Avaliação da efetividade de um modelo da terapia cognitivo-comportamental em grupos para transtorno de ansiedade social: ensaio clínico randomizado

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2017
Autor(a) principal: Priscila de Camargo Palma
Orientador(a): Carmem Beatriz Neufeld
Banca de defesa: Antonio Egidio Nardi, Flavia de Lima Osorio, Bernard Pimentel Rangé, Priscila Goergen Brust Renck
Tipo de documento: Tese
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Psicologia
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/T.59.2017.tde-05092017-163256
Resumo: O Transtorno de Ansiedade Social (TAS) consiste em um medo acentuado e persistente de situações sociais ou de desempenho nas quais o indivíduo poderia sentir vergonha. Dentre os transtornos de ansiedade, o TAS é um dos mais prevalecentes, sendo considerado o quinto transtorno mais incapacitante, contudo, a busca por tratamento é muito baixa. Diferentes estudos clínicos randomizados evidenciam que a TCCG apresenta resultados satisfatórios e duradouros, sendo considerada padrão ouro de intervenção para TAS, porém, ainda assim, uma parcela de pacientes com TAS não respondem ao tratamento. Assim sendo, o objetivo deste trabalho foi investigar o efeito de uma intervenção em grupo de exposição com alto custo social em pacientes com TAS sobre variáveis psicológicas e também sobre a qualidade de memória. A intervenção utilizada nesse estudo foi a proposta por Hofmann e Otto (2008). Dentre as variáveis psicológicas estudadas foram avaliadas mudanças em sintomas de ansiedade social, ansiedade, medo da avaliação negativa, esquiva e desconforto social, depressão e sintomas de transtornos psiquiátricos comuns. Participaram desse estudo 58 adultos, compondo três grupos experimentais diferentes: o grupo de comparação sem TAS, que consiste em participantes sem sintomas clínicos, o grupo de comparação com TAS, que são participantes portadores de TAS os quais não realizaram a intervenção durante a pesquisa (grupo lista de espera) e o grupo de portadores de TAS participaram da intervenção (grupo TCCG). Um pesquisador independente ao estudo realizou a distribuição aleatória dos participantes com TAS entre os grupos TCCG e lista de espera. Foram realizadas avaliações no pré e pós-teste através do Inventário de Fobia Social (SPIN), Inventários de Ansiedade e Depressão de Beck (BAI e BDI-II), Escala de Medo da Avaliação Negativa (FNE), Escala de Esquiva e Desconforto Social (SADS), Questionário sobre a saúde do paciente (PHQ-9), Questionário de Autorrelato (SRQ) e teste de falsas memórias. Assim, os resultados encontrados evidenciam que a intervenção alcançou redução significativa nos sintomas de ansiedade social, ansiedade geral, depressão e sintomas de transtornos mentais comuns, mostrando que foi uma intervenção efetiva. Além disso, os escores relacionados à ansiedade geral, depressão e sintomas de transtornos mentais comuns, após a intervenção foram equiparados com o escore obtidos pelo grupo de participantes saudáveis, evidenciando a excelente eficácia do processo de intervenção. A eficácia também pode ser constatada a partir da mensuração do tamanho de efeito grande encontrado no estudo relacionado ao principal instrumento de avaliação de TAS utilizado (SPIN), ou seja, esse estudo evidenciou que a forma psicoterápica utilizada atingiu o objetivo esperado da intervenção considerada padrão ouro. No que concerne às medidas relacionadas à qualidade de memória, a hipótese inicial relacionava-se à teoria de que os indivíduos ansiosos sociais apresentariam um número maior de falsas memórias e/ou uma redução de memórias verdadeiras, porém essa hipótese não foi confirmada.
id USP_eccb6237453f90524b95d063eef1177c
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05092017-163256
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesis Avaliação da efetividade de um modelo da terapia cognitivo-comportamental em grupos para transtorno de ansiedade social: ensaio clínico randomizado Evaluation of the effectiveness of a Cognitive-Behavioral Group Therapy for Social Anxiety Disorder: Randomized Clinical Trial 2017-06-08Carmem Beatriz NeufeldAntonio Egidio NardiFlavia de Lima OsorioBernard Pimentel RangéPriscila Goergen Brust RenckPriscila de Camargo PalmaUniversidade de São PauloPsicologiaUSPBR Cognitive Behavioral Group Therapy Exposição de alto custo social Exposure of high social cost Social Anxiety Disorder (SAD) Terapia Cognitivo Comportamental em Grupo Transtorno de Ansiedade Social (TAS) O Transtorno de Ansiedade Social (TAS) consiste em um medo acentuado e persistente de situações sociais ou de desempenho nas quais o indivíduo poderia sentir vergonha. Dentre os transtornos de ansiedade, o TAS é um dos mais prevalecentes, sendo considerado o quinto transtorno mais incapacitante, contudo, a busca por tratamento é muito baixa. Diferentes estudos clínicos randomizados evidenciam que a TCCG apresenta resultados satisfatórios e duradouros, sendo considerada padrão ouro de intervenção para TAS, porém, ainda assim, uma parcela de pacientes com TAS não respondem ao tratamento. Assim sendo, o objetivo deste trabalho foi investigar o efeito de uma intervenção em grupo de exposição com alto custo social em pacientes com TAS sobre variáveis psicológicas e também sobre a qualidade de memória. A intervenção utilizada nesse estudo foi a proposta por Hofmann e Otto (2008). Dentre as variáveis psicológicas estudadas foram avaliadas mudanças em sintomas de ansiedade social, ansiedade, medo da avaliação negativa, esquiva e desconforto social, depressão e sintomas de transtornos psiquiátricos comuns. Participaram desse estudo 58 adultos, compondo três grupos experimentais diferentes: o grupo de comparação sem TAS, que consiste em participantes sem sintomas clínicos, o grupo de comparação com TAS, que são participantes portadores de TAS os quais não realizaram a intervenção durante a pesquisa (grupo lista de espera) e o grupo de portadores de TAS participaram da intervenção (grupo TCCG). Um pesquisador independente ao estudo realizou a distribuição aleatória dos participantes com TAS entre os grupos TCCG e lista de espera. Foram realizadas avaliações no pré e pós-teste através do Inventário de Fobia Social (SPIN), Inventários de Ansiedade e Depressão de Beck (BAI e BDI-II), Escala de Medo da Avaliação Negativa (FNE), Escala de Esquiva e Desconforto Social (SADS), Questionário sobre a saúde do paciente (PHQ-9), Questionário de Autorrelato (SRQ) e teste de falsas memórias. Assim, os resultados encontrados evidenciam que a intervenção alcançou redução significativa nos sintomas de ansiedade social, ansiedade geral, depressão e sintomas de transtornos mentais comuns, mostrando que foi uma intervenção efetiva. Além disso, os escores relacionados à ansiedade geral, depressão e sintomas de transtornos mentais comuns, após a intervenção foram equiparados com o escore obtidos pelo grupo de participantes saudáveis, evidenciando a excelente eficácia do processo de intervenção. A eficácia também pode ser constatada a partir da mensuração do tamanho de efeito grande encontrado no estudo relacionado ao principal instrumento de avaliação de TAS utilizado (SPIN), ou seja, esse estudo evidenciou que a forma psicoterápica utilizada atingiu o objetivo esperado da intervenção considerada padrão ouro. No que concerne às medidas relacionadas à qualidade de memória, a hipótese inicial relacionava-se à teoria de que os indivíduos ansiosos sociais apresentariam um número maior de falsas memórias e/ou uma redução de memórias verdadeiras, porém essa hipótese não foi confirmada. Social Anxiety Disorder (SAD) consists of a marked and persistent fear of social or performance situations in which the individual could feel shame. Among the anxiety disorders, SAD is one of the most prevalent, considered the fifth most disabling disorder, however, the search for treatment is very low. Different randomized clinical trials show that Cognitive-Behavioral Group Therapy (CBGT) presents satisfactory and long-lasting results, which is considered the gold standard of intervention for SAD, however, a portion of patients with SAD do not respond to treatment. Thus, the objective of this study was to investigate the effect of a group intervention related to high social cost exposure in patients with SAD about psychological variables and memory quality. The intervention used in this study was proposed by Hofmann and Otto (2008). Among the psychological variables studied changes in symptoms of social anxiety, anxiety, fear of negative evaluation, avoidance and social discomfort, depression and symptoms of common psychiatric disorders were evaluated. Fifty-five adults participated in this study, composing three different experimental groups: the comparison group without SAD, which consists of participants without clinical symptoms, the comparison group with SAD, participants with SAD who did not receive intervention during the research (Waitlist control condition), and the group of SAD patients who participated in the intervention. An independent researcher to study distributed randomly the participants with SAD between CBGT or Waitlist condition. Assessments were made at pre and post-test using Social Phobia Inventory (SPIN), Beck Anxiety Inventory (BAI), Beck Depression Inventory (BDI-II), Fear of Negative Evaluation (FNE), Social Avoidance and Distress Scale (SADS), Patient Health-Questionnaire (PHQ-9), Self-Report Questionnaire (SRQ), and false memories test in the three groups. The results showed that the intervention achieved a significant reduction in the symptoms of social anxiety, general anxiety, depression and symptoms of common mental disorders, showing that it was an effective intervention. In addition, the scores related to general anxiety, depression and common mental disorder symptoms after the intervention were similar to the scores obtained by the group of healthy participants, evidencing the excellent efficacy of the intervention process. Efficacy can also be seen from the measurement of the large effect size found in the study evaluated by the main evaluation instrument of SAD used (SPIN), this study achieved the expected goal of the gold standard considered intervention. Concerning measures related to memory quality, the initial hypothesis was that social anxious individuals would present a greater number of false memories and / or a reduction of true memories, but this hypothesis was not confirmed. https://doi.org/10.11606/T.59.2017.tde-05092017-163256info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:46Zoai:teses.usp.br:tde-05092017-163256Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212018-07-17T16:38:18Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Avaliação da efetividade de um modelo da terapia cognitivo-comportamental em grupos para transtorno de ansiedade social: ensaio clínico randomizado
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Evaluation of the effectiveness of a Cognitive-Behavioral Group Therapy for Social Anxiety Disorder: Randomized Clinical Trial
title Avaliação da efetividade de um modelo da terapia cognitivo-comportamental em grupos para transtorno de ansiedade social: ensaio clínico randomizado
spellingShingle Avaliação da efetividade de um modelo da terapia cognitivo-comportamental em grupos para transtorno de ansiedade social: ensaio clínico randomizado
Priscila de Camargo Palma
title_short Avaliação da efetividade de um modelo da terapia cognitivo-comportamental em grupos para transtorno de ansiedade social: ensaio clínico randomizado
title_full Avaliação da efetividade de um modelo da terapia cognitivo-comportamental em grupos para transtorno de ansiedade social: ensaio clínico randomizado
title_fullStr Avaliação da efetividade de um modelo da terapia cognitivo-comportamental em grupos para transtorno de ansiedade social: ensaio clínico randomizado
title_full_unstemmed Avaliação da efetividade de um modelo da terapia cognitivo-comportamental em grupos para transtorno de ansiedade social: ensaio clínico randomizado
title_sort Avaliação da efetividade de um modelo da terapia cognitivo-comportamental em grupos para transtorno de ansiedade social: ensaio clínico randomizado
author Priscila de Camargo Palma
author_facet Priscila de Camargo Palma
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Carmem Beatriz Neufeld
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Antonio Egidio Nardi
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Flavia de Lima Osorio
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Bernard Pimentel Rangé
dc.contributor.referee4.fl_str_mv Priscila Goergen Brust Renck
dc.contributor.author.fl_str_mv Priscila de Camargo Palma
contributor_str_mv Carmem Beatriz Neufeld
Antonio Egidio Nardi
Flavia de Lima Osorio
Bernard Pimentel Rangé
Priscila Goergen Brust Renck
description O Transtorno de Ansiedade Social (TAS) consiste em um medo acentuado e persistente de situações sociais ou de desempenho nas quais o indivíduo poderia sentir vergonha. Dentre os transtornos de ansiedade, o TAS é um dos mais prevalecentes, sendo considerado o quinto transtorno mais incapacitante, contudo, a busca por tratamento é muito baixa. Diferentes estudos clínicos randomizados evidenciam que a TCCG apresenta resultados satisfatórios e duradouros, sendo considerada padrão ouro de intervenção para TAS, porém, ainda assim, uma parcela de pacientes com TAS não respondem ao tratamento. Assim sendo, o objetivo deste trabalho foi investigar o efeito de uma intervenção em grupo de exposição com alto custo social em pacientes com TAS sobre variáveis psicológicas e também sobre a qualidade de memória. A intervenção utilizada nesse estudo foi a proposta por Hofmann e Otto (2008). Dentre as variáveis psicológicas estudadas foram avaliadas mudanças em sintomas de ansiedade social, ansiedade, medo da avaliação negativa, esquiva e desconforto social, depressão e sintomas de transtornos psiquiátricos comuns. Participaram desse estudo 58 adultos, compondo três grupos experimentais diferentes: o grupo de comparação sem TAS, que consiste em participantes sem sintomas clínicos, o grupo de comparação com TAS, que são participantes portadores de TAS os quais não realizaram a intervenção durante a pesquisa (grupo lista de espera) e o grupo de portadores de TAS participaram da intervenção (grupo TCCG). Um pesquisador independente ao estudo realizou a distribuição aleatória dos participantes com TAS entre os grupos TCCG e lista de espera. Foram realizadas avaliações no pré e pós-teste através do Inventário de Fobia Social (SPIN), Inventários de Ansiedade e Depressão de Beck (BAI e BDI-II), Escala de Medo da Avaliação Negativa (FNE), Escala de Esquiva e Desconforto Social (SADS), Questionário sobre a saúde do paciente (PHQ-9), Questionário de Autorrelato (SRQ) e teste de falsas memórias. Assim, os resultados encontrados evidenciam que a intervenção alcançou redução significativa nos sintomas de ansiedade social, ansiedade geral, depressão e sintomas de transtornos mentais comuns, mostrando que foi uma intervenção efetiva. Além disso, os escores relacionados à ansiedade geral, depressão e sintomas de transtornos mentais comuns, após a intervenção foram equiparados com o escore obtidos pelo grupo de participantes saudáveis, evidenciando a excelente eficácia do processo de intervenção. A eficácia também pode ser constatada a partir da mensuração do tamanho de efeito grande encontrado no estudo relacionado ao principal instrumento de avaliação de TAS utilizado (SPIN), ou seja, esse estudo evidenciou que a forma psicoterápica utilizada atingiu o objetivo esperado da intervenção considerada padrão ouro. No que concerne às medidas relacionadas à qualidade de memória, a hipótese inicial relacionava-se à teoria de que os indivíduos ansiosos sociais apresentariam um número maior de falsas memórias e/ou uma redução de memórias verdadeiras, porém essa hipótese não foi confirmada.
publishDate 2017
dc.date.issued.fl_str_mv 2017-06-08
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/T.59.2017.tde-05092017-163256
url https://doi.org/10.11606/T.59.2017.tde-05092017-163256
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Psicologia
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376584855289856