Cidade-Canal de Ibiúna e Hidrovia do Alto Sorocaba: interligação hidroanel metropolitano-hidrovia Tietê - Paraná

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2017
Autor(a) principal: André Villas Boas
Orientador(a): Alexandre Carlos Penha Delijaicov
Banca de defesa: Não Informado pela instituição
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Arquitetura e Urbanismo
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/D.16.2018.tde-29062017-134551
Resumo: O presente trabalho se enquadra na visão de projeto como pesquisa e desenvolve a arquitetura do programa de uma cidade fluvial a ser implantada no leito maior do ribeirão da Vargem Grande e do Sorocamirim, rios que fazem a divisa entre os municípios de Ibiúna, São Roque e Vargem Grande Paulista e estão situados na subbacia hidrográfica do Alto Sorocaba, gerenciada pelo Comitê de Bacia Hidrográfica do rio Sorocaba e Médio Tietê. A partir da tríade programa, lugar e construção, é feito um ensaio projetual que serve à abordagem de conceitos como urbanismo lento e rua viva. A Cidade-Canal de Ibiúna é uma cidade linear de 25km construída ao longo de um sistema de lagos-canais que, em grande parte do percurso, preserva o curso do leito menor do rio Sorocamirim e do ribeirão da Vargem Grande. A Cidade-Canal faz contraponto à cidade rodoviarista e propõe uma nova temporalidade ao estruturar-se em torno da presença material da água na vida cotidiana de seus habitantes e do espaço da várzea como paisagem urbana. Um sistema de parques fluviais é criado com o objetivo de recuperar a mata ciliar nativa e garantir a oferta hídrica para funcionamento das infraestruturas hidráulicas dentro da lógica do uso múltiplo das águas. O canal artificial de navegação é uma hidrovia urbana. Potencialmente, a Hidrovia do Alto Sorocaba, como parte da Hidrovia do Alto-Médio Tietê, poderia fazer a interligação entre a rede hidroviária do Alto Tietê (Hidroanel Metropolitano) e a Hidrovia Tietê-Paraná ao vencer um divisor de águas e um desnível líquido total de 183m entre os munícipios de Santana do Parnaíba e Salto. Porém, diante das dificuldades físico-territoriais e operacionais de um sistema tão complexo, o potencial mais promissor da Hidrovia do Sorocaba é o de conectar, ao longo de seus cerca de 200km, uma série de outras estruturas urbanas de modo a conformar uma rede de cidades-fluviais modelo. Esta pesquisa se alinha aos interesses do Grupo Metrópole Fluvial (GMF), pertencente ao Laboratório de Projeto do Departamento de Projeto (LabProj) da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP) e visa difundir a cultura de projeto de arquitetura de infraestruturas urbanas fluviais.
id USP_d08bbc26508033ec58dbb494dcec52d5
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-29062017-134551
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesis Cidade-Canal de Ibiúna e Hidrovia do Alto Sorocaba: interligação hidroanel metropolitano-hidrovia Tietê - Paraná City-Channel of Ibiúna and waterway of the Alto Sorocaba: metropolitan hydroelectric interconnection - Tietê-Paraná waterway 2017-05-18Alexandre Carlos Penha DelijaicovAndré Villas BoasUniversidade de São PauloArquitetura e UrbanismoUSPBR Cidades lineares Hidrovias Infraestrutura urbana Infrastructure Linear cities Urbanism Urbanismo Waterways O presente trabalho se enquadra na visão de projeto como pesquisa e desenvolve a arquitetura do programa de uma cidade fluvial a ser implantada no leito maior do ribeirão da Vargem Grande e do Sorocamirim, rios que fazem a divisa entre os municípios de Ibiúna, São Roque e Vargem Grande Paulista e estão situados na subbacia hidrográfica do Alto Sorocaba, gerenciada pelo Comitê de Bacia Hidrográfica do rio Sorocaba e Médio Tietê. A partir da tríade programa, lugar e construção, é feito um ensaio projetual que serve à abordagem de conceitos como urbanismo lento e rua viva. A Cidade-Canal de Ibiúna é uma cidade linear de 25km construída ao longo de um sistema de lagos-canais que, em grande parte do percurso, preserva o curso do leito menor do rio Sorocamirim e do ribeirão da Vargem Grande. A Cidade-Canal faz contraponto à cidade rodoviarista e propõe uma nova temporalidade ao estruturar-se em torno da presença material da água na vida cotidiana de seus habitantes e do espaço da várzea como paisagem urbana. Um sistema de parques fluviais é criado com o objetivo de recuperar a mata ciliar nativa e garantir a oferta hídrica para funcionamento das infraestruturas hidráulicas dentro da lógica do uso múltiplo das águas. O canal artificial de navegação é uma hidrovia urbana. Potencialmente, a Hidrovia do Alto Sorocaba, como parte da Hidrovia do Alto-Médio Tietê, poderia fazer a interligação entre a rede hidroviária do Alto Tietê (Hidroanel Metropolitano) e a Hidrovia Tietê-Paraná ao vencer um divisor de águas e um desnível líquido total de 183m entre os munícipios de Santana do Parnaíba e Salto. Porém, diante das dificuldades físico-territoriais e operacionais de um sistema tão complexo, o potencial mais promissor da Hidrovia do Sorocaba é o de conectar, ao longo de seus cerca de 200km, uma série de outras estruturas urbanas de modo a conformar uma rede de cidades-fluviais modelo. Esta pesquisa se alinha aos interesses do Grupo Metrópole Fluvial (GMF), pertencente ao Laboratório de Projeto do Departamento de Projeto (LabProj) da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP) e visa difundir a cultura de projeto de arquitetura de infraestruturas urbanas fluviais. This work pertains to the vision of project as research and elaborates the architecture of the program of a fluvial city to be set up in the larger riverbed of Vargem Grande creek and Sorocamirim river, that divide the municipalities of Ibiúna, São Roque, and Vargem Grande Paulista and are situated in the Alto Sorocaba hydrographic subbasin, managed by the Hydrographic Basin Committee of the Sorocaba and Médio Tietê rivers. Based on the triad \"program, place, and construction\", a project essay is made to approach concepts such as slow urbanism and living street. Ibiúna Canal-City is a linear city of 25km built alongside a system of canal lakes that, in a long stretch of its trajectory, preserves the course of the smaller riverbeds of the Sorocamirim river and the Vargem Grande creek. The canal-city is a counterpoint to the motorway city and proposes a new temporality structured around the material presence of water in the daily life of the inhabitants and of the space of the marshes as an urban landscape. A system of fluvial parks is created with the goal of restoring the native ciliary woods and guaranteeing the hydric offer for the operation of the hydraulic infrastructures within the logic of the multiple usages of the waters. The artificial navigation canal is an urban waterway. The Alto Sorocaba Waterway, as part of the Alto-Médio Tietê Waterway, could potentially make the connection between the Alto Tietê waterway network (Metropolitan Waterway Ring) and the Tietê-Paraná Waterway, bridging a watershed and a total liquid elevation of 183m between the municipalities of Santana de Parnaíba and Salto. However, given the physical, territorial, and operational difficulties of such a complex system, the most promising potential of the Sorocaba Waterway is to connect, along its approximately 200km, a series of other urban structures so as to form a network of model fluvial cities. This research is aligned with the interests of the Fluvial Metropolis Group (GMF), that belongs to the Project Laboratory of the Project Department (LabProj) of the Architecture and Urbanism School of the University of São Paulo (FAU USP), and it aims at disseminating the culture of the architecture project of urban fluvial infrastructures. https://doi.org/10.11606/D.16.2018.tde-29062017-134551info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T20:23:35Zoai:teses.usp.br:tde-29062017-134551Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212019-04-10T00:06:19Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Cidade-Canal de Ibiúna e Hidrovia do Alto Sorocaba: interligação hidroanel metropolitano-hidrovia Tietê - Paraná
dc.title.alternative.en.fl_str_mv City-Channel of Ibiúna and waterway of the Alto Sorocaba: metropolitan hydroelectric interconnection - Tietê-Paraná waterway
title Cidade-Canal de Ibiúna e Hidrovia do Alto Sorocaba: interligação hidroanel metropolitano-hidrovia Tietê - Paraná
spellingShingle Cidade-Canal de Ibiúna e Hidrovia do Alto Sorocaba: interligação hidroanel metropolitano-hidrovia Tietê - Paraná
André Villas Boas
title_short Cidade-Canal de Ibiúna e Hidrovia do Alto Sorocaba: interligação hidroanel metropolitano-hidrovia Tietê - Paraná
title_full Cidade-Canal de Ibiúna e Hidrovia do Alto Sorocaba: interligação hidroanel metropolitano-hidrovia Tietê - Paraná
title_fullStr Cidade-Canal de Ibiúna e Hidrovia do Alto Sorocaba: interligação hidroanel metropolitano-hidrovia Tietê - Paraná
title_full_unstemmed Cidade-Canal de Ibiúna e Hidrovia do Alto Sorocaba: interligação hidroanel metropolitano-hidrovia Tietê - Paraná
title_sort Cidade-Canal de Ibiúna e Hidrovia do Alto Sorocaba: interligação hidroanel metropolitano-hidrovia Tietê - Paraná
author André Villas Boas
author_facet André Villas Boas
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Alexandre Carlos Penha Delijaicov
dc.contributor.author.fl_str_mv André Villas Boas
contributor_str_mv Alexandre Carlos Penha Delijaicov
description O presente trabalho se enquadra na visão de projeto como pesquisa e desenvolve a arquitetura do programa de uma cidade fluvial a ser implantada no leito maior do ribeirão da Vargem Grande e do Sorocamirim, rios que fazem a divisa entre os municípios de Ibiúna, São Roque e Vargem Grande Paulista e estão situados na subbacia hidrográfica do Alto Sorocaba, gerenciada pelo Comitê de Bacia Hidrográfica do rio Sorocaba e Médio Tietê. A partir da tríade programa, lugar e construção, é feito um ensaio projetual que serve à abordagem de conceitos como urbanismo lento e rua viva. A Cidade-Canal de Ibiúna é uma cidade linear de 25km construída ao longo de um sistema de lagos-canais que, em grande parte do percurso, preserva o curso do leito menor do rio Sorocamirim e do ribeirão da Vargem Grande. A Cidade-Canal faz contraponto à cidade rodoviarista e propõe uma nova temporalidade ao estruturar-se em torno da presença material da água na vida cotidiana de seus habitantes e do espaço da várzea como paisagem urbana. Um sistema de parques fluviais é criado com o objetivo de recuperar a mata ciliar nativa e garantir a oferta hídrica para funcionamento das infraestruturas hidráulicas dentro da lógica do uso múltiplo das águas. O canal artificial de navegação é uma hidrovia urbana. Potencialmente, a Hidrovia do Alto Sorocaba, como parte da Hidrovia do Alto-Médio Tietê, poderia fazer a interligação entre a rede hidroviária do Alto Tietê (Hidroanel Metropolitano) e a Hidrovia Tietê-Paraná ao vencer um divisor de águas e um desnível líquido total de 183m entre os munícipios de Santana do Parnaíba e Salto. Porém, diante das dificuldades físico-territoriais e operacionais de um sistema tão complexo, o potencial mais promissor da Hidrovia do Sorocaba é o de conectar, ao longo de seus cerca de 200km, uma série de outras estruturas urbanas de modo a conformar uma rede de cidades-fluviais modelo. Esta pesquisa se alinha aos interesses do Grupo Metrópole Fluvial (GMF), pertencente ao Laboratório de Projeto do Departamento de Projeto (LabProj) da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP) e visa difundir a cultura de projeto de arquitetura de infraestruturas urbanas fluviais.
publishDate 2017
dc.date.issued.fl_str_mv 2017-05-18
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/D.16.2018.tde-29062017-134551
url https://doi.org/10.11606/D.16.2018.tde-29062017-134551
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Arquitetura e Urbanismo
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786377230016839680