Efeito do consumo de castanhas-do-brasil (Bertholettia excelsa H.B.K.) sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao selênio de mulheres obesas

Detalhes bibliográficos
Ano de defesa: 2018
Autor(a) principal: Graziela Biude Silva
Orientador(a): Silvia Maria Franciscato Cozzolino
Banca de defesa: Fernando Salvador Moreno
Tipo de documento: Tese
Tipo de acesso: Acesso aberto
Idioma: por
Instituição de defesa: Universidade de São Paulo
Programa de Pós-Graduação: Ciência dos Alimentos
Departamento: Não Informado pela instituição
País: BR
Link de acesso: https://doi.org/10.11606/T.9.2018.tde-05092018-105957
Resumo: A inflamação e o estresse oxidativo são processos que ocorrem simultaneamente na obesidade e contribuem para o aumento da síntese de mediadores inflamatórios e de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio. O mineral selênio (Se), cuja principal fonte alimentar é a castanha-do-brasil, possui propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Considerando a importância do processo inflamatório na obesidade e o potencial papel do Se como anti-inflamatório por meio da atuação de selenoproteínas, o estudo da influência deste micronutriente neste contexto é de grande relevância. Desse modo, o objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do consumo da castanha-do-brasil sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao Se de mulheres obesas. No total, foram recrutadas 72 participantes alocadas randomicamente no grupo que consumiu a castanha-dobrasil (BN) ou no grupo controle (CO) e, acompanhadas por um período de 2 meses. O grupo BN consumiu 1 unidade de castanha-do-brasil (~409,5 µg/Se) por dia e o grupo CO não recebeu nenhum tipo de intervenção. Antes e após o período da intervenção, foram realizadas as avaliações antropométrica e do consumo alimentar, e dos parâmetros bioquímicos relacionados ao Se, estresse oxidativo, perfil lipídico e biomarcadores inflamatórios. Completaram o estudo 29 participantes do grupo BN e 26 do grupo CO com idade média de 40,3 (9,0) e 39,4 (9,5) anos (p=0,714), respectivamente. No baseline do estudo, observou-se que a população estudada não apresentava deficiência de Se. No grupo BN, verificou-se um aumento de todos biomarcadores de Se avaliados. Após 8 semanas de intervenção, um aumento significativo foi observado na expressão gênica de diversos parâmetros pró-inflamatórios no grupo BN (IL-6, TNF-α, TLR2 e TLR4). Apesar de não ter havido mudanças nas concentrações plasmáticas referentes a estes parâmetros, o aumento significativo da expressão gênica pode ser um indicativo de estímulo pró-inflamatório induzido pelo consumo da castanha-dobrasil com altas concentrações de Se.
id USP_e932f870c7ff4ac37f76df81464cd4e2
oai_identifier_str oai:teses.usp.br:tde-05092018-105957
network_acronym_str USP
network_name_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository_id_str
spelling info:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/doctoralThesis Efeito do consumo de castanhas-do-brasil (Bertholettia excelsa H.B.K.) sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao selênio de mulheres obesas Effect of Brazil nut (Bertholettia excelsa H.B.K.) consumption on inflammatory biomarkers and nutritional status of selenium in obese women. 2018-08-21Silvia Maria Franciscato CozzolinoMarcelo Macedo RogeroFernando Salvador MorenoGraziela Biude SilvaUniversidade de São PauloCiência dos AlimentosUSPBR Brazil nut Castanha-do-brasil Inflamação Inflammation Obesidade Obesity Selênio selenium A inflamação e o estresse oxidativo são processos que ocorrem simultaneamente na obesidade e contribuem para o aumento da síntese de mediadores inflamatórios e de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio. O mineral selênio (Se), cuja principal fonte alimentar é a castanha-do-brasil, possui propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Considerando a importância do processo inflamatório na obesidade e o potencial papel do Se como anti-inflamatório por meio da atuação de selenoproteínas, o estudo da influência deste micronutriente neste contexto é de grande relevância. Desse modo, o objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do consumo da castanha-do-brasil sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao Se de mulheres obesas. No total, foram recrutadas 72 participantes alocadas randomicamente no grupo que consumiu a castanha-dobrasil (BN) ou no grupo controle (CO) e, acompanhadas por um período de 2 meses. O grupo BN consumiu 1 unidade de castanha-do-brasil (~409,5 µg/Se) por dia e o grupo CO não recebeu nenhum tipo de intervenção. Antes e após o período da intervenção, foram realizadas as avaliações antropométrica e do consumo alimentar, e dos parâmetros bioquímicos relacionados ao Se, estresse oxidativo, perfil lipídico e biomarcadores inflamatórios. Completaram o estudo 29 participantes do grupo BN e 26 do grupo CO com idade média de 40,3 (9,0) e 39,4 (9,5) anos (p=0,714), respectivamente. No baseline do estudo, observou-se que a população estudada não apresentava deficiência de Se. No grupo BN, verificou-se um aumento de todos biomarcadores de Se avaliados. Após 8 semanas de intervenção, um aumento significativo foi observado na expressão gênica de diversos parâmetros pró-inflamatórios no grupo BN (IL-6, TNF-α, TLR2 e TLR4). Apesar de não ter havido mudanças nas concentrações plasmáticas referentes a estes parâmetros, o aumento significativo da expressão gênica pode ser um indicativo de estímulo pró-inflamatório induzido pelo consumo da castanha-dobrasil com altas concentrações de Se. Inflammation and oxidative stress are processes that occur simultaneously in obesity and contribute to an increase in the synthesis of inflammatory mediators and reactive oxygen and nitrogen species. The mineral selenium (Se), whose main food source is the Brazil nut, has antioxidant and anti-inflammatory properties. Considering the importance of the inflammatory process in obesity and the potential role of Se as an anti-inflammatory by means of selenoproteins, the study of the influence of this micronutrient in this context is of great relevance. Thus, the aim of this study was to evaluate the effect of Brazil nut intake on inflammatory biomarkers and nutritional status of Se in obese women. In total, 72 participants randomly assigned to Brazil nut group (BN) or control group (CO) were recruited and followed up for 2 months. The BN group consumed 1 unit of Brazil nut (~ 409.5 µg/Se) per day and the CO group did not received any intervention. On baseline and after two months of follow-up, the evaluation of anthropometry and food consumption, and of the biochemical parameters related to Se, oxidative stress, lipid profile and inflammatory biomarkers were performed. Twenty-nine participants of BN group and twenty-six of the CO group completed the trial, with a mean age of 40.3 (9.0) and 39.4 (9.5) years (p= 0.714), respectively. At the baseline of the study, it was observed that this population did not present Se deficiency. In BN group, there was an increase in all Se biomarkers evaluated. After 8 weeks of intervention, a significant increase was observed in gene expression of several pro-inflammatory parameters in BN group (IL-6, TNF-α, TLR2 and TLR4). Although there have been no changes in plasma concentrations related to these parameters, a significant increase in gene expression may be an indicative of a pro-inflammatory stimulus induced by the intake of Brazil nuts with high Se concentrations. https://doi.org/10.11606/T.9.2018.tde-05092018-105957info:eu-repo/semantics/openAccessporreponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USPinstname:Universidade de São Paulo (USP)instacron:USP2023-12-21T18:16:46Zoai:teses.usp.br:tde-05092018-105957Biblioteca Digital de Teses e Dissertaçõeshttp://www.teses.usp.br/PUBhttp://www.teses.usp.br/cgi-bin/mtd2br.plvirginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.bropendoar:27212018-10-03T01:45:28Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)false
dc.title.pt.fl_str_mv Efeito do consumo de castanhas-do-brasil (Bertholettia excelsa H.B.K.) sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao selênio de mulheres obesas
dc.title.alternative.en.fl_str_mv Effect of Brazil nut (Bertholettia excelsa H.B.K.) consumption on inflammatory biomarkers and nutritional status of selenium in obese women.
title Efeito do consumo de castanhas-do-brasil (Bertholettia excelsa H.B.K.) sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao selênio de mulheres obesas
spellingShingle Efeito do consumo de castanhas-do-brasil (Bertholettia excelsa H.B.K.) sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao selênio de mulheres obesas
Graziela Biude Silva
title_short Efeito do consumo de castanhas-do-brasil (Bertholettia excelsa H.B.K.) sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao selênio de mulheres obesas
title_full Efeito do consumo de castanhas-do-brasil (Bertholettia excelsa H.B.K.) sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao selênio de mulheres obesas
title_fullStr Efeito do consumo de castanhas-do-brasil (Bertholettia excelsa H.B.K.) sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao selênio de mulheres obesas
title_full_unstemmed Efeito do consumo de castanhas-do-brasil (Bertholettia excelsa H.B.K.) sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao selênio de mulheres obesas
title_sort Efeito do consumo de castanhas-do-brasil (Bertholettia excelsa H.B.K.) sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao selênio de mulheres obesas
author Graziela Biude Silva
author_facet Graziela Biude Silva
author_role author
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv Silvia Maria Franciscato Cozzolino
dc.contributor.advisor-co1.fl_str_mv Marcelo Macedo Rogero
dc.contributor.referee1.fl_str_mv Fernando Salvador Moreno
dc.contributor.author.fl_str_mv Graziela Biude Silva
contributor_str_mv Silvia Maria Franciscato Cozzolino
Marcelo Macedo Rogero
Fernando Salvador Moreno
description A inflamação e o estresse oxidativo são processos que ocorrem simultaneamente na obesidade e contribuem para o aumento da síntese de mediadores inflamatórios e de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio. O mineral selênio (Se), cuja principal fonte alimentar é a castanha-do-brasil, possui propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Considerando a importância do processo inflamatório na obesidade e o potencial papel do Se como anti-inflamatório por meio da atuação de selenoproteínas, o estudo da influência deste micronutriente neste contexto é de grande relevância. Desse modo, o objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do consumo da castanha-do-brasil sobre os biomarcadores inflamatórios e o estado nutricional relativo ao Se de mulheres obesas. No total, foram recrutadas 72 participantes alocadas randomicamente no grupo que consumiu a castanha-dobrasil (BN) ou no grupo controle (CO) e, acompanhadas por um período de 2 meses. O grupo BN consumiu 1 unidade de castanha-do-brasil (~409,5 µg/Se) por dia e o grupo CO não recebeu nenhum tipo de intervenção. Antes e após o período da intervenção, foram realizadas as avaliações antropométrica e do consumo alimentar, e dos parâmetros bioquímicos relacionados ao Se, estresse oxidativo, perfil lipídico e biomarcadores inflamatórios. Completaram o estudo 29 participantes do grupo BN e 26 do grupo CO com idade média de 40,3 (9,0) e 39,4 (9,5) anos (p=0,714), respectivamente. No baseline do estudo, observou-se que a população estudada não apresentava deficiência de Se. No grupo BN, verificou-se um aumento de todos biomarcadores de Se avaliados. Após 8 semanas de intervenção, um aumento significativo foi observado na expressão gênica de diversos parâmetros pró-inflamatórios no grupo BN (IL-6, TNF-α, TLR2 e TLR4). Apesar de não ter havido mudanças nas concentrações plasmáticas referentes a estes parâmetros, o aumento significativo da expressão gênica pode ser um indicativo de estímulo pró-inflamatório induzido pelo consumo da castanha-dobrasil com altas concentrações de Se.
publishDate 2018
dc.date.issued.fl_str_mv 2018-08-21
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
format doctoralThesis
status_str publishedVersion
dc.identifier.uri.fl_str_mv https://doi.org/10.11606/T.9.2018.tde-05092018-105957
url https://doi.org/10.11606/T.9.2018.tde-05092018-105957
dc.language.iso.fl_str_mv por
language por
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.publisher.program.fl_str_mv Ciência dos Alimentos
dc.publisher.initials.fl_str_mv USP
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade de São Paulo
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
instname:Universidade de São Paulo (USP)
instacron:USP
instname_str Universidade de São Paulo (USP)
instacron_str USP
institution USP
reponame_str Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
collection Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
repository.name.fl_str_mv Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP - Universidade de São Paulo (USP)
repository.mail.fl_str_mv virginia@if.usp.br|| atendimento@aguia.usp.br||virginia@if.usp.br
_version_ 1786376584900378624