.pdf.jpgIM Thumbnailimage/jpeg4227${dspace.ui.url}/bitstream/11600/10131/5/Publico-466.pdf.jpg91bf57f8309fe95d36c9c5db12c42517MD55open access11600/101312022-07-29 17:33:18.029open accessoai:repositorio.unifesp.br:11600/10131Repositório InstitucionalPUBhttp://www.repositorio.unifesp.br/oai/requestopendoar:34652022-07-29T20:33:18Repositório Institucional da UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Mood Disorders in Children and Adolescents: Early Symptoms in Bipolar Offspring and Temperament and Character Traits as Endophenotypes for Major Depression
title Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior
spellingShingle Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior
Zappitelli, Marcelo Cardoso [UNIFESP]
Temperamento
Caráter
Depressão
Transtorno bipolar
Psiquiatria infantil
Bipolar disorder
Character
Depression
Temperament
Child psychiatry
title_short Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior
title_full Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior
title_fullStr Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior
title_full_unstemmed Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior
title_sort Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior
author Zappitelli, Marcelo Cardoso [UNIFESP]
author_facet Zappitelli, Marcelo Cardoso [UNIFESP]
author_role author
dc.contributor.institution.none.fl_str_mv Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.contributor.author.fl_str_mv Zappitelli, Marcelo Cardoso [UNIFESP]
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Bordin, Isabel Altenfelder Santos [UNIFESP]
contributor_str_mv Bordin, Isabel Altenfelder Santos [UNIFESP]
dc.subject.por.fl_str_mv Temperamento
Caráter
Depressão
Transtorno bipolar
Psiquiatria infantil
topic Temperamento
Caráter
Depressão
Transtorno bipolar
Psiquiatria infantil
Bipolar disorder
Character
Depression
Temperament
Child psychiatry
dc.subject.eng.fl_str_mv Bipolar disorder
Character
Depression
Temperament
Child psychiatry
description Objetivo: Realização de dois estudos com crianças e adolescentes, visando identificar transtornos psiquiátricos em filhos de pais com transtorno bipolar tipo I, e avaliar traços de temperamento e caráter em pacientes com transtorno depressivo maior. Métodos: Estudo 1: O estudo envolveu uma série de casos composta por 35 crianças e adolescentes (20 meninos/15 meninas) de seis a 17 anos (média de idade: 12,5±2,9 anos). Todos os participantes foram avaliados através da entrevista diagnóstica The Schedule for Affective Disorders and Schizophrenia for School-Age Children – Present and Lifetime Version (K-SADS-PL). A história psiquiátrica familiar e os dados sociodemográficos também foram investigados. Estudo 2: Estudo caso-controle envolvendo 41 crianças e adolescentes (8–17 anos) com depressão maior pareadas por idade e sexo com 40 controles saudáveis. Todos os participantes foram avaliados pela entrevista diagnóstica K-SADS-PL. Os traços de temperamento e caráter foram avaliados através das versões para pais e para crianças do instrumento The Junior Temperament and Character Inventory (JTCI), e a gravidade da depressão através da escala Children’s Depression Rating Scale (CDRS). Resultados: Estudo 1: Pelo menos um diagnóstico psiquiátrico foi identificado em 71,4% da amostra. Altas taxas de transtornos específicos foram observadas: transtornos de humor (28,6%), transtornos disruptivos (incluindo transtorno de déficit de atenção e hiperatividade/TDAH) (40,0%) e transtornos de ansiedade (20,0%). A taxa de transtornos de humor comórbidos com TDAH (17,2%) foi maior do que a presença transtornos de humor isolados (11,4%). Psicopatologia foi frequentemente encontrada em parentes de segundo grau dos participantes (71,4%). Estudo 2: Os pacientes com depressão maior tiveram escores significativamente mais altos nas dimensões esquiva ao dano e busca por novidades, e escores mais baixos em dependência de gratificação, persistência, auto-direcionamento e cooperatividade em comparação aos controles saudáveis. A comorbidade com transtornos disruptivos influenciou praticamente todas as dimensões de temperamento e caráter, em geral aumentando as diferenças entre as médias de escores de casos e controles. Além disso, estar deprimido no momento da avaliação não influenciou os resultados, com exceção da dimensão dependência de gratificação de acordo com as informações fornecidas pelos pais. Conclusões: Filhos de bipolares constituem grupo de risco para desenvolver transtornos psiquiátricos, especialmente transtornos de humor e disruptivos. Crianças e adolescentes com transtorno depressivo maior têm um perfil de temperamento e caráter que difere de controles saudáveis, apontando para características estadoindependentes das dimensões esquiva ao dano e auto-direcionamento.
publishDate 2010
dc.date.issued.fl_str_mv 2010-09-29
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2015-07-22T20:50:52Z
dc.date.available.fl_str_mv 2015-07-22T20:50:52Z
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.citation.fl_str_mv ZAPPITELLI, Marcelo Cardoso. Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior. 2010. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10131
dc.identifier.file.none.fl_str_mv Publico-466.pdf
identifier_str_mv ZAPPITELLI, Marcelo Cardoso. Transtornos de humor na infância e adolescência: sintomas precoces em filhos de bipolares e traços de temperamento e caráter como endofenótipos na depressão maior. 2010. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publico-466.pdf
url http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10131
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv 119 p.
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UNIFESP
instname:Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
instacron:UNIFESP
instname_str Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
instacron_str UNIFESP
institution UNIFESP
reponame_str Repositório Institucional da UNIFESP
collection Repositório Institucional da UNIFESP
bitstream.url.fl_str_mv ${dspace.ui.url}/bitstream/11600/10131/1/Publico-466.pdf
${dspace.ui.url}/bitstream/11600/10131/3/Publico-466.pdf.txt
${dspace.ui.url}/bitstream/11600/10131/5/Publico-466.pdf.jpg
bitstream.checksum.fl_str_mv f66c0f1cc1bdbdee1399691edcdc980d
7d9caf7ada4aaf2d34251891aaee2c9f
91bf57f8309fe95d36c9c5db12c42517
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv Repositório Institucional da UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
repository.mail.fl_str_mv
_version_ 1802764407066853376