A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria.

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2007
Autor(a) principal: Benedita de Almeida
Orientador(a): Elsa Garrido
Banca de defesa: Luciana Maria Giovanni, Claudia Rosa Riolfi, Joana Paulin Romanowski, Maria Lidia Sica Szymanski
Tipo de documento: Tese
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Educação
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/T.48.2007.tde-05102007-155154
Resumo: O estudo trata de pesquisa colaborativa realizada durante um ano por dois pesquisadores universitários e um grupo de doze professores de uma escola do campo de Educação Infantil e Ensino Fundamental do sudoeste do Paraná, com a promoção de reuniões semanais para análise, discussão e estudo da prática pedagógica. O projeto de educação continuada de professores tomou a escrita sobre a prática como um importante recurso formador para a melhoria da prática e para o desenvolvimento profissional docente. Tal potencialidade é analisada com base nos pressupostos sócio-históricos da linguagem e desenvolvimento humano, de Vigotski, na perspectiva dialógica e enunciativa, de Bakhtin, e na concepção de escrita como trabalho, de Riolfi. Alguns princípios se destacaram na orientação da pesquisa. (1) O caráter simbólico cultural da escrita, cujo aprendizado desempenha papel fundamental no desenvolvimento sociocultural do sujeito, por atuar na atividade mental mediada e exigir operações analíticas complexas e mais conscientizadas; a atitude de controle e deliberação que sua especificidade de dirigir-se a um interlocutor ausente ou imaginário implica e a maior abstração e intelectualização dos motivos que a determinam (VIGOTSKI). (2) Dos estudos de Bakhtin, os conceitos de diálogo, polifonia, alteridade, exotopia, gêneros do discurso, constituição semiótica da consciência, tributários da interação verbal, contribuíram para a compreensão da escrita no vínculo com a subjetividade e a produção de conhecimento. (3) De Garrido; Garrido, Pimenta e Moura; Giovanni; Mizukami, o conceito de reflexão como orientação para os processos formativos e para o desenvolvimento profissional de professores, a integração do conhecimento teórico aos saberes e práticas docentes, a relevância do contexto sócio-político e da produção de conhecimentos e aprendizagens sobre a docência. À luz desses fundamentos, e direcionando o foco às quatro alfabetizadoras da escola, analisa-se um conjunto de escritas desencadeadas no desenvolvimento de um projeto pedagógico coletivo pela escola: atas, diários, relatos da prática, textos de análise e avaliação da experiência. A análise evidenciou o papel formador da escrita, a agregação de um elevado nível de refinamento intelectual e elaboração reflexiva, pelo efeito de retroação e compreensão que produz e que movimenta as subjetividades. A textualização escrita da prática, pela mudança do gênero de discurso, esforço analítico, inclusão da alteridade e efeitos de deslocamento, inseriu as professoras num patamar de recriação da experiência e de desenvolvimento da própria esfera da prática educativa. Entre os principais resultados deste estudo, constataram-se contribuições dos estudos da linguagem e das atividades de escrita para a formação de professores: desenvolvimento da autoria e de atitudes e competências investigativas; reconhecimento de aspectos sociopolíticos que enleiam as práticas pedagógicas; valorização da aproximação pessoal entre os membros do grupo; fortalecimento da identidade profissional; valorização do conhecimento; desenvolvimento do compromisso ético-político com o ensino; mudanças conceituais sobre a escrita e a prática pedagógica e melhoria da prática. As contribuições conceituais de Bakhtin e Vigotski, principalmente pelo papel que concedem ao outro e à linguagem na produção da autoria, evidenciaram-se como uma valiosa sustentação teórica à pesquisa colaborativa e ao desenvolvimento profissional docente.
id USP_7ad3f8eb4ab12a2d581d4579b8411813
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05102007-155154
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesis A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria. Writing practice as a potential tool for the development of authorship among alphabetizer teachers. 2007-08-10Elsa GarridoLuciana Maria GiovanniClaudia Rosa RiolfiJoana Paulin RomanowskiMaria Lidia Sica SzymanskiBenedita de AlmeidaUniversidade de São PauloEducaçãoUSPBR Alfabetização Alphabetizing classes Collaborative research Country school Desenvolvimento profissional docente Ensino fundamental Escola do campo Escrita e formação Formação de professores Fundamental school Pesquisa colaborativa Teacher education Teacher professional development Writing and education O estudo trata de pesquisa colaborativa realizada durante um ano por dois pesquisadores universitários e um grupo de doze professores de uma escola do campo de Educação Infantil e Ensino Fundamental do sudoeste do Paraná, com a promoção de reuniões semanais para análise, discussão e estudo da prática pedagógica. O projeto de educação continuada de professores tomou a escrita sobre a prática como um importante recurso formador para a melhoria da prática e para o desenvolvimento profissional docente. Tal potencialidade é analisada com base nos pressupostos sócio-históricos da linguagem e desenvolvimento humano, de Vigotski, na perspectiva dialógica e enunciativa, de Bakhtin, e na concepção de escrita como trabalho, de Riolfi. Alguns princípios se destacaram na orientação da pesquisa. (1) O caráter simbólico cultural da escrita, cujo aprendizado desempenha papel fundamental no desenvolvimento sociocultural do sujeito, por atuar na atividade mental mediada e exigir operações analíticas complexas e mais conscientizadas; a atitude de controle e deliberação que sua especificidade de dirigir-se a um interlocutor ausente ou imaginário implica e a maior abstração e intelectualização dos motivos que a determinam (VIGOTSKI). (2) Dos estudos de Bakhtin, os conceitos de diálogo, polifonia, alteridade, exotopia, gêneros do discurso, constituição semiótica da consciência, tributários da interação verbal, contribuíram para a compreensão da escrita no vínculo com a subjetividade e a produção de conhecimento. (3) De Garrido; Garrido, Pimenta e Moura; Giovanni; Mizukami, o conceito de reflexão como orientação para os processos formativos e para o desenvolvimento profissional de professores, a integração do conhecimento teórico aos saberes e práticas docentes, a relevância do contexto sócio-político e da produção de conhecimentos e aprendizagens sobre a docência. À luz desses fundamentos, e direcionando o foco às quatro alfabetizadoras da escola, analisa-se um conjunto de escritas desencadeadas no desenvolvimento de um projeto pedagógico coletivo pela escola: atas, diários, relatos da prática, textos de análise e avaliação da experiência. A análise evidenciou o papel formador da escrita, a agregação de um elevado nível de refinamento intelectual e elaboração reflexiva, pelo efeito de retroação e compreensão que produz e que movimenta as subjetividades. A textualização escrita da prática, pela mudança do gênero de discurso, esforço analítico, inclusão da alteridade e efeitos de deslocamento, inseriu as professoras num patamar de recriação da experiência e de desenvolvimento da própria esfera da prática educativa. Entre os principais resultados deste estudo, constataram-se contribuições dos estudos da linguagem e das atividades de escrita para a formação de professores: desenvolvimento da autoria e de atitudes e competências investigativas; reconhecimento de aspectos sociopolíticos que enleiam as práticas pedagógicas; valorização da aproximação pessoal entre os membros do grupo; fortalecimento da identidade profissional; valorização do conhecimento; desenvolvimento do compromisso ético-político com o ensino; mudanças conceituais sobre a escrita e a prática pedagógica e melhoria da prática. As contribuições conceituais de Bakhtin e Vigotski, principalmente pelo papel que concedem ao outro e à linguagem na produção da autoria, evidenciaram-se como uma valiosa sustentação teórica à pesquisa colaborativa e ao desenvolvimento profissional docente. Collaborative research carried out by two university researchers and a group of twelve teachers at a country school in the Southwest of the state of Paraná (Brazil), who used to meet once a week for discussion, analysis of teaching practices in order to improve teaching and learning during one year. The In Service Teacher Education Program designed for this study was based on the assumption that writing over one´s own practice is an important formative resource for the improvement of teaching practice. This approach was inspired by Vigostski´s socio-historical aspects of language and human development, Bakhtin´s dialogical and enunciative perspective and Riolfi´s conception of writing as work. Some principles highlighted the research orientation. (1)The symbolic and cultural character of writing, whose learning plays basic role in one\'s sociocultural development, by acting in the mediated mental activity and by demanding complex analytical operations such as control, deliberation, great abstraction and intellectualization required to direct the writing message to an absent or imaginary interlocutor (VIGOTSKI). (2)From Bakhtin´s studies the concepts of dialogue, polyphony, alterity, speech genders, formation of the semiotic conscience, verbal interaction, writing comprehension linked to subjectivity and knowledge creation. (3)From Garrido; Garrido, Pimenta and Moura; Giovanni; Mizukami the concept of reflection as orientation to the formative processes of teacher\'s professional development, the articulation of theoretical knowledge and teacher´s representations and practices, the relevancy of the sociopolitical context on the production of teaching and learning knowledge. In the light of these fundaments, and directing the focus towards four school alphabetizers, a set of writings was analyzed: dairies, stories of their professional lives, evaluation texts over the experience. The analysis revealed the construccionist role of writing, aggregating a higher level of intellectual refinement and reflexive elaboration, offering feedback and analytical understanding of their practices and putting subjectivity into motion. The exercise of writing over their own practices, through the shift of gender of speech and analytical effort, has inserted teachers in an experience of re-creation, developing the authorship of their teaching practices. Among the main results found by this study in teachers development we stressed: authorship and investigative attitudes; recognition of sociopolitical aspect on the pedagogical practice; proximity between the members of the group; appreciation of knowledge; sociopolitical commitment towards teaching and learning; conceptual changes about writing and pedagogical practice and the improvement of practice itself. Bakhtin´s and Vigotski´s conceptual framework, particularly those related to language authorship, turned out to be a powerful theoretical support to collaborative research and to teacher professional development. https://doi.org/10.11606/T.48.2007.tde-05102007-155154info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:57Zoai:teses.usp.br:tde-05102007-155154Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212016-07-28T16:09:54Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria.
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Writing practice as a potential tool for the development of authorship among alphabetizer teachers.
title A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria.
spellingShingle A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria.
Benedita de Almeida
title_short A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria.
title_full A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria.
title_fullStr A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria.
title_full_unstemmed A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria.
title_sort A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria.
author Benedita de Almeida
author_facet Benedita de Almeida
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Elsa Garrido
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Luciana Maria Giovanni
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Claudia Rosa Riolfi
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Joana Paulin Romanowski
dc.contributor.referee4.fl_str_mv Maria Lidia Sica Szymanski
dc.contributor.author.fl_str_mv Benedita de Almeida
contributor_str_mv Elsa Garrido
Luciana Maria Giovanni
Claudia Rosa Riolfi
Joana Paulin Romanowski
Maria Lidia Sica Szymanski
description O estudo trata de pesquisa colaborativa realizada durante um ano por dois pesquisadores universitários e um grupo de doze professores de uma escola do campo de Educação Infantil e Ensino Fundamental do sudoeste do Paraná, com a promoção de reuniões semanais para análise, discussão e estudo da prática pedagógica. O projeto de educação continuada de professores tomou a escrita sobre a prática como um importante recurso formador para a melhoria da prática e para o desenvolvimento profissional docente. Tal potencialidade é analisada com base nos pressupostos sócio-históricos da linguagem e desenvolvimento humano, de Vigotski, na perspectiva dialógica e enunciativa, de Bakhtin, e na concepção de escrita como trabalho, de Riolfi. Alguns princípios se destacaram na orientação da pesquisa. (1) O caráter simbólico cultural da escrita, cujo aprendizado desempenha papel fundamental no desenvolvimento sociocultural do sujeito, por atuar na atividade mental mediada e exigir operações analíticas complexas e mais conscientizadas; a atitude de controle e deliberação que sua especificidade de dirigir-se a um interlocutor ausente ou imaginário implica e a maior abstração e intelectualização dos motivos que a determinam (VIGOTSKI). (2) Dos estudos de Bakhtin, os conceitos de diálogo, polifonia, alteridade, exotopia, gêneros do discurso, constituição semiótica da consciência, tributários da interação verbal, contribuíram para a compreensão da escrita no vínculo com a subjetividade e a produção de conhecimento. (3) De Garrido; Garrido, Pimenta e Moura; Giovanni; Mizukami, o conceito de reflexão como orientação para os processos formativos e para o desenvolvimento profissional de professores, a integração do conhecimento teórico aos saberes e práticas docentes, a relevância do contexto sócio-político e da produção de conhecimentos e aprendizagens sobre a docência. À luz desses fundamentos, e direcionando o foco às quatro alfabetizadoras da escola, analisa-se um conjunto de escritas desencadeadas no desenvolvimento de um projeto pedagógico coletivo pela escola: atas, diários, relatos da prática, textos de análise e avaliação da experiência. A análise evidenciou o papel formador da escrita, a agregação de um elevado nível de refinamento intelectual e elaboração reflexiva, pelo efeito de retroação e compreensão que produz e que movimenta as subjetividades. A textualização escrita da prática, pela mudança do gênero de discurso, esforço analítico, inclusão da alteridade e efeitos de deslocamento, inseriu as professoras num patamar de recriação da experiência e de desenvolvimento da própria esfera da prática educativa. Entre os principais resultados deste estudo, constataram-se contribuições dos estudos da linguagem e das atividades de escrita para a formação de professores: desenvolvimento da autoria e de atitudes e competências investigativas; reconhecimento de aspectos sociopolíticos que enleiam as práticas pedagógicas; valorização da aproximação pessoal entre os membros do grupo; fortalecimento da identidade profissional; valorização do conhecimento; desenvolvimento do compromisso ético-político com o ensino; mudanças conceituais sobre a escrita e a prática pedagógica e melhoria da prática. As contribuições conceituais de Bakhtin e Vigotski, principalmente pelo papel que concedem ao outro e à linguagem na produção da autoria, evidenciaram-se como uma valiosa sustentação teórica à pesquisa colaborativa e ao desenvolvimento profissional docente.
publishDate 2007
dc.date.issued.fl_str_mv 2007-08-10
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/T.48.2007.tde-05102007-155154
url https://doi.org/10.11606/T.48.2007.tde-05102007-155154
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Educação
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376586152378368