Isolamento de bactérias degradadoras de Bisfenol A do ambiente estuarino da Baixada Santista

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2018
Autor(a) principal: Felipe Silva de Santana
Orientador(a): Elen Aquino Perpetuo
Banca de defesa: Ingrid Regina Avanzi, Thiago Olitta Basso, Flavia Talarico Saia
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Biotecnologia
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/D.87.2019.tde-09042019-105635
Resumo: A exposição ao Bisfenol A (BFA) ocorre frequentemente no nosso dia a dia,uma vez que esse composto é um plastificante presente em muitos utensílios domésticos, como, por exemplo, embalagens e garrafas. No entanto, esta exposição, mesmo em baixas concentrações (ng.L -¹), pode causar sérios danos ao sistema endócrino. Esses danos devem-se ao fato do BFA ser um disruptor endócrino, onde os receptores hormonais o confundem com o estrogênio ou o estriol. Diante deste cenário, o estudo de formas de mitigação deste composto no meio ambiente faz-se necessário. Uma das alternativas para remoção deste contaminante do meio ambiente é a biodegradação por bactérias selecionadas de ambientes contaminados com BFA. Neste contexto, este trabalho visou isolar bactérias degradadoras de BFA, analisar o crescimento celular das bactérias usando o BFA como fonte de carbono e quantificar a biodegradação deste composto. Foram isolados nesse trabalho 15 cepas diferentes de bactérias aeróbias do Sistema Estuarino de Santos (SES), o qual possui forte impacto antrópico pelo grande fluxo de pessoas. Além disso, o SES abriga o maior porto da América Latina (Porto de Santos) e o Polo Industrial de Cubatão. Dos micro-organismos isolados, a cepa de Shewanella sp. foi escolhida para o estudo de biodegradação, uma vez que a mesma foi capaz de tolerar até 150 mg.L- ¹ de BFA. A linhagem de Shewanella sp. isolada foi capaz de biotransformar aproximadamente 75 mg.L- ¹ de BFA em 10 horas com um µ máx de 0,123 e um Y(x/s) de 14 % em meio de cultura líquido.
id USP_e065ddeffb644b85a7f760bb31d49c33
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-09042019-105635
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesis Isolamento de bactérias degradadoras de Bisfenol A do ambiente estuarino da Baixada Santista Isolation of bisphenol A-degrading bacteria from the estuarine environment of Baixada Santista 2018-08-02Elen Aquino PerpetuoIngrid Regina AvanziThiago Olitta BassoFlavia Talarico SaiaFelipe Silva de SantanaUniversidade de São PauloBiotecnologiaUSPBR Biodegradação Biodegradation Bioremediation Biorremediação Bisfenol A Bisphenol A A exposição ao Bisfenol A (BFA) ocorre frequentemente no nosso dia a dia,uma vez que esse composto é um plastificante presente em muitos utensílios domésticos, como, por exemplo, embalagens e garrafas. No entanto, esta exposição, mesmo em baixas concentrações (ng.L -¹), pode causar sérios danos ao sistema endócrino. Esses danos devem-se ao fato do BFA ser um disruptor endócrino, onde os receptores hormonais o confundem com o estrogênio ou o estriol. Diante deste cenário, o estudo de formas de mitigação deste composto no meio ambiente faz-se necessário. Uma das alternativas para remoção deste contaminante do meio ambiente é a biodegradação por bactérias selecionadas de ambientes contaminados com BFA. Neste contexto, este trabalho visou isolar bactérias degradadoras de BFA, analisar o crescimento celular das bactérias usando o BFA como fonte de carbono e quantificar a biodegradação deste composto. Foram isolados nesse trabalho 15 cepas diferentes de bactérias aeróbias do Sistema Estuarino de Santos (SES), o qual possui forte impacto antrópico pelo grande fluxo de pessoas. Além disso, o SES abriga o maior porto da América Latina (Porto de Santos) e o Polo Industrial de Cubatão. Dos micro-organismos isolados, a cepa de Shewanella sp. foi escolhida para o estudo de biodegradação, uma vez que a mesma foi capaz de tolerar até 150 mg.L- ¹ de BFA. A linhagem de Shewanella sp. isolada foi capaz de biotransformar aproximadamente 75 mg.L- ¹ de BFA em 10 horas com um µ máx de 0,123 e um Y(x/s) de 14 % em meio de cultura líquido. The exposure to Bisphenol A (BPA) occurs frequently since this compound is a plasticizer present in many households items such as packaging and bottles. However, even the low exposure (ng.L-¹) can cause severe damage to the endocrine system and these damages are due to endocrine disruptor-activity of BPA. The hormonal receptors mistake this compound as estrogen or estriol, thus, mitigation studies to remove this contaminant from the environment are essential. One of the alternatives to remove this xenobiotic from the environment is the bioremediation by selected bacteria isolated from a BPA impacted environment. In this context, this paper aimed to isolate BPAdegrading bacteria, analyze cellular growth and biodegradation hability using BPA as a carbon source. It have been isolated fifteen different aerobic bacteria strains from the Santos Estuary System (SES), which represents one of the most important Brazilian examples of environmental degradation due to water or atmospheric pollution of industrial origin in coastal environment. In addition, SES it is home to the largest port in South America (Port of Santos) and a large industrial pole located in Cubatão. The isolated strain Shewanella halioti was chosen to this work, once is a few explored micro-organism regarding biodegradation of hydrocarbons. Shewanella halioti was able to tolerate up to 150 mg.L-¹ of BPA and biotransform 75 mg.L-¹ in 10 hours in liquid culture medium. https://doi.org/10.11606/D.87.2019.tde-09042019-105635info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:31:52Zoai:teses.usp.br:tde-09042019-105635Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212019-07-04T17:55:24Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Isolamento de bactérias degradadoras de Bisfenol A do ambiente estuarino da Baixada Santista
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Isolation of bisphenol A-degrading bacteria from the estuarine environment of Baixada Santista
title Isolamento de bactérias degradadoras de Bisfenol A do ambiente estuarino da Baixada Santista
spellingShingle Isolamento de bactérias degradadoras de Bisfenol A do ambiente estuarino da Baixada Santista
Felipe Silva de Santana
title_short Isolamento de bactérias degradadoras de Bisfenol A do ambiente estuarino da Baixada Santista
title_full Isolamento de bactérias degradadoras de Bisfenol A do ambiente estuarino da Baixada Santista
title_fullStr Isolamento de bactérias degradadoras de Bisfenol A do ambiente estuarino da Baixada Santista
title_full_unstemmed Isolamento de bactérias degradadoras de Bisfenol A do ambiente estuarino da Baixada Santista
title_sort Isolamento de bactérias degradadoras de Bisfenol A do ambiente estuarino da Baixada Santista
author Felipe Silva de Santana
author_facet Felipe Silva de Santana
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Elen Aquino Perpetuo
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Ingrid Regina Avanzi
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Thiago Olitta Basso
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Flavia Talarico Saia
dc.contributor.author.fl_str_mv Felipe Silva de Santana
contributor_str_mv Elen Aquino Perpetuo
Ingrid Regina Avanzi
Thiago Olitta Basso
Flavia Talarico Saia
description A exposição ao Bisfenol A (BFA) ocorre frequentemente no nosso dia a dia,uma vez que esse composto é um plastificante presente em muitos utensílios domésticos, como, por exemplo, embalagens e garrafas. No entanto, esta exposição, mesmo em baixas concentrações (ng.L -¹), pode causar sérios danos ao sistema endócrino. Esses danos devem-se ao fato do BFA ser um disruptor endócrino, onde os receptores hormonais o confundem com o estrogênio ou o estriol. Diante deste cenário, o estudo de formas de mitigação deste composto no meio ambiente faz-se necessário. Uma das alternativas para remoção deste contaminante do meio ambiente é a biodegradação por bactérias selecionadas de ambientes contaminados com BFA. Neste contexto, este trabalho visou isolar bactérias degradadoras de BFA, analisar o crescimento celular das bactérias usando o BFA como fonte de carbono e quantificar a biodegradação deste composto. Foram isolados nesse trabalho 15 cepas diferentes de bactérias aeróbias do Sistema Estuarino de Santos (SES), o qual possui forte impacto antrópico pelo grande fluxo de pessoas. Além disso, o SES abriga o maior porto da América Latina (Porto de Santos) e o Polo Industrial de Cubatão. Dos micro-organismos isolados, a cepa de Shewanella sp. foi escolhida para o estudo de biodegradação, uma vez que a mesma foi capaz de tolerar até 150 mg.L- ¹ de BFA. A linhagem de Shewanella sp. isolada foi capaz de biotransformar aproximadamente 75 mg.L- ¹ de BFA em 10 horas com um µ máx de 0,123 e um Y(x/s) de 14 % em meio de cultura líquido.
publishDate 2018
dc.date.issued.fl_str_mv 2018-08-02
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/D.87.2019.tde-09042019-105635
url https://doi.org/10.11606/D.87.2019.tde-09042019-105635
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Biotecnologia
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376686475935744