Efeito de um complexo homeopático no desempenho e no comportamento de camundongos sob estresse agudo

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2008
Autor(a) principal: Lopes, Heitor Correa
Orientador(a): van Onselen, Valter Joost
Banca de defesa: Não Informado pela instituição
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Não Informado pela instituição
Programa de Pós-Graduação: Não Informado pela instituição
Departamento: Não Informado pela instituição
País: Não Informado pela instituição
Palavras-chave em Português:
Link de acesso: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/952
Resumo: Este experimento teve como objetivo avaliar o efeito do complexo homeopático comercial (Convert H®) sobre o desempenho e o comportamento de camundongos (Mus musculus) submetidos a estresse agudo. Foram utilizadas duas colônias: a Colônia Biotério (animais que não receberam o produto) e a Colônia Convert H (animais provenientes de camundongos que recebem o produto há 16 gerações). Os animais foram distribuídos aleatoriamente em quatro grupos organizados no esquema fatorial 2X2, com e sem estresse e com e sem homeopatia. O agente estressor empregado foi a imobilização dos animais por 60 minutos em minitubos de PVC imediatamente antes do início das provas comportamentais. O peso corporal e o consumo alimentar dos camundongos foram medidos entre os 21 (desmama) e os 98 dias de idade. As avaliações comportamentais, feitas aos 98 dias de idade, envolveram aspectos associados à ansiedade e mobilidade na prova do Labirinto em Cruz Elevado (LCE), à mobilidade espontânea no Teste de Campo Aberto (TCA) e à agressividade na Prova do Combatente Isolado (PCI). Os animais da Colônia Convert H obtiveram menor (p=0,002) ganho de peso e um maior (p<0,0001) consumo de ração, o que resultou em pior (p<0,0001) conversão alimentar. Não se identificou interação entre o estresse agudo provocado e o complexo homeopático sobre as variáveis comportamentais observadas na prova do LCE e no TCA. Os animais responderam ao estresse aplicado com menor mobilidade espontânea, não se verificando efeito sobre a ansiedade e a agressividade. O complexo utilizado teve um efeito ansiogênico nos animais não submetidos ao agente estressor, efeito este que já era esperado de acordo com a patogenesia do produto. Nos animais submetidos ao estresse o efeito ansiogênico do complexo não foi o esperado, talvez em função da ausência de efeito do agente estressor sobre a ansiedade dos animais. Os dois grupos que receberam homeopatia demonstraram diminuição da atividade motora, não se obtendo neste trabalho a resposta esperada de redução dos efeitos negativos do estresse sobre este comportamento. A maior agressividade apresentada pelos animais que receberam homeopatia, demonstrando maior territorialidade e defesa do seu ambiente, não revela a possível capacidade do produto em coibir o efeito indesejado do agente estressor sobre este comportamento, talvez porque o estresse também não tenha provocado efeito sobre a agressividade. Conclui-se que a patogenesia do complexo homeopático estudado, isto é, ansiedade, pequena atividade motora e agressividade, é observada também em camundongos.
id UFMS_af308d9f180256b3269867fd3e0f1a2d
oai_identifier_str oai:repositorio.ufms.br:123456789/952
network_acronym_str UFMS
network_name_str Repositório Institucional da UFMS
repository_id_str
spelling 2011-12-05T16:19:02Z2021-09-30T19:57:59Z2008https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/952Este experimento teve como objetivo avaliar o efeito do complexo homeopático comercial (Convert H®) sobre o desempenho e o comportamento de camundongos (Mus musculus) submetidos a estresse agudo. Foram utilizadas duas colônias: a Colônia Biotério (animais que não receberam o produto) e a Colônia Convert H (animais provenientes de camundongos que recebem o produto há 16 gerações). Os animais foram distribuídos aleatoriamente em quatro grupos organizados no esquema fatorial 2X2, com e sem estresse e com e sem homeopatia. O agente estressor empregado foi a imobilização dos animais por 60 minutos em minitubos de PVC imediatamente antes do início das provas comportamentais. O peso corporal e o consumo alimentar dos camundongos foram medidos entre os 21 (desmama) e os 98 dias de idade. As avaliações comportamentais, feitas aos 98 dias de idade, envolveram aspectos associados à ansiedade e mobilidade na prova do Labirinto em Cruz Elevado (LCE), à mobilidade espontânea no Teste de Campo Aberto (TCA) e à agressividade na Prova do Combatente Isolado (PCI). Os animais da Colônia Convert H obtiveram menor (p=0,002) ganho de peso e um maior (p<0,0001) consumo de ração, o que resultou em pior (p<0,0001) conversão alimentar. Não se identificou interação entre o estresse agudo provocado e o complexo homeopático sobre as variáveis comportamentais observadas na prova do LCE e no TCA. Os animais responderam ao estresse aplicado com menor mobilidade espontânea, não se verificando efeito sobre a ansiedade e a agressividade. O complexo utilizado teve um efeito ansiogênico nos animais não submetidos ao agente estressor, efeito este que já era esperado de acordo com a patogenesia do produto. Nos animais submetidos ao estresse o efeito ansiogênico do complexo não foi o esperado, talvez em função da ausência de efeito do agente estressor sobre a ansiedade dos animais. Os dois grupos que receberam homeopatia demonstraram diminuição da atividade motora, não se obtendo neste trabalho a resposta esperada de redução dos efeitos negativos do estresse sobre este comportamento. A maior agressividade apresentada pelos animais que receberam homeopatia, demonstrando maior territorialidade e defesa do seu ambiente, não revela a possível capacidade do produto em coibir o efeito indesejado do agente estressor sobre este comportamento, talvez porque o estresse também não tenha provocado efeito sobre a agressividade. Conclui-se que a patogenesia do complexo homeopático estudado, isto é, ansiedade, pequena atividade motora e agressividade, é observada também em camundongos.To evaluate the effect of homeopathic commercial complex (Convert H®) on the performance and behavior of mice (Mus musculus) submitted to acute stress, two colonies were used: a Colony Bioterio (animals that did not receive the product) and Colony Convert H (animals from mice receiving the product for 16 generations). The animals were randomly assigned into four groups organized in the 2X2 factorial, with the stress factor and factor homeopathy. The agent stressor employee was the immobilization of the animals for 60 minutes in mini pipes of PVC immediately before the start of the behavioral evidence. Body weight and food intake of the mice were measured between 21 (weaning), and 98 days of age. The behavioral assessments, made to 98 days of age, involving aspects associated with anxiety and mobility in evidence in the elevated plus-maze test, the spontaneous mobility in the open-field test and the aggressiveness in the resident-intruder paradigm. The animals of the Colony Convert H obtained lower (p=0.002) weight gain and a higher (p<0.0001) consumption of feed, which resulted in a worse (p<0.0001) feed. It was not identified interaction between the stresses caused acute and complex homeopathic on behavioral variables observed in the elevated plus-maze test and the open-field test. The animals responded to stress applied with less anxiety and less mobility spontaneous and there were no effect on the aggressiveness. The used complex had an anxiogenic effect on animals not submitted to the stressing agent, this effect which was already expected according to the pathogenesis in the product. In animals submitted to stress the anxiogenic effect of the complex was not expected, because under the stressing agent, there was also reduction of anxiety. The two groups that received homeopathy showed decreased motor activity, it is not possible to prove in this paper the response expected about reduction of the negative effects of stress on this behavior. The greater aggressiveness by the animals that received homeopathy, showing greater territoriality in defense of their environment, does not reveal the ability of the product to correct the unwanted effect of the stressing agent on this behavior, perhaps because the stress has not provoked in the animals of this work, significant effect on aggressiveness. We conclude that the complex pathogenesis homeopathic studied, that is, anxiety, small motor activity and aggressiveness, is also observed in mice.porHomeopatia VeterináriaGanho de PesoProdução AnimalEfeito de um complexo homeopático no desempenho e no comportamento de camundongos sob estresse agudoinfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesisvan Onselen, Valter JoostLopes, Heitor Correainfo:eu-repo/semantics/openAccessreponame:Repositório Institucional da UFMSinstname:Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)instacron:UFMSTHUMBNAILHeitor Correa Lopes.pdf.jpgHeitor Correa Lopes.pdf.jpgGenerated Thumbnailimage/jpeg1362https://repositorio.ufms.br/bitstream/123456789/952/4/Heitor%20Correa%20Lopes.pdf.jpg6272ad94cdef1b5bdf881f3a4e0f7406MD54TEXTHeitor Correa Lopes.pdf.txtHeitor Correa Lopes.pdf.txtExtracted texttext/plain101898https://repositorio.ufms.br/bitstream/123456789/952/3/Heitor%20Correa%20Lopes.pdf.txte4458452ce9b336aa61c9a24db8b2710MD53ORIGINALHeitor Correa Lopes.pdfHeitor Correa Lopes.pdfapplication/pdf727906https://repositorio.ufms.br/bitstream/123456789/952/1/Heitor%20Correa%20Lopes.pdf3e00214073264b15716aa470f747e4d2MD51LICENSElicense.txtlicense.txttext/plain; charset=utf-81748https://repositorio.ufms.br/bitstream/123456789/952/2/license.txt8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33MD52123456789/9522021-09-30 15:57:59.815oai:repositorio.ufms.br:123456789/952Tk9URTogUExBQ0UgWU9VUiBPV04gTElDRU5TRSBIRVJFClRoaXMgc2FtcGxlIGxpY2Vuc2UgaXMgcHJvdmlkZWQgZm9yIGluZm9ybWF0aW9uYWwgcHVycG9zZXMgb25seS4KCk5PTi1FWENMVVNJVkUgRElTVFJJQlVUSU9OIExJQ0VOU0UKCkJ5IHNpZ25pbmcgYW5kIHN1Ym1pdHRpbmcgdGhpcyBsaWNlbnNlLCB5b3UgKHRoZSBhdXRob3Iocykgb3IgY29weXJpZ2h0Cm93bmVyKSBncmFudHMgdG8gRFNwYWNlIFVuaXZlcnNpdHkgKERTVSkgdGhlIG5vbi1leGNsdXNpdmUgcmlnaHQgdG8gcmVwcm9kdWNlLAp0cmFuc2xhdGUgKGFzIGRlZmluZWQgYmVsb3cpLCBhbmQvb3IgZGlzdHJpYnV0ZSB5b3VyIHN1Ym1pc3Npb24gKGluY2x1ZGluZwp0aGUgYWJzdHJhY3QpIHdvcmxkd2lkZSBpbiBwcmludCBhbmQgZWxlY3Ryb25pYyBmb3JtYXQgYW5kIGluIGFueSBtZWRpdW0sCmluY2x1ZGluZyBidXQgbm90IGxpbWl0ZWQgdG8gYXVkaW8gb3IgdmlkZW8uCgpZb3UgYWdyZWUgdGhhdCBEU1UgbWF5LCB3aXRob3V0IGNoYW5naW5nIHRoZSBjb250ZW50LCB0cmFuc2xhdGUgdGhlCnN1Ym1pc3Npb24gdG8gYW55IG1lZGl1bSBvciBmb3JtYXQgZm9yIHRoZSBwdXJwb3NlIG9mIHByZXNlcnZhdGlvbi4KCllvdSBhbHNvIGFncmVlIHRoYXQgRFNVIG1heSBrZWVwIG1vcmUgdGhhbiBvbmUgY29weSBvZiB0aGlzIHN1Ym1pc3Npb24gZm9yCnB1cnBvc2VzIG9mIHNlY3VyaXR5LCBiYWNrLXVwIGFuZCBwcmVzZXJ2YXRpb24uCgpZb3UgcmVwcmVzZW50IHRoYXQgdGhlIHN1Ym1pc3Npb24gaXMgeW91ciBvcmlnaW5hbCB3b3JrLCBhbmQgdGhhdCB5b3UgaGF2ZQp0aGUgcmlnaHQgdG8gZ3JhbnQgdGhlIHJpZ2h0cyBjb250YWluZWQgaW4gdGhpcyBsaWNlbnNlLiBZb3UgYWxzbyByZXByZXNlbnQKdGhhdCB5b3VyIHN1Ym1pc3Npb24gZG9lcyBub3QsIHRvIHRoZSBiZXN0IG9mIHlvdXIga25vd2xlZGdlLCBpbmZyaW5nZSB1cG9uCmFueW9uZSdzIGNvcHlyaWdodC4KCklmIHRoZSBzdWJtaXNzaW9uIGNvbnRhaW5zIG1hdGVyaWFsIGZvciB3aGljaCB5b3UgZG8gbm90IGhvbGQgY29weXJpZ2h0LAp5b3UgcmVwcmVzZW50IHRoYXQgeW91IGhhdmUgb2J0YWluZWQgdGhlIHVucmVzdHJpY3RlZCBwZXJtaXNzaW9uIG9mIHRoZQpjb3B5cmlnaHQgb3duZXIgdG8gZ3JhbnQgRFNVIHRoZSByaWdodHMgcmVxdWlyZWQgYnkgdGhpcyBsaWNlbnNlLCBhbmQgdGhhdApzdWNoIHRoaXJkLXBhcnR5IG93bmVkIG1hdGVyaWFsIGlzIGNsZWFybHkgaWRlbnRpZmllZCBhbmQgYWNrbm93bGVkZ2VkCndpdGhpbiB0aGUgdGV4dCBvciBjb250ZW50IG9mIHRoZSBzdWJtaXNzaW9uLgoKSUYgVEhFIFNVQk1JU1NJT04gSVMgQkFTRUQgVVBPTiBXT1JLIFRIQVQgSEFTIEJFRU4gU1BPTlNPUkVEIE9SIFNVUFBPUlRFRApCWSBBTiBBR0VOQ1kgT1IgT1JHQU5JWkFUSU9OIE9USEVSIFRIQU4gRFNVLCBZT1UgUkVQUkVTRU5UIFRIQVQgWU9VIEhBVkUKRlVMRklMTEVEIEFOWSBSSUdIVCBPRiBSRVZJRVcgT1IgT1RIRVIgT0JMSUdBVElPTlMgUkVRVUlSRUQgQlkgU1VDSApDT05UUkFDVCBPUiBBR1JFRU1FTlQuCgpEU1Ugd2lsbCBjbGVhcmx5IGlkZW50aWZ5IHlvdXIgbmFtZShzKSBhcyB0aGUgYXV0aG9yKHMpIG9yIG93bmVyKHMpIG9mIHRoZQpzdWJtaXNzaW9uLCBhbmQgd2lsbCBub3QgbWFrZSBhbnkgYWx0ZXJhdGlvbiwgb3RoZXIgdGhhbiBhcyBhbGxvd2VkIGJ5IHRoaXMKbGljZW5zZSwgdG8geW91ciBzdWJtaXNzaW9uLgo=Repositório InstitucionalPUBhttps://repositorio.ufms.br/oai/requestri.prograd@ufms.bropendoar:21242021-09-30T19:57:59Repositório Institucional da UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)false
dc.title.pt_BR.fl_str_mv Efeito de um complexo homeopático no desempenho e no comportamento de camundongos sob estresse agudo
title Efeito de um complexo homeopático no desempenho e no comportamento de camundongos sob estresse agudo
spellingShingle Efeito de um complexo homeopático no desempenho e no comportamento de camundongos sob estresse agudo
Lopes, Heitor Correa
Homeopatia Veterinária
Ganho de Peso
Produção Animal
title_short Efeito de um complexo homeopático no desempenho e no comportamento de camundongos sob estresse agudo
title_full Efeito de um complexo homeopático no desempenho e no comportamento de camundongos sob estresse agudo
title_fullStr Efeito de um complexo homeopático no desempenho e no comportamento de camundongos sob estresse agudo
title_full_unstemmed Efeito de um complexo homeopático no desempenho e no comportamento de camundongos sob estresse agudo
title_sort Efeito de um complexo homeopático no desempenho e no comportamento de camundongos sob estresse agudo
author Lopes, Heitor Correa
author_facet Lopes, Heitor Correa
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv van Onselen, Valter Joost
dc.contributor.author.fl_str_mv Lopes, Heitor Correa
contributor_str_mv van Onselen, Valter Joost
dc.subject.por.fl_str_mv Homeopatia Veterinária
Ganho de Peso
Produção Animal
topic Homeopatia Veterinária
Ganho de Peso
Produção Animal
description Este experimento teve como objetivo avaliar o efeito do complexo homeopático comercial (Convert H®) sobre o desempenho e o comportamento de camundongos (Mus musculus) submetidos a estresse agudo. Foram utilizadas duas colônias: a Colônia Biotério (animais que não receberam o produto) e a Colônia Convert H (animais provenientes de camundongos que recebem o produto há 16 gerações). Os animais foram distribuídos aleatoriamente em quatro grupos organizados no esquema fatorial 2X2, com e sem estresse e com e sem homeopatia. O agente estressor empregado foi a imobilização dos animais por 60 minutos em minitubos de PVC imediatamente antes do início das provas comportamentais. O peso corporal e o consumo alimentar dos camundongos foram medidos entre os 21 (desmama) e os 98 dias de idade. As avaliações comportamentais, feitas aos 98 dias de idade, envolveram aspectos associados à ansiedade e mobilidade na prova do Labirinto em Cruz Elevado (LCE), à mobilidade espontânea no Teste de Campo Aberto (TCA) e à agressividade na Prova do Combatente Isolado (PCI). Os animais da Colônia Convert H obtiveram menor (p=0,002) ganho de peso e um maior (p<0,0001) consumo de ração, o que resultou em pior (p<0,0001) conversão alimentar. Não se identificou interação entre o estresse agudo provocado e o complexo homeopático sobre as variáveis comportamentais observadas na prova do LCE e no TCA. Os animais responderam ao estresse aplicado com menor mobilidade espontânea, não se verificando efeito sobre a ansiedade e a agressividade. O complexo utilizado teve um efeito ansiogênico nos animais não submetidos ao agente estressor, efeito este que já era esperado de acordo com a patogenesia do produto. Nos animais submetidos ao estresse o efeito ansiogênico do complexo não foi o esperado, talvez em função da ausência de efeito do agente estressor sobre a ansiedade dos animais. Os dois grupos que receberam homeopatia demonstraram diminuição da atividade motora, não se obtendo neste trabalho a resposta esperada de redução dos efeitos negativos do estresse sobre este comportamento. A maior agressividade apresentada pelos animais que receberam homeopatia, demonstrando maior territorialidade e defesa do seu ambiente, não revela a possível capacidade do produto em coibir o efeito indesejado do agente estressor sobre este comportamento, talvez porque o estresse também não tenha provocado efeito sobre a agressividade. Conclui-se que a patogenesia do complexo homeopático estudado, isto é, ansiedade, pequena atividade motora e agressividade, é observada também em camundongos.
publishDate 2008
dc.date.issued.fl_str_mv 2008
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2011-12-05T16:19:02Z
dc.date.available.fl_str_mv 2021-09-30T19:57:59Z
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/952
url https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/952
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UFMS
instname:Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
instacron:UFMS
instname_str Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
instacron_str UFMS
institution UFMS
reponame_str Repositório Institucional da UFMS
collection Repositório Institucional da UFMS
bitstream.url.fl_str_mv https://repositorio.ufms.br/bitstream/123456789/952/4/Heitor%20Correa%20Lopes.pdf.jpg
https://repositorio.ufms.br/bitstream/123456789/952/3/Heitor%20Correa%20Lopes.pdf.txt
https://repositorio.ufms.br/bitstream/123456789/952/1/Heitor%20Correa%20Lopes.pdf
https://repositorio.ufms.br/bitstream/123456789/952/2/license.txt
bitstream.checksum.fl_str_mv 6272ad94cdef1b5bdf881f3a4e0f7406
e4458452ce9b336aa61c9a24db8b2710
3e00214073264b15716aa470f747e4d2
8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv Repositório Institucional da UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
repository.mail.fl_str_mv ri.prograd@ufms.br
_version_ 1801678694889029632