Morfologia e sedimentação na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião -SP

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2016
Autor(a) principal: Rodolfo Jasão Soares Dias
Orientador(a): Michel Michaelovitch de Mahiques
Banca de defesa: Alberto Garcia de Figueiredo Junior, Isabel Montoya Montes
Tipo de documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Oceanografia
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/D.21.2016.tde-05092016-143309
Resumo: A análise batimétrica e sísmica de alta resolução realizadas na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião permitiu elaborar um modelo morfológico e sedimentar para região. A Plataforma Continental Externa apresenta uma morfologia extremamente irregular, com presenças de montiformas, escarpas e depressões erosivas. Estas feições e os seus sedimentos superficiais são de origem carbonáticas. Na região da quebra da Plataforma e Talude superior ocorre um intenso processo erosivo, causada pela ação da Corrente do Brasil ao longo do tempo, formando canais e escarpas na região. Ao longo do Talude observam-se inúmeras feições que estão distribuídas por faixas de profundidade. Nos setores mais rasos observam-se há presença de ondas de sedimento e pockmarks ativos e inativos. Abaixo dos 1000 metros as feições predominantes são os canais e depósitos contorníticos, como o Canal de Santos, que possui expressão regional, localizado paralelamente ao talude. Esses depósitos e canais contorníticos são formados e retrabalhados pela incidência das Correntes de Contorno Intermediária (CCI) e da Corrente Contorno Profunda, que sofreram variações ao longo do tempo.
id USP_60ff08df8d6c160788a233d8672e523d
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05092016-143309
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesis Morfologia e sedimentação na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião -SP Morphology and sedimentation on the outer shelf and slope off the island of São Sebastião - SP 2016-03-18Michel Michaelovitch de MahiquesAlberto Garcia de Figueiredo JuniorIsabel Montoya MontesRodolfo Jasão Soares DiasUniversidade de São PauloOceanografiaUSPBR Continental margin Geomorfologia submarina Margem continental Sedimentação Sedimentation Submarine geomorphology A análise batimétrica e sísmica de alta resolução realizadas na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião permitiu elaborar um modelo morfológico e sedimentar para região. A Plataforma Continental Externa apresenta uma morfologia extremamente irregular, com presenças de montiformas, escarpas e depressões erosivas. Estas feições e os seus sedimentos superficiais são de origem carbonáticas. Na região da quebra da Plataforma e Talude superior ocorre um intenso processo erosivo, causada pela ação da Corrente do Brasil ao longo do tempo, formando canais e escarpas na região. Ao longo do Talude observam-se inúmeras feições que estão distribuídas por faixas de profundidade. Nos setores mais rasos observam-se há presença de ondas de sedimento e pockmarks ativos e inativos. Abaixo dos 1000 metros as feições predominantes são os canais e depósitos contorníticos, como o Canal de Santos, que possui expressão regional, localizado paralelamente ao talude. Esses depósitos e canais contorníticos são formados e retrabalhados pela incidência das Correntes de Contorno Intermediária (CCI) e da Corrente Contorno Profunda, que sofreram variações ao longo do tempo. The analysis of high-resolution bathymetric and seismic data from the Outer Continental Shelf and Slope in front of São Sebastião\'s Island allowed us to elaborate a morphological and sedimentary model for the region. The Outer Continental Shelf has an extremely irregular morphology, with the presence of montiforms, scarp and erosive depressions. These features and surface sediments are carbonate. In the shelf break and upper slope occurs an intense erosion, caused by the action of the Brazil Current through time, forming channels and scarps in the area. It was observed that the features over the slope are distributed by depth ranges. In shallower sectors was found active and inactive feature such as sediment waves and pockmarks. Below 1000 meters the predominant features are channels and contourite deposits such as Santos\'s Channel, which has a regional expression and is located parallel to the slope. The formation and rework of these features occurs by the incidence of intermediate boundary current (IBC) and deep boundary current (DBC) and their variation through time. https://doi.org/10.11606/D.21.2016.tde-05092016-143309info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:40Zoai:teses.usp.br:tde-05092016-143309Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212017-09-04T21:05:35Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Morfologia e sedimentação na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião -SP
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Morphology and sedimentation on the outer shelf and slope off the island of São Sebastião - SP
title Morfologia e sedimentação na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião -SP
spellingShingle Morfologia e sedimentação na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião -SP
Rodolfo Jasão Soares Dias
title_short Morfologia e sedimentação na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião -SP
title_full Morfologia e sedimentação na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião -SP
title_fullStr Morfologia e sedimentação na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião -SP
title_full_unstemmed Morfologia e sedimentação na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião -SP
title_sort Morfologia e sedimentação na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião -SP
author Rodolfo Jasão Soares Dias
author_facet Rodolfo Jasão Soares Dias
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Michel Michaelovitch de Mahiques
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Alberto Garcia de Figueiredo Junior
dc.contributor.referee2.fl_str_mv Isabel Montoya Montes
dc.contributor.author.fl_str_mv Rodolfo Jasão Soares Dias
contributor_str_mv Michel Michaelovitch de Mahiques
Alberto Garcia de Figueiredo Junior
Isabel Montoya Montes
description A análise batimétrica e sísmica de alta resolução realizadas na Plataforma Continental Externa e Talude ao largo da Ilha de São Sebastião permitiu elaborar um modelo morfológico e sedimentar para região. A Plataforma Continental Externa apresenta uma morfologia extremamente irregular, com presenças de montiformas, escarpas e depressões erosivas. Estas feições e os seus sedimentos superficiais são de origem carbonáticas. Na região da quebra da Plataforma e Talude superior ocorre um intenso processo erosivo, causada pela ação da Corrente do Brasil ao longo do tempo, formando canais e escarpas na região. Ao longo do Talude observam-se inúmeras feições que estão distribuídas por faixas de profundidade. Nos setores mais rasos observam-se há presença de ondas de sedimento e pockmarks ativos e inativos. Abaixo dos 1000 metros as feições predominantes são os canais e depósitos contorníticos, como o Canal de Santos, que possui expressão regional, localizado paralelamente ao talude. Esses depósitos e canais contorníticos são formados e retrabalhados pela incidência das Correntes de Contorno Intermediária (CCI) e da Corrente Contorno Profunda, que sofreram variações ao longo do tempo.
publishDate 2016
dc.date.issued.fl_str_mv 2016-03-18
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
format masterThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/D.21.2016.tde-05092016-143309
url https://doi.org/10.11606/D.21.2016.tde-05092016-143309
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Oceanografia
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376584673886208