Identificação ideológica e voto no Brasil: o caso das eleições presidenciais de 1989 e 1994

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 1998
Autor(a) principal: Andre Vitor Singer
Orientador(a): Jose Augusto Guilhon Albuquerque
Banca de defesa: Kurt Eberhart von Mettenheim, Carlos Alberto de Braganca Pereira, Leoncio Martins Rodrigues Netto, Simon Schwartzman
Tipo de documento: Tese
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Ciência Política
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/T.8.1998.tde-05082022-122005
Resumo: Este trabalho visa demonstrar que a identificação ideológica foi uma das principais preditoras do voto nas eleições de 1989 e 1994. Incorporada aos modelos internacionais de previsão eleitoral a partir da década de 80, a identificação ideológica nunca foi considerada como variável importante no Brasil. Na visão tradicional, o baixo grau de escolaridade média do eleitor brasileiro e, em conseqüência, seu baixo índice de sofisticação política, tomariam difícil a compreensão do significado das categorias esquerda e direita e o seu uso para decidir o voto. A literatura internacional, entretanto, mostra que a identificação ou sentimento ideológico consiste em uma apreensão intuitiva do modelo de competição espacial entre os partidos, mais do que em uma estruturação ideológica das opiniões por parte dos eleitores. Por isso, a maioria deles não menciona espontaneamente as categorias ideológicas ao justificar o voto. Mas, ao mesmo. tempo, é capaz de reconhecer essas categorias, se for estimulado a isso, e sabe onde situar-se na escala ( esquerda-direita ou liberal-conservador) que elas formam. O ponto do espectro em que o eleitor se coloca está, por sua vez, intimamente correlacionado à opção de voto, constituindo-se, assim, um importante preditor do mesmo . Testamos essas hipóteses nas eleições presidenciais de 1989 e 1994 a partir de surveys realizados respectivamente no Brasil e no Estado de São Paulo. Os resultados confirmaram amplamente o descrito pela literatura internacional. Ou seja, a grande maioria dos eleitores soube colocar-se na escala esquerda-direita e o posicionamento no espectro esteve fortemente associado ao voto. Comparada a outras variáveis, a identificação ideológica revelou-se uma das melhores preditoras do voto naquelas ocasiões. Tais evidências indicam que a identificação ideológica deve ser incorporada aos modelos de análise do comportamento eleitoral no Brasil como em larga medida já ocorreu em outros países.
id USP_24a4367199ce4f41b216541fe24b67a5
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05082022-122005
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesis Identificação ideológica e voto no Brasil: o caso das eleições presidenciais de 1989 e 1994 Not available 1998-05-08Jose Augusto Guilhon AlbuquerqueKurt Eberhart von MettenheimCarlos Alberto de Braganca PereiraLeoncio Martins Rodrigues NettoSimon SchwartzmanAndre Vitor SingerUniversidade de São PauloCiência PolíticaUSPBR Não consta Not available Este trabalho visa demonstrar que a identificação ideológica foi uma das principais preditoras do voto nas eleições de 1989 e 1994. Incorporada aos modelos internacionais de previsão eleitoral a partir da década de 80, a identificação ideológica nunca foi considerada como variável importante no Brasil. Na visão tradicional, o baixo grau de escolaridade média do eleitor brasileiro e, em conseqüência, seu baixo índice de sofisticação política, tomariam difícil a compreensão do significado das categorias esquerda e direita e o seu uso para decidir o voto. A literatura internacional, entretanto, mostra que a identificação ou sentimento ideológico consiste em uma apreensão intuitiva do modelo de competição espacial entre os partidos, mais do que em uma estruturação ideológica das opiniões por parte dos eleitores. Por isso, a maioria deles não menciona espontaneamente as categorias ideológicas ao justificar o voto. Mas, ao mesmo. tempo, é capaz de reconhecer essas categorias, se for estimulado a isso, e sabe onde situar-se na escala ( esquerda-direita ou liberal-conservador) que elas formam. O ponto do espectro em que o eleitor se coloca está, por sua vez, intimamente correlacionado à opção de voto, constituindo-se, assim, um importante preditor do mesmo . Testamos essas hipóteses nas eleições presidenciais de 1989 e 1994 a partir de surveys realizados respectivamente no Brasil e no Estado de São Paulo. Os resultados confirmaram amplamente o descrito pela literatura internacional. Ou seja, a grande maioria dos eleitores soube colocar-se na escala esquerda-direita e o posicionamento no espectro esteve fortemente associado ao voto. Comparada a outras variáveis, a identificação ideológica revelou-se uma das melhores preditoras do voto naquelas ocasiões. Tais evidências indicam que a identificação ideológica deve ser incorporada aos modelos de análise do comportamento eleitoral no Brasil como em larga medida já ocorreu em outros países. Not available https://doi.org/10.11606/T.8.1998.tde-05082022-122005info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:33Zoai:teses.usp.br:tde-05082022-122005Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212022-08-05T15:25:33Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Identificação ideológica e voto no Brasil: o caso das eleições presidenciais de 1989 e 1994
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Not available
title Identificação ideológica e voto no Brasil: o caso das eleições presidenciais de 1989 e 1994
spellingShingle Identificação ideológica e voto no Brasil: o caso das eleições presidenciais de 1989 e 1994
Andre Vitor Singer
title_short Identificação ideológica e voto no Brasil: o caso das eleições presidenciais de 1989 e 1994
title_full Identificação ideológica e voto no Brasil: o caso das eleições presidenciais de 1989 e 1994
title_fullStr Identificação ideológica e voto no Brasil: o caso das eleições presidenciais de 1989 e 1994
title_full_unstemmed Identificação ideológica e voto no Brasil: o caso das eleições presidenciais de 1989 e 1994
title_sort Identificação ideológica e voto no Brasil: o caso das eleições presidenciais de 1989 e 1994
author Andre Vitor Singer
author_facet Andre Vitor Singer
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Jose Augusto Guilhon Albuquerque
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Kurt Eberhart von Mettenheim
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Carlos Alberto de Braganca Pereira
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Leoncio Martins Rodrigues Netto
dc.contributor.referee4.fl_str_mv Simon Schwartzman
dc.contributor.author.fl_str_mv Andre Vitor Singer
contributor_str_mv Jose Augusto Guilhon Albuquerque
Kurt Eberhart von Mettenheim
Carlos Alberto de Braganca Pereira
Leoncio Martins Rodrigues Netto
Simon Schwartzman
description Este trabalho visa demonstrar que a identificação ideológica foi uma das principais preditoras do voto nas eleições de 1989 e 1994. Incorporada aos modelos internacionais de previsão eleitoral a partir da década de 80, a identificação ideológica nunca foi considerada como variável importante no Brasil. Na visão tradicional, o baixo grau de escolaridade média do eleitor brasileiro e, em conseqüência, seu baixo índice de sofisticação política, tomariam difícil a compreensão do significado das categorias esquerda e direita e o seu uso para decidir o voto. A literatura internacional, entretanto, mostra que a identificação ou sentimento ideológico consiste em uma apreensão intuitiva do modelo de competição espacial entre os partidos, mais do que em uma estruturação ideológica das opiniões por parte dos eleitores. Por isso, a maioria deles não menciona espontaneamente as categorias ideológicas ao justificar o voto. Mas, ao mesmo. tempo, é capaz de reconhecer essas categorias, se for estimulado a isso, e sabe onde situar-se na escala ( esquerda-direita ou liberal-conservador) que elas formam. O ponto do espectro em que o eleitor se coloca está, por sua vez, intimamente correlacionado à opção de voto, constituindo-se, assim, um importante preditor do mesmo . Testamos essas hipóteses nas eleições presidenciais de 1989 e 1994 a partir de surveys realizados respectivamente no Brasil e no Estado de São Paulo. Os resultados confirmaram amplamente o descrito pela literatura internacional. Ou seja, a grande maioria dos eleitores soube colocar-se na escala esquerda-direita e o posicionamento no espectro esteve fortemente associado ao voto. Comparada a outras variáveis, a identificação ideológica revelou-se uma das melhores preditoras do voto naquelas ocasiões. Tais evidências indicam que a identificação ideológica deve ser incorporada aos modelos de análise do comportamento eleitoral no Brasil como em larga medida já ocorreu em outros países.
publishDate 1998
dc.date.issued.fl_str_mv 1998-05-08
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/T.8.1998.tde-05082022-122005
url https://doi.org/10.11606/T.8.1998.tde-05082022-122005
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Ciência Política
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376583368409088