Efeitos da aritenoidectomia superomedial no fechamento glótico posterior incompleto provocado por assimetria posicional de aritenoides em laringes excisadas de cadáveres humanos

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2019
Autor(a) principal: Alexandre Minoru Enoki
Orientador(a): Domingos Hiroshi Tsuji
Banca de defesa: Rui Imamura, Henry Ugadin Koishi, Luciana Miwa Nita
Tipo de documento: Tese
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Otorrinolaringologia
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/T.5.2019.tde-05082019-145256
Resumo: Introdução: A movimentação das cartilagens aritenoides desempenha importante função tanto na abdução quanto na adução das pregas vocais e, consequentemente, na produção da voz normal. A assimetria destas cartilagens pode estar presente em algumas condições clínicas, como na paralisia unilateral de prega vocal ou na luxação / subluxação de articulação cricoaritenóidea. Há carência de estudos na literatura sobre o impacto que a assimetria de cartilagens aritenoides pode provocar no fechamento glótico e sobre a melhora que a aritenoidectomia parcial superomedial poder promover nesses casos de assimetria. Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar os efeitos que esta assimetria posicional de aritenoides pode desencadear no fechamento glótico posterior e avaliar o benefício que a aritenoidectomia parcial superomedial pode proporcionar a estes casos. Métodos: Realizou-se estudo experimental com 10 laringes humanas excisadas de cadáveres adultos, sendo 05 do sexo masculino e 05 do feminino. O fechamento glótico foi produzido com rotação das cartilagens aritenoides bilateralmente e a assimetria de aritenoides simulada com o uso de cola no interior de uma das articulações cricoaritenóideas com fixação da cartilagem aritenoide em posição anteromedial. Na aritenoidectomia parcial, removeu-se a porção superomedial da cartilagem submetida à assimetria. O fechamento glótico posterior foi avaliado com paquímetro digital para medir a distância entre os processos vocais antes e após a simulação da assimetria e da aritenoidectomia superomedial, para que as medidas fossem comparadas. Resultados: O fechamento glótico posterior de todas laringes estudadas passou de completo para incompleto após a simulação da assimetria posicional de aritenoides, sendo a distância média observada entre os processos vocais de 1,766mm (IC95%: 1,519-2,013). A aritenoidectomia superomedial realizada após a assimetria de aritenoides fez com que o fechamento glótico posterior voltasse de incompleto para completo em todas laringes da pesquisa. Conclusões: Os resultados da pesquisa sugerem que a assimetria posicional de cartilagens aritenoides parece comprometer o fechamento glótico posterior, aumentando a distância entre os processos vocais durante a adução das pregas vocais. Além disso, o estudo aponta que a aritenoidectomia superomedial pode melhorar o fechamento glótico posterior nestes casos de assimetria de aritenoides
id USP_42493241a8c92b2e635049aebe195dd7
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05082019-145256
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesis Efeitos da aritenoidectomia superomedial no fechamento glótico posterior incompleto provocado por assimetria posicional de aritenoides em laringes excisadas de cadáveres humanos Effects of superomedial arytenoidectomy on incomplete posterior glottic closure caused by arytenoid positional asymmetry in excised larynxes of human cadavers 2019-05-13Domingos Hiroshi TsujiRui ImamuraHenry Ugadin KoishiLuciana Miwa NitaAlexandre Minoru EnokiUniversidade de São PauloOtorrinolaringologiaUSPBR Arytenoid cartilage Cadaver Cadáver Cartilagem aritenoide Epidemiologia experimental Experimental epidemiology Laringe Larynx Prega vocal Vocal cords Voice Voz Introdução: A movimentação das cartilagens aritenoides desempenha importante função tanto na abdução quanto na adução das pregas vocais e, consequentemente, na produção da voz normal. A assimetria destas cartilagens pode estar presente em algumas condições clínicas, como na paralisia unilateral de prega vocal ou na luxação / subluxação de articulação cricoaritenóidea. Há carência de estudos na literatura sobre o impacto que a assimetria de cartilagens aritenoides pode provocar no fechamento glótico e sobre a melhora que a aritenoidectomia parcial superomedial poder promover nesses casos de assimetria. Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar os efeitos que esta assimetria posicional de aritenoides pode desencadear no fechamento glótico posterior e avaliar o benefício que a aritenoidectomia parcial superomedial pode proporcionar a estes casos. Métodos: Realizou-se estudo experimental com 10 laringes humanas excisadas de cadáveres adultos, sendo 05 do sexo masculino e 05 do feminino. O fechamento glótico foi produzido com rotação das cartilagens aritenoides bilateralmente e a assimetria de aritenoides simulada com o uso de cola no interior de uma das articulações cricoaritenóideas com fixação da cartilagem aritenoide em posição anteromedial. Na aritenoidectomia parcial, removeu-se a porção superomedial da cartilagem submetida à assimetria. O fechamento glótico posterior foi avaliado com paquímetro digital para medir a distância entre os processos vocais antes e após a simulação da assimetria e da aritenoidectomia superomedial, para que as medidas fossem comparadas. Resultados: O fechamento glótico posterior de todas laringes estudadas passou de completo para incompleto após a simulação da assimetria posicional de aritenoides, sendo a distância média observada entre os processos vocais de 1,766mm (IC95%: 1,519-2,013). A aritenoidectomia superomedial realizada após a assimetria de aritenoides fez com que o fechamento glótico posterior voltasse de incompleto para completo em todas laringes da pesquisa. Conclusões: Os resultados da pesquisa sugerem que a assimetria posicional de cartilagens aritenoides parece comprometer o fechamento glótico posterior, aumentando a distância entre os processos vocais durante a adução das pregas vocais. Além disso, o estudo aponta que a aritenoidectomia superomedial pode melhorar o fechamento glótico posterior nestes casos de assimetria de aritenoides Introduction: The movement of arytenoid cartilage plays an important role both in abduction and adduction of the vocal folds and, consequently, in the production of normal voice. The asymmetry of these cartilages may be present in some clinical conditions, such as in unilateral vocal fold paralysis or in the cricoarytenoid joint dislocation / subluxation. There is a lack of studies in the literature on the impact that the positional asymmetry of arytenoid cartilages can cause in the glottic closure and on the improvement that the superomedial partial arytenoidectomy can promote in these cases of asymmetry. Objective: The objective of this study was to analyze the effects that this arytenoid positional asymmetry can trigger in posterior glottic closure and to evaluate the benefit that superomedial partial arytenoidectomy can provide to these cases. Methods: An experimental study was carried out on 10 human larynx excised from adult cadavers, being 05 males and 05 females. Glottic closure was produced with rotation of the arytenoid cartilages bilaterally and the simulated arytenoid asymmetry with the use of glue inside one of the cricoarytenoid joints with anteromedial fixation of the arytenoid cartilage. In partial arytenoidectomy, the superomedial portion of the cartilage submitted to the asymmetry was removed. Posterior glottic closure was evaluated with a digital caliper to measure the distance between vocal processes before and after the simulation of asymmetry and superomedial arytenoidectomy, so that the measurements were compared. Results: The posterior glottic closure of all studied larynges went from complete to incomplete after the simulation of arytenoid positional asymmetry, with the mean distance observed between vocal processes of 1,766mm (95% CI: 1,519-2,013). Superomedial arytenoidectomy performed after arytenoid asymmetry caused the posterior glottic closure to return from incomplete to complete in all larynges of the study. Conclusions: The results of the research suggest that the positional asymmetry of arytenoid cartilages seems to compromise posterior glottic closure, increasing the distance between the vocal processes during vocal fold adduction. In addition, the study points out that superomedial partial arytenoidectomy may improve posterior glottic closure in these cases of arytenoid asymmetry https://doi.org/10.11606/T.5.2019.tde-05082019-145256info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:28Zoai:teses.usp.br:tde-05082019-145256Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212019-08-20T23:19:26Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Efeitos da aritenoidectomia superomedial no fechamento glótico posterior incompleto provocado por assimetria posicional de aritenoides em laringes excisadas de cadáveres humanos
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Effects of superomedial arytenoidectomy on incomplete posterior glottic closure caused by arytenoid positional asymmetry in excised larynxes of human cadavers
title Efeitos da aritenoidectomia superomedial no fechamento glótico posterior incompleto provocado por assimetria posicional de aritenoides em laringes excisadas de cadáveres humanos
spellingShingle Efeitos da aritenoidectomia superomedial no fechamento glótico posterior incompleto provocado por assimetria posicional de aritenoides em laringes excisadas de cadáveres humanos
Alexandre Minoru Enoki
title_short Efeitos da aritenoidectomia superomedial no fechamento glótico posterior incompleto provocado por assimetria posicional de aritenoides em laringes excisadas de cadáveres humanos
title_full Efeitos da aritenoidectomia superomedial no fechamento glótico posterior incompleto provocado por assimetria posicional de aritenoides em laringes excisadas de cadáveres humanos
title_fullStr Efeitos da aritenoidectomia superomedial no fechamento glótico posterior incompleto provocado por assimetria posicional de aritenoides em laringes excisadas de cadáveres humanos
title_full_unstemmed Efeitos da aritenoidectomia superomedial no fechamento glótico posterior incompleto provocado por assimetria posicional de aritenoides em laringes excisadas de cadáveres humanos
title_sort Efeitos da aritenoidectomia superomedial no fechamento glótico posterior incompleto provocado por assimetria posicional de aritenoides em laringes excisadas de cadáveres humanos
author Alexandre Minoru Enoki
author_facet Alexandre Minoru Enoki
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Domingos Hiroshi Tsuji
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Rui Imamura
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Henry Ugadin Koishi
dc.contributor.referee3.fl_str_mv Luciana Miwa Nita
dc.contributor.author.fl_str_mv Alexandre Minoru Enoki
contributor_str_mv Domingos Hiroshi Tsuji
Rui Imamura
Henry Ugadin Koishi
Luciana Miwa Nita
description Introdução: A movimentação das cartilagens aritenoides desempenha importante função tanto na abdução quanto na adução das pregas vocais e, consequentemente, na produção da voz normal. A assimetria destas cartilagens pode estar presente em algumas condições clínicas, como na paralisia unilateral de prega vocal ou na luxação / subluxação de articulação cricoaritenóidea. Há carência de estudos na literatura sobre o impacto que a assimetria de cartilagens aritenoides pode provocar no fechamento glótico e sobre a melhora que a aritenoidectomia parcial superomedial poder promover nesses casos de assimetria. Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar os efeitos que esta assimetria posicional de aritenoides pode desencadear no fechamento glótico posterior e avaliar o benefício que a aritenoidectomia parcial superomedial pode proporcionar a estes casos. Métodos: Realizou-se estudo experimental com 10 laringes humanas excisadas de cadáveres adultos, sendo 05 do sexo masculino e 05 do feminino. O fechamento glótico foi produzido com rotação das cartilagens aritenoides bilateralmente e a assimetria de aritenoides simulada com o uso de cola no interior de uma das articulações cricoaritenóideas com fixação da cartilagem aritenoide em posição anteromedial. Na aritenoidectomia parcial, removeu-se a porção superomedial da cartilagem submetida à assimetria. O fechamento glótico posterior foi avaliado com paquímetro digital para medir a distância entre os processos vocais antes e após a simulação da assimetria e da aritenoidectomia superomedial, para que as medidas fossem comparadas. Resultados: O fechamento glótico posterior de todas laringes estudadas passou de completo para incompleto após a simulação da assimetria posicional de aritenoides, sendo a distância média observada entre os processos vocais de 1,766mm (IC95%: 1,519-2,013). A aritenoidectomia superomedial realizada após a assimetria de aritenoides fez com que o fechamento glótico posterior voltasse de incompleto para completo em todas laringes da pesquisa. Conclusões: Os resultados da pesquisa sugerem que a assimetria posicional de cartilagens aritenoides parece comprometer o fechamento glótico posterior, aumentando a distância entre os processos vocais durante a adução das pregas vocais. Além disso, o estudo aponta que a aritenoidectomia superomedial pode melhorar o fechamento glótico posterior nestes casos de assimetria de aritenoides
publishDate 2019
dc.date.issued.fl_str_mv 2019-05-13
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/T.5.2019.tde-05082019-145256
url https://doi.org/10.11606/T.5.2019.tde-05082019-145256
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Otorrinolaringologia
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376582706757632