Caracterização dos genes CCL5, FST e SLIT2 no processo de desenvolvimento e regressão do corpo lúteo de cadelas não prenhes

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2020
Autor(a) principal: Luiz Antonio Berto Gomes
Orientador(a): Paula de Carvalho Papa Keohane
Banca de defesa: Alex Sander Dias Machado, Liza Margareth Medeiros de Carvalho Sousa
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Reprodução Animal
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/D.10.2020.tde-05082020-123626
Resumo: A cadela é um animal monoéstrico, não sazonal, que apresenta anestro entre as fases reprodutivas ativas. O ciclo estral é controlado pelo eixo hipotálamo-hipófise-gonadal por atuação dos hormônios folículo estimulante (FSH), luteinizante (LH), 17b-estradiol (E2) e progesterona (P4), e ainda por ativinas e inibinas. O corpo lúteo (CL), glândula endócrina presente no diestro de cadelas prenhes e de não prenhes, secreta tanto P4 quanto E2, que atua de maneira autócrina, parácrina e endócrina, controlando a função luteínica. O E2 se liga aos receptores (ERs) alfa (ERa) e beta (ERb), considerados em algumas espécies como luteotrófico e luteolítico, respectivamente. Quimiocinas, como RANTES (CCL5), folistatina (FST) e slit guidance ligand 2 (SLIT2) podem estar relacionados a esses processos e serem regulados pela ligação E2-ERs. Este estudo teve interesse em caracterizar a expressão dos genes CCL5, FST, SLIT2, ESR1 (ERa) e ESR2 (ERb) no CL de cadelas cíclicas não prenhes através da técnica RNAseq, validá-los pelo RT-qPCR. Foram utilizados 30 CLs provenientes de cadelas não prenhes nos dias 10, 20, 30, 40, 50 e 60 após a ovulação (RNAseq n=3/grupo; RT-qPCR n=5/grupo). ESR1 e ESR2 não foram considerados diferencialmente expressos ao RNAseq; CCL5, FST e SLIT2 apresentaram aumento progressivo nas comparações do início em relação ao final do diestro. Ao RT-qPCR, o mRNA de SLIT2 estava mais expresso no dia 60 após a ovulação (p.o.) em relação ao dia 10. O mRNA do ESR2 apresentou aumento na expressão nos dias 20 e 40 p.o. em relação ao dia 30 p.o. Não houve diferença significativa para CCL5, FST e ESR1 ao RT-qPCR. Os resultados sugerem que a expressão de SLIT2 varie ao longo do diestro e responda a interação entre E2 e ERb, contribuindo com os sinais apoptóticos que aparecem durante a regressão luteínica. Apesar do mRNA de FST e CCL5 estarem presentes no CL canino, estes não apresentam variações significativas durante a formação, manutenção e regressão do corpo lúteo. Assim, o papel desta expressão precisa ser melhor investigado.
id USP_8b90588cd4f92c0d6cadaab1e444091e
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05082020-123626
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesis Caracterização dos genes CCL5, FST e SLIT2 no processo de desenvolvimento e regressão do corpo lúteo de cadelas não prenhes Characterization of CCL5, FST and SLIT2 genes in the process of development and regression of corpus luteum of non-pregnant bitches 2020-06-05Paula de Carvalho Papa KeohaneAlex Sander Dias MachadoLiza Margareth Medeiros de Carvalho SousaLuiz Antonio Berto GomesUniversidade de São PauloReprodução AnimalUSPBR CCL5 CCL5 Corpo lúteo Corpus luteum ESR ESR FST FST SLIT2 SLIT2 A cadela é um animal monoéstrico, não sazonal, que apresenta anestro entre as fases reprodutivas ativas. O ciclo estral é controlado pelo eixo hipotálamo-hipófise-gonadal por atuação dos hormônios folículo estimulante (FSH), luteinizante (LH), 17b-estradiol (E2) e progesterona (P4), e ainda por ativinas e inibinas. O corpo lúteo (CL), glândula endócrina presente no diestro de cadelas prenhes e de não prenhes, secreta tanto P4 quanto E2, que atua de maneira autócrina, parácrina e endócrina, controlando a função luteínica. O E2 se liga aos receptores (ERs) alfa (ERa) e beta (ERb), considerados em algumas espécies como luteotrófico e luteolítico, respectivamente. Quimiocinas, como RANTES (CCL5), folistatina (FST) e slit guidance ligand 2 (SLIT2) podem estar relacionados a esses processos e serem regulados pela ligação E2-ERs. Este estudo teve interesse em caracterizar a expressão dos genes CCL5, FST, SLIT2, ESR1 (ERa) e ESR2 (ERb) no CL de cadelas cíclicas não prenhes através da técnica RNAseq, validá-los pelo RT-qPCR. Foram utilizados 30 CLs provenientes de cadelas não prenhes nos dias 10, 20, 30, 40, 50 e 60 após a ovulação (RNAseq n=3/grupo; RT-qPCR n=5/grupo). ESR1 e ESR2 não foram considerados diferencialmente expressos ao RNAseq; CCL5, FST e SLIT2 apresentaram aumento progressivo nas comparações do início em relação ao final do diestro. Ao RT-qPCR, o mRNA de SLIT2 estava mais expresso no dia 60 após a ovulação (p.o.) em relação ao dia 10. O mRNA do ESR2 apresentou aumento na expressão nos dias 20 e 40 p.o. em relação ao dia 30 p.o. Não houve diferença significativa para CCL5, FST e ESR1 ao RT-qPCR. Os resultados sugerem que a expressão de SLIT2 varie ao longo do diestro e responda a interação entre E2 e ERb, contribuindo com os sinais apoptóticos que aparecem durante a regressão luteínica. Apesar do mRNA de FST e CCL5 estarem presentes no CL canino, estes não apresentam variações significativas durante a formação, manutenção e regressão do corpo lúteo. Assim, o papel desta expressão precisa ser melhor investigado. The female dog is a monoestric, non-seasonal breeder, wihch presents anestrus between the active reproductive phases. The estrus cycle is controlled by the hypothalamus-pituitary- ovarian axis by the action of the follicle stimulating (FSH), luteinizing (LH), 17b-estradiol (E2) and progesterone (P4) hormones, and also by activins and inhibins. The canine corpus luteum (CL), an endocrine gland present along diestrus, secretes both P4 and E2, which acts in an autocrine, paracrine and endocrine manner controlling the luteal function. E2 binds to its receptors alpha (ERa) and beta (ERb), considered in some species as luteotropic and luteolytic, respectivelyChemokines like RANTES (CCL5), follistatin (FST) and slit guidance ligant 2 (SLIT2) can be releated to these processes and regulated by E2-ERs. The aim of this study was to characterize expression of CCL5, FST, SLIT2, ESR1 (ERa) and ESR2 (ERb) genes in the cyclic CL throught RNAseq technique, validate them by RT-qPCR. Thirty CLs from non- pregnant dogs on days 10, 20, 30, 40, 50 and 60 after avulation (p.o.) were used (RNAseq n=3/group; RT-qPCR n=5/group). ESR1 and ESR2 were not significantly different in the RNAseq analysis; CCL5, FST and SLIT2 showed progressive increase from day 10 post- ovulation ownards. By RT-qPCR analysis, SLIT2 mRNA was upregulated on the day 60 in comparison to day 10 p.o. ESR2 mRNA was upregulated on days 20 and 40 in comparison to day 30 p.o. CCL5, FST and ESR1 mRNA showed no significant difference. Results suggest that the SLIT2 expression varies through the diestrus and responds to the interaction between E2 and ERb, contributing to the apoptotic signals during the luteal regression. Althought FST and CCL5 mRNAs are expressed in the canine CL, they do not present signifficant variation during the formation, maintenance and regression of the CL. Thus, their role needs further investigation. https://doi.org/10.11606/D.10.2020.tde-05082020-123626info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:28Zoai:teses.usp.br:tde-05082020-123626Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212020-08-20T19:50:02Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Caracterização dos genes CCL5, FST e SLIT2 no processo de desenvolvimento e regressão do corpo lúteo de cadelas não prenhes
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Characterization of CCL5, FST and SLIT2 genes in the process of development and regression of corpus luteum of non-pregnant bitches
title Caracterização dos genes CCL5, FST e SLIT2 no processo de desenvolvimento e regressão do corpo lúteo de cadelas não prenhes
spellingShingle Caracterização dos genes CCL5, FST e SLIT2 no processo de desenvolvimento e regressão do corpo lúteo de cadelas não prenhes
Luiz Antonio Berto Gomes
title_short Caracterização dos genes CCL5, FST e SLIT2 no processo de desenvolvimento e regressão do corpo lúteo de cadelas não prenhes
title_full Caracterização dos genes CCL5, FST e SLIT2 no processo de desenvolvimento e regressão do corpo lúteo de cadelas não prenhes
title_fullStr Caracterização dos genes CCL5, FST e SLIT2 no processo de desenvolvimento e regressão do corpo lúteo de cadelas não prenhes
title_full_unstemmed Caracterização dos genes CCL5, FST e SLIT2 no processo de desenvolvimento e regressão do corpo lúteo de cadelas não prenhes
title_sort Caracterização dos genes CCL5, FST e SLIT2 no processo de desenvolvimento e regressão do corpo lúteo de cadelas não prenhes
author Luiz Antonio Berto Gomes
author_facet Luiz Antonio Berto Gomes
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Paula de Carvalho Papa Keohane
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Alex Sander Dias Machado
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Liza Margareth Medeiros de Carvalho Sousa
dc.contributor.author.fl_str_mv Luiz Antonio Berto Gomes
contributor_str_mv Paula de Carvalho Papa Keohane
Alex Sander Dias Machado
Liza Margareth Medeiros de Carvalho Sousa
description A cadela é um animal monoéstrico, não sazonal, que apresenta anestro entre as fases reprodutivas ativas. O ciclo estral é controlado pelo eixo hipotálamo-hipófise-gonadal por atuação dos hormônios folículo estimulante (FSH), luteinizante (LH), 17b-estradiol (E2) e progesterona (P4), e ainda por ativinas e inibinas. O corpo lúteo (CL), glândula endócrina presente no diestro de cadelas prenhes e de não prenhes, secreta tanto P4 quanto E2, que atua de maneira autócrina, parácrina e endócrina, controlando a função luteínica. O E2 se liga aos receptores (ERs) alfa (ERa) e beta (ERb), considerados em algumas espécies como luteotrófico e luteolítico, respectivamente. Quimiocinas, como RANTES (CCL5), folistatina (FST) e slit guidance ligand 2 (SLIT2) podem estar relacionados a esses processos e serem regulados pela ligação E2-ERs. Este estudo teve interesse em caracterizar a expressão dos genes CCL5, FST, SLIT2, ESR1 (ERa) e ESR2 (ERb) no CL de cadelas cíclicas não prenhes através da técnica RNAseq, validá-los pelo RT-qPCR. Foram utilizados 30 CLs provenientes de cadelas não prenhes nos dias 10, 20, 30, 40, 50 e 60 após a ovulação (RNAseq n=3/grupo; RT-qPCR n=5/grupo). ESR1 e ESR2 não foram considerados diferencialmente expressos ao RNAseq; CCL5, FST e SLIT2 apresentaram aumento progressivo nas comparações do início em relação ao final do diestro. Ao RT-qPCR, o mRNA de SLIT2 estava mais expresso no dia 60 após a ovulação (p.o.) em relação ao dia 10. O mRNA do ESR2 apresentou aumento na expressão nos dias 20 e 40 p.o. em relação ao dia 30 p.o. Não houve diferença significativa para CCL5, FST e ESR1 ao RT-qPCR. Os resultados sugerem que a expressão de SLIT2 varie ao longo do diestro e responda a interação entre E2 e ERb, contribuindo com os sinais apoptóticos que aparecem durante a regressão luteínica. Apesar do mRNA de FST e CCL5 estarem presentes no CL canino, estes não apresentam variações significativas durante a formação, manutenção e regressão do corpo lúteo. Assim, o papel desta expressão precisa ser melhor investigado.
publishDate 2020
dc.date.issued.fl_str_mv 2020-06-05
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/D.10.2020.tde-05082020-123626
url https://doi.org/10.11606/D.10.2020.tde-05082020-123626
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Reprodução Animal
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376582762332160