Interação animal-ambiente: efeito do ambiente climático sobre as respostas fisiológicas e produtivas de vacas Holandesas em free-stall

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2006
Autor(a) principal: Luciane Silva Martello
Orientador(a): Holmer Savastano Junior
Banca de defesa: Júlio César de Carvalho Balieiro, Irenilza de Alencar Naas, Iran José Oliveira da Silva, Evaldo Antonio Lencioni Titto
Tipo de documento: Tese
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Zootecnia
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/T.74.2006.tde-05102006-091637
Resumo: As relações entre os fatores climáticos e as respostas fisiológicas de vacas lactantes são bastante conhecidas, porém sob condições de ambiente controlado. Este estudo teve como objetivo monitorar as respostas dos animais em instalações típicas para vacas leiteiras, para identificar o real impacto do ambiente climático sobre o animal. Foi proposto um método para avaliar o nível de estresse de vacas, que poderá servir como uma ferramenta simples, que traduza as sensações de conforto térmico dos animais. O experimento foi realizado em três fases, a saber: primavera (28 dias), verão (31 dias) e inverno (31 dias). Foram utilizados animais da raça Holandesa com produção média entre 20 a 25 kg leite/dia. Os animais foram alojados em instalação tipo free-stall com acesso livre a um piquete adjacente. Foram avaliadas a freqüência respiratória (FR), a temperatura retal (TR), a temperatura do pelame (TPE), a temperatura auricular (TAU), a temperatura da base da cauda (TCAU), a temperatura da vulva (TVU) e a produção de leite (PL). O ambiente foi monitorado 24 horas por dia, todos os dias, com registros da temperatura de bulbo seco (TBS), da umidade relativa (UR), da temperatura de ponto de orvalho e da temperatura de globo negro (TG). Posteriormente foram calculados os índices de temperatura e umidade (ITU) e o de temperatura de globo e umidade (ITGU). Todas as variáveis fisiológicas apresentaram padrão sazonal bem claro, com maiores valores durante as estações mais quentes (primavera e verão) e menores valores no inverno. A TAU, a TVU e a TCAU apresentaram correlações positivas com a TR, a FR e a TPE, o que indica uma associação entre estas variáveis. Porém estudos adicionais devem ser conduzidos para validar a aplicabilidade destas variáveis (TAU, TVU e TCAU) na caracterização do estresse térmico dos animais. A TPE e a FR foram as variáveis mais influenciadas pelo ambiente climático em todas as estações do ano. O ambiente noturno foi associado às variações da TR, da FR e da TPE, enquanto o ambiente do dia anterior não explicou a variação das respostas fisiológicas. Não houve evidência de efeitos de uma variável ambiental isolada sobre as variáveis fisiológicas, o que indicou a complexidade das relações entre o animal e o ambiente climático. Mesmo com ITU acima de 79, considerado estressante pela literatura estrangeira para vacas lactantes, não foram evidenciados valores estressantes para TR e FR e reduções na produção de leite. O modelo proposto neste trabalho para estimar presença ou ausência de estresse em vacas alojadas em free-stall, apresentou boa aderência ao conjunto de dados, com R² de 0,43. Dessa forma, disponibiliza uma ferramenta simples e rápida para produtores e técnicos, pela associação de duas medidas fisiológicas (FR e TPE) de fácil mensuração, ou então pela associação de duas variáveis ambientais (TBS e UR). Tal ferramenta diz respeito a uma amostra da população de vacas Holandesas alojadas em determinada instalação e região, o que condiciona o modelo proposto a outros estudos para sua validação em outros rebanhos e regiões.
id USP_4a228d0946dcce063ea6bdfb1888859f
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05102006-091637
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesis Interação animal-ambiente: efeito do ambiente climático sobre as respostas fisiológicas e produtivas de vacas Holandesas em free-stall Animal-environment interaction: effects of climatic environment over physiologic and productive responses of Holstein cows in free-stall 2006-06-09Holmer Savastano JuniorJúlio César de Carvalho BalieiroIrenilza de Alencar NaasIran José Oliveira da SilvaEvaldo Antonio Lencioni TittoLuciane Silva MartelloUniversidade de São PauloZootecniaUSPBR free-stall ambiência estresse térmico free-stall índice de conforto térmico milking cows termorregulação thermal comfort index thermal stress thermoregulation vacas de leite welfare As relações entre os fatores climáticos e as respostas fisiológicas de vacas lactantes são bastante conhecidas, porém sob condições de ambiente controlado. Este estudo teve como objetivo monitorar as respostas dos animais em instalações típicas para vacas leiteiras, para identificar o real impacto do ambiente climático sobre o animal. Foi proposto um método para avaliar o nível de estresse de vacas, que poderá servir como uma ferramenta simples, que traduza as sensações de conforto térmico dos animais. O experimento foi realizado em três fases, a saber: primavera (28 dias), verão (31 dias) e inverno (31 dias). Foram utilizados animais da raça Holandesa com produção média entre 20 a 25 kg leite/dia. Os animais foram alojados em instalação tipo free-stall com acesso livre a um piquete adjacente. Foram avaliadas a freqüência respiratória (FR), a temperatura retal (TR), a temperatura do pelame (TPE), a temperatura auricular (TAU), a temperatura da base da cauda (TCAU), a temperatura da vulva (TVU) e a produção de leite (PL). O ambiente foi monitorado 24 horas por dia, todos os dias, com registros da temperatura de bulbo seco (TBS), da umidade relativa (UR), da temperatura de ponto de orvalho e da temperatura de globo negro (TG). Posteriormente foram calculados os índices de temperatura e umidade (ITU) e o de temperatura de globo e umidade (ITGU). Todas as variáveis fisiológicas apresentaram padrão sazonal bem claro, com maiores valores durante as estações mais quentes (primavera e verão) e menores valores no inverno. A TAU, a TVU e a TCAU apresentaram correlações positivas com a TR, a FR e a TPE, o que indica uma associação entre estas variáveis. Porém estudos adicionais devem ser conduzidos para validar a aplicabilidade destas variáveis (TAU, TVU e TCAU) na caracterização do estresse térmico dos animais. A TPE e a FR foram as variáveis mais influenciadas pelo ambiente climático em todas as estações do ano. O ambiente noturno foi associado às variações da TR, da FR e da TPE, enquanto o ambiente do dia anterior não explicou a variação das respostas fisiológicas. Não houve evidência de efeitos de uma variável ambiental isolada sobre as variáveis fisiológicas, o que indicou a complexidade das relações entre o animal e o ambiente climático. Mesmo com ITU acima de 79, considerado estressante pela literatura estrangeira para vacas lactantes, não foram evidenciados valores estressantes para TR e FR e reduções na produção de leite. O modelo proposto neste trabalho para estimar presença ou ausência de estresse em vacas alojadas em free-stall, apresentou boa aderência ao conjunto de dados, com R² de 0,43. Dessa forma, disponibiliza uma ferramenta simples e rápida para produtores e técnicos, pela associação de duas medidas fisiológicas (FR e TPE) de fácil mensuração, ou então pela associação de duas variáveis ambientais (TBS e UR). Tal ferramenta diz respeito a uma amostra da população de vacas Holandesas alojadas em determinada instalação e região, o que condiciona o modelo proposto a outros estudos para sua validação em outros rebanhos e regiões. It has been well known the relation between the environment and physiological answers of lactating dairy cows under controlled environmental conditions. The present study aimed to monitor the animal answers allocated at typical housing system to identify the real environmental impact over it. A method was proposed to evaluate the stress level of the animal, to be used as a tool to identify the sensations of thermal comfort. The experiment was conducted in three phases, in spring (28 days), summer (31 days) and winter (31 days) periods. Holstein dairy cows were used averaging milk yield around 20 to 25 kg/day. The animals were housed in a free stall shed with an open area. Respiratory rate (FR), rectal temperature (TR), surface skin temperature (TPE), internal ear temperature (TAU), tail temperature (TCAU), vulva temperature (TVU) and milk yield (PL) were evaluated. The environmental conditions were monitored during 24 hours every day, by recording the dry bulb temperature (TBS), relative humidity (UR), dew point temperature (Tpo) and black globe temperature (Tg). The calculation of temperature humidity index (ITU) and the black globe humidity index (ITGU) was based on these environmental variables. The physiological variables had a seasonal standard with higher values during hot periods (spring and summer) and lower values during the winter. The IET, VT and TT demonstrated positive correlations with RT, RR and SKT showing association between them. More studies are necessary to validate the applicability of these variables (IET, VT and TT) and to characterize heat stress in dairy cows. SKT and RR were the most influenced by the environment in all seasons. The night environment was associated to the RT, RR and SKT, while the day before environment did not explained the physiological variations. There was no evidence of isolated environmental variables over the physiological ones, showing the complexity between the animal and the environment. Even with the THI values above 79, what is considered stressful to dairy cows, there was no evidence of stressful values for RT and RR and of MY losses. The model proposed in this study to estimate presence or absence of heat stress in dairy cows avails a simple and fast tool to milk producers and technicians, where it could be associated two physiological variables (RR and SKT) of easy measurement or other two environment variables (DBT and RH). However, this result is related to the studied population at a specific housing system and situated at a specific region. Addiitonal studies must be conducted to validate the proposed model to others dairy herds and locations. https://doi.org/10.11606/T.74.2006.tde-05102006-091637info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:52Zoai:teses.usp.br:tde-05102006-091637Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212016-07-28T16:09:50Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Interação animal-ambiente: efeito do ambiente climático sobre as respostas fisiológicas e produtivas de vacas Holandesas em free-stall
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Animal-environment interaction: effects of climatic environment over physiologic and productive responses of Holstein cows in free-stall
title Interação animal-ambiente: efeito do ambiente climático sobre as respostas fisiológicas e produtivas de vacas Holandesas em free-stall
spellingShingle Interação animal-ambiente: efeito do ambiente climático sobre as respostas fisiológicas e produtivas de vacas Holandesas em free-stall
Luciane Silva Martello
title_short Interação animal-ambiente: efeito do ambiente climático sobre as respostas fisiológicas e produtivas de vacas Holandesas em free-stall
title_full Interação animal-ambiente: efeito do ambiente climático sobre as respostas fisiológicas e produtivas de vacas Holandesas em free-stall
title_fullStr Interação animal-ambiente: efeito do ambiente climático sobre as respostas fisiológicas e produtivas de vacas Holandesas em free-stall
title_full_unstemmed Interação animal-ambiente: efeito do ambiente climático sobre as respostas fisiológicas e produtivas de vacas Holandesas em free-stall
title_sort Interação animal-ambiente: efeito do ambiente climático sobre as respostas fisiológicas e produtivas de vacas Holandesas em free-stall
author Luciane Silva Martello
author_facet Luciane Silva Martello
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Holmer Savastano Junior
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Júlio César de Carvalho Balieiro
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Irenilza de Alencar Naas
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Iran José Oliveira da Silva
dc.contributor.referee4.fl_str_mv Evaldo Antonio Lencioni Titto
dc.contributor.author.fl_str_mv Luciane Silva Martello
contributor_str_mv Holmer Savastano Junior
Júlio César de Carvalho Balieiro
Irenilza de Alencar Naas
Iran José Oliveira da Silva
Evaldo Antonio Lencioni Titto
description As relações entre os fatores climáticos e as respostas fisiológicas de vacas lactantes são bastante conhecidas, porém sob condições de ambiente controlado. Este estudo teve como objetivo monitorar as respostas dos animais em instalações típicas para vacas leiteiras, para identificar o real impacto do ambiente climático sobre o animal. Foi proposto um método para avaliar o nível de estresse de vacas, que poderá servir como uma ferramenta simples, que traduza as sensações de conforto térmico dos animais. O experimento foi realizado em três fases, a saber: primavera (28 dias), verão (31 dias) e inverno (31 dias). Foram utilizados animais da raça Holandesa com produção média entre 20 a 25 kg leite/dia. Os animais foram alojados em instalação tipo free-stall com acesso livre a um piquete adjacente. Foram avaliadas a freqüência respiratória (FR), a temperatura retal (TR), a temperatura do pelame (TPE), a temperatura auricular (TAU), a temperatura da base da cauda (TCAU), a temperatura da vulva (TVU) e a produção de leite (PL). O ambiente foi monitorado 24 horas por dia, todos os dias, com registros da temperatura de bulbo seco (TBS), da umidade relativa (UR), da temperatura de ponto de orvalho e da temperatura de globo negro (TG). Posteriormente foram calculados os índices de temperatura e umidade (ITU) e o de temperatura de globo e umidade (ITGU). Todas as variáveis fisiológicas apresentaram padrão sazonal bem claro, com maiores valores durante as estações mais quentes (primavera e verão) e menores valores no inverno. A TAU, a TVU e a TCAU apresentaram correlações positivas com a TR, a FR e a TPE, o que indica uma associação entre estas variáveis. Porém estudos adicionais devem ser conduzidos para validar a aplicabilidade destas variáveis (TAU, TVU e TCAU) na caracterização do estresse térmico dos animais. A TPE e a FR foram as variáveis mais influenciadas pelo ambiente climático em todas as estações do ano. O ambiente noturno foi associado às variações da TR, da FR e da TPE, enquanto o ambiente do dia anterior não explicou a variação das respostas fisiológicas. Não houve evidência de efeitos de uma variável ambiental isolada sobre as variáveis fisiológicas, o que indicou a complexidade das relações entre o animal e o ambiente climático. Mesmo com ITU acima de 79, considerado estressante pela literatura estrangeira para vacas lactantes, não foram evidenciados valores estressantes para TR e FR e reduções na produção de leite. O modelo proposto neste trabalho para estimar presença ou ausência de estresse em vacas alojadas em free-stall, apresentou boa aderência ao conjunto de dados, com R² de 0,43. Dessa forma, disponibiliza uma ferramenta simples e rápida para produtores e técnicos, pela associação de duas medidas fisiológicas (FR e TPE) de fácil mensuração, ou então pela associação de duas variáveis ambientais (TBS e UR). Tal ferramenta diz respeito a uma amostra da população de vacas Holandesas alojadas em determinada instalação e região, o que condiciona o modelo proposto a outros estudos para sua validação em outros rebanhos e regiões.
publishDate 2006
dc.date.issued.fl_str_mv 2006-06-09
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/T.74.2006.tde-05102006-091637
url https://doi.org/10.11606/T.74.2006.tde-05102006-091637
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Zootecnia
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376585617604608